Imagem da matéria: MP acusa responsável por criptomoeda do Santos de crime de pirâmide financeira
(Esq. para dir.) Stefano Cionini, José Carlos Peres e Roberto Diomedi. (Foto: Divulgação)

Stefano Cionini, um dos representantes da Bolton Holding Group, empresa que negocia com o Santos Futebol Clube, é acusado de ter integrado um esquema fraudulento no passado. Segundo publicação do Globo Esporte, ele é alvo de ações criminal e civil no Brasil.

A empresa, detentora da criptomoeda Bolton Coin (BFCL), negocia com o Santos um investimento de US$ 60 milhões (cerca de R$ 235 milhões) para a construção de um estádio e um Centro de Treinamento.

Publicidade

De acordo com a reportagem, Cionini foi acusado pelo Ministério Público de Minas Gerais de integrar o esquema fraudulento da empresa ‘Mister Colibri’ como sócio e administrador.

Após as investigações da Polícia Civil de Juiz de Fora em 2012, a promotoria disse que a empresa teria aplicado um golpe financeiro em vários Estados, o que resultou em pelo menos 86 vítimas.

A fraude ‘Mister Colibri’

A reportagem apurou que para receber U$ 20 por semana (cerca de R$ 80) na Mister Colibri (apenas para assistir vídeos) o ‘investidor’ teria que comprar um pacote de serviços no valor de US$ 299 (R$ 1.100 aproximadamente).

O argumento usado era que, fidelizado os espectadores, eles poderiam vender o espaço para empresas de publicidade. Cada associado tinha que assistir 3 vídeos de 30 segundos por semana. Para chamar as pessoas eles persuadiam com a promessa de lucro de 220%.

Publicidade

Mas tinha outros pacotes mais caros. Por exemplo, com investimentos em torno de R$ 50 mil, o retorno seria estratosférico, de R$ 200 mil dentro de um ano.

Executivo e defesa negam participação

Ricardo Fortuna, advogado de Cionini, disse que seu cliente atuava como advogado da empresa na Europa e que só se tornou sócio da Mister Colibri após os supostos fatos criminosos, em 2013.

“Tenho convicção de que ele será absolvido das imputações. Ele nem fazia parte da empresa na época. Ele veio para o Brasil como advogado, a partir daí, quando já havia o processo, ele se torna sócio”, afirmou, segundo o GE.

Cionini, além de reforçar as palavras da defesa, disse que não está participando das negociações entre a Bolton e o Santos. No entanto ele aparece em uma foto ao lado do presidente do Santos e do presidente da empresa.

Publicidade

Fundador está frustrado e culpa a imprensa

Roberto Diomedi, fundador e CEO da Bolton, disse que vai repensar a parceria e criticou os comentários negativos, principalmente da imprensa.

No domingo (14), em sua conta no Instagram, ele fez um grande desabafo sobre os comentários negativos após o anúncio da parceria.

Ele publicou:

“A raça humana é realmente incrível, quanto mais você tenta fazer coisas, mais há alguém que procura encontrar algo obscuro. Por que tem que haver necessariamente algo errado, algo negativo? Mesmo se você colocar todo o esforço possível, sem pedir nada a ninguém?”.

Diomedi relata que quando a empresa e o clube assinaram o primeiro acordo, tanto ele quanto o presidente do clube, José Carlos Peres, ficaram convencidos de que algo grande aconteceria.

“Havíamos começado algo grande, que ia além do simples negócio, porque também nos sentíamos como parte da família. Agora percebemos que, como em todas as famílias, há alguém tentando prejudicar o bom que os outros fazem”.

Publicidade

Ele sugeriu que a empresa está sendo incômoda para alguém, e que provavelmente seria a alguns jornalistas que prefeririam outros investidores em seu lugar. “Um grupo árabe liderado por um italiano talvez não é bastante para eles”, criticou.

Ele criticou mais duramente os profissionais do jornalismo.

“Os santistas querem essa parceria ou não? Eles querem que, finalmente, alguém se interesse em realizar o sonho da nova arena? Se isso for verdade, então por que os jornalistas, que deveriam ser profissionais, que deveriam fazer o seu trabalho honestamente, não querem nos dar pelo menos a oportunidade de apresentar as nossas ideias? Por que eles nos julgam sem nos conhecer?”.

O líder da Bolton ainda disse que vai repensar a parceria.

“Se esta é a maneira de nos receber, talvez seja melhor pensar sobre isso antes de fazer esse casamento. Contudo eu teria esperado uma recepção diferente”.

Ainda assim, na mesma publicação, Diomedi não deixou de parabenizar o clube pelos 107 anos:

“Então, independentemente de tudo, eu parabenizo a todos e desejo o melhor para esta celebração, com a esperança de fazer parte da família, se não for como investidor, pelo menos como um simples fã apaixonado”.

Acordo foi firmado no mês passado

No mês passado, o presidente do Santos havia viajado para a China e para os Emirados Árabes em busca de investidores para o clube.

Um dos encontros agendados aconteceu no escritório da Bolton no dia 21 de março, onde ele se reuniu com Diomedi e assinou um acordo para para novos projetos na Vila Belmiro, como construir estádio e CT para o clube.


Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Imagem da matéria: El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

A mineração de Bitcoin é feita com energia do vulcão Tecapa, usando 300 processadores voltados para essa atividade
Moedas de ethereum à frente de ilustração de cadeado

A SEC vai finalmente aprovar os ETFs de Ethereum? Entenda

Vence no fim desta semana o prazo para a SEC aprovar ou não alguns pedidos de ETFs de Ethereum e a expectativa agora é mais positiva do que nunca
Imagem da matéria: As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

Enquanto outras empresas gastam milhões em candidatos pró-cripto, Joe Lubin diz ao Decrypt que a Consensys resistiu ao impulso