ilustração de moedas saindo de celular
Shutterstock

A NG.CASH, carteira digital voltada exclusivamente para a geração Z no Brasil, vai disponibilizar a partir desta quarta-feira (12) serviços de negociação de criptomoedas para os seus clientes que se inscreveram na lista de espera.

Na atual versão beta do serviço, são oferecidas opções de investimento a partir de R$ 1 em Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) dentro do próprio aplicativo do banco.

Publicidade

Os serviços de custódia e corretagem são realizados pela Parfin, que oferece infraestrutura institucional para a oferta de ativos digitais, em conformidade com as exigências regulatórias.

A expectativa é que no futuro, outras criptomoedas estejam disponíveis para negociação. O processo de seleção de quais ativos serão listados na sequência será feito através de um processo de votação com a própria base de clientes do banco.

Até o fim do mês de agosto, a expectativa é que o serviço esteja disponível para mais de um milhão clientes. “Essa nova oferta de serviços proporcionará para a geração Z uma experiência democrática e integrada no mundo das criptomoedas, combinada com a segurança e a confiabilidade que a NG.CASH sempre ofereceu”, disse em nota Mário Augusto Sá, fundador e CEO. 

A NG.CASH é uma instituição de pagamento regulada pelo Banco Central e cumpre com todos os requisitos regulatórios necessários. Durante o processo de abertura de conta, em caso de menores de idade, é exigida a autorização de um representante legal, assim como o envio de seus documentos.

Publicidade

No entanto, como o mercado de cripto é muito particular e envolve a aplicação de recursos para investimento, aqueles usuários que ainda não completaram 18 anos precisarão de uma aprovação específica de seus responsáveis para que estes autorizem suas entradas no ambiente de negociação de cripto, de forma a garantir que os pais e responsáveis estão de acordo com o serviço.

O banco ressalta que também possuí mecanismos de educação financeira embutidos no app e controles de limites próprios.

Interesse de jovens por cripto 

A NG.CASH diz que a adição de serviços de negociação de criptomoedas é um passo estratégico para atender à crescente demanda dos jovens investidores por opções financeiras digitais e alternativas de investimentos. A geração Z representa 46,2% dos brasileiros que investem em criptomoedas, conforme os dados divulgados pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

“Acreditamos que além da facilidade de acesso a serviços financeiros, oferecemos para essa geração a oportunidade de gerenciar seu próprio dinheiro com autonomia e segurança, o que é um passo importante no caminho para uma sólida educação financeira. Estamos empolgados em capacitar nossos clientes a explorar o mundo das criptomoedas e aproveitar as oportunidades de investimento que elas oferecem”, afirma Sá.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

Fabrício Tota, diretor do MB, discutiu no Ethereum Rio como empresas podem tirar o máximo proveito da tecnologia blockchain através da tokenização
Imagem da matéria: CEO da Grayscale deixa cargo: "Momento certo para transição"

CEO da Grayscale deixa cargo: “Momento certo para transição”

A Grayscale, uma das maiores gestoras de criptomoedas do mundo, anunciou que Michael Sonnenshein está deixando o cargo de CEO
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
Imagem da matéria: EUA acusam  2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

EUA acusam 2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

O Departamento de Justiça acusou Daren Li e Yicheng Zhang de orquestrar um esquema com criptomoedas de “abate de porcos”