Imagem da matéria: Nostr e Bluesky: As redes alternativas ao Twitter estão crescendo — mas com suas dores 
Foto: Shutterstock

Bluesky e Nostr — duas redes sociais semelhantes ao Twitter, ambas descentralizadas e ambas apoiadas pelo cofundador do Twitter, Jack Dorsey — estão crescendo rapidamente enquanto Elon Musk continua a fazer mudanças controversas no próprio Twitter.

O Bluesky lançou seu tão esperado aplicativo para smartphones Android na sexta-feira (21), quase dois meses depois que seu cliente iOS foi lançado na Apple App Store — o cliente web ainda está em pré-beta. O acesso ao Bluesky ainda é apenas para convidados, mas o crescimento de sua base de usuários está acelerando de cerca de 1 mil para 2,5 mil novos membros por dia, ultrapassando um total de 33 mil neste fim de semana.

Publicidade

O Bluesky é, na verdade, um front-end de prova de conceito para o Protocolo AT subjacente, que se destina a formar a base de uma ampla rede de aplicativos e serviços interoperáveis. O Nostr é comparável ao Protocolo AT e é uma estrutura sob a qual mais de uma dúzia de aplicativos e outros serviços já operam.

Notavelmente, ambos são separados do Mastodon e do ActivityPub, uma rede social descentralizada de longa data e protocolo fundado em 2016, e um dos primeiros beneficiários do êxodo do Twitter inspirado em Musk. O Mastodon aumentou rapidamente sua base de usuários de 300 mil para 2,5 milhões no final do ano passado, embora o crescimento e a atividade do usuário tenham diminuído desde então.

Nostr vs Bluesky

Nostr também é um acrônimo para “notas e outras coisas transmitidas por relays”. Seu ecossistema é um tanto difícil de ingressar, pois o protocolo descentralizado é baseado em criptografia de chaves públicas e privadas e, portanto, usa muito jargão e linguagem técnica dessa base. 

A identidade canônica de um usuário é sua chave pública e se parece com isto: npub1hpgg9mnu3ckf9kaju8y5mn79e7ymqwsk0m3fwfk78wzevn2av6ksgewwvf — e embora você possa se registrar em um cliente para um nome de usuário como [email protected], pode ter que gastar alguma criptomoeda no processo.

Publicidade

Como resultado, enquanto o Nostr foi adotado por comunidades técnicas, o Bluesky atraiu uma mistura mais diversificada de usuários — de artistas digitais e fãs de NFT a ativistas políticos e sociais a pessoas que postam fotos diárias de comida, gatos e outros conteúdos que lembram mais o Twitter.

Mesmo assim, por algumas medidas, o Nostr já é muito maior que o Bluesky e o Protocolo AT. Com uma variedade de aplicativos em vez de apenas um — incluindo Damus no iOS, Amethyst no Android e a interface web Snort.social — Nostr poderia ter até 16 milhões de usuários, de acordo com a Nostr.Band, e até 780 mil usuários ativos diariamente.

Mas medir a atividade no universo Nostr é complicado: existem chaves públicas interagindo com o protocolo, gerando eventos, mas um usuário pode ter dezenas ou centenas de chaves, e um “evento” pode ser qualquer coisa, desde uma mensagem postada até uma consulta, ping, ou ação automatizada.

Como resultado, critérios diferentes produzirão resultados diferentes: chaves públicas com biografias de usuários anexadas somam 2,25 milhões. Os “eventos de redação pública de alta qualidade” diários giram em torno de 8 mil.

Publicidade

Embora Dorsey seja mais publicamente afiliado ao Bluesky — que foi incubado pela primeira vez no Twitter como o futuro de longo prazo dessa plataforma — ele é muito mais ativo no Nostr. Dorsey irritou algumas pessoas esta semana, quando outro usuário do Nostr postou um artigo do Verge que descrevia Bluesky como um “cópia sem vergonha do Twitter”.

“Infelizmente, eles se esforçaram demais para focar em um produto do Twitter e não na comunidade de desenvolvedores”, escreveu Dorsey em resposta.

Logo depois, a equipe do Bluesky divulgou uma longa lista de projetos no ecossistema do Protocolo AT e anunciou uma atualização que adiciona suporte para “senhas de aplicativos”, também conhecidas como “senhas de gravação” ou senhas específicas de aplicativos. Essas senhas especiais permitem que os usuários concedam acesso às suas contas do Protocolo AT sem fornecer suas credenciais principais.

“O aplicativo Bluesky demonstra como um cliente de microblogging pode ser construído no protocolo AT com uma experiência de usuário intuitiva”, escreveu a equipe. “No entanto, ainda há muito mais a ser feito para explorar plenamente o potencial dessa arquitetura.”

Um benefício inicial da abordagem descentralizada do Bluesky é que os nomes de usuário podem ser vinculados a nomes de domínio da web e, portanto, servir como uma forma de verificação. O nome de usuário do CEO da Bluesky, Jay Graber, é @jay.bsky.team, e qualquer pessoa vinculada ao bsky.team pode ser considerada membro oficial da equipe Bluesky.

Publicidade

As dores do crescimento

Os recém-chegados ao Bluesky e Nostr frequentemente postam sobre como ele é diferente ou melhor do que o Twitter, embora a maioria reconheça que eles são os primeiros a adotar e atualmente estão isolados do caos potencial de um público mais mainstream.

De fato, há esforços conjuntos para migrar várias comunidades do Twitter para o Bluesky em massa, com usuários compilando convites e trazendo líderes e influenciadores em uma variedade de grupos de afinidade: Black Twitter, Science Twitter e, sim, Crypto Twitter.

(Imagem: @aliafonzy.bsky.social)

Junto com o crescimento rápido, surgem algumas dores de crescimento. Alguns deles são técnicos: o Bluesky tem lutado periodicamente com desempenho lento e recursos quebrados, e hashtags não são suportadas — embora a chegada do autoproclamado inventor de hashtag Chris Messina ao serviço possa mudar isso. Mas outros desafios são partes familiares da evolução de qualquer nova comunidade.

No Bluesky, muito se fala sobre moderação e segurança, seja sobre bots superativos que começam a interagir uns com os outros e ficam presos em um loop infinito, ou sobre debates familiares sobre J.K. Rowling ou outros tópicos que acionam rapidamente a lei de Godwin.

As demandas pela capacidade de bloquear ou silenciar outros usuários ou threads atingiram um auge na semana passada, levando Graber a apresentar a abordagem planejada do Protocolo AT para o problema.

“Estamos projetando um sistema de rotulagem aberto e combinável para moderação”, escreveu Graber, observando que as redes sociais centralizadas e descentralizadas enfrentam desafios diferentes. “Melhoramos essa situação facilitando a troca de servidores e separando a moderação em serviços estruturalmente independentes.”

Publicidade

“Precisamos terminar a missão principal primeiro”, escreveu o principal desenvolvedor do Bluesky, Paul Frazee, quando um usuário perguntou quando o suporte para GIFs e vídeos seria adicionado. “Estamos apenas enviando as ferramentas de curadoria, moderação e federação primeiro… [que são] especialmente importantes para abrirmos as coisas.”

Enquanto isso, no Nostr, surgiu um debate sobre a implementação de “Zaps”, que são interações distintas de curtidas, respostas ou republicações e oferecem suporte à integração de blockchain para coisas como micropagamentos de Bitcoin. Ao agregar valor à interação, os usuários do Nostr esperam que um “Zap” seja mais significativo tanto para dar quanto para receber.

No entanto, a evolução dos “Zaps” virou alguns usuários do Nostr contra o antiquado “curtir”, que eles estão sugerindo ser totalmente removido do ecossistema. A versão mais recente do Snort.social e do cliente iOS do Nostr, Damus, introduziu um modo “OnlyZaps” – onde o botão “curtir” está oculto — o que fez alguns críticos apontassem para uma possível “balcanização” precoce da comunidade.

(Imagem: [email protected])

“Gosto desse debate”, postou Dorsey no Nostr, apelidando-o de “#zapgate“. Ele escreveu: “Espero que algum dia repostagens e zaps substituam completamente a necessidade de curtidas”.

“Reposts e zaps são verdadeiras trocas de valor e têm um custo real: sua reputação ou dinheiro”, explicou. “As curtidas são superficiais e existem apenas para informar um algoritmo. Os algoritmos de relevância têm seu lugar, mas são mais bem informados por uma ação verdadeiramente custosa.”

“Uau, então isso é sobre reputação ou dinheiro?” outro usuário respondeu. “Que pena, pois pensei que tudo aqui era por diversão.”

 * Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
ilustração mostra logo da pepecoin PEPE subindo ao céu

Trader transforma R$ 2 mil em R$ 17 milhões graças ao triunfo da Pepecoin (PEPE)

Ao comprar a memecoin após o lançamento, o trader teve um ganho de 7.368x no investimento
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Os maiores tokens de jogos lançados em 2024 – até agora

O Notcoin aparece na lista dos maiores tokens de jogos deste ano, ao lado de Pixels, Portal, Saga e muito mais
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo