o que é mineração de bitcoin
Shutterstock

A CleanSpark Inc., uma empresa de mineração de Bitcoin listada na Nasdaq, anunciou nesta segunda feira (5) que assinou acordos para comprar três instalações de mineração de Bitcoin no Mississippi por US$ 19,8 milhões em dinheiro (R$ 98,4 milhões).

As compras devem expandir a capacidade de mineração da CleanSpark em 2,4 exahashes por segundo (EH/s) uma vez totalmente integradas.

Publicidade

Um exahash (abreviado como EH/s) é uma medida da capacidade de processamento de uma máquina de mineração de Bitcoin. Um exahash equivale a um quintilhão (1.000.000.000.000.000.000) de cálculos de hash por segundo. Máquinas de mineração de Bitcoin competem para resolver problemas matemáticos complexos. Quanto mais exahashes, mais problemas uma máquina pode tentar resolver, aumentando suas chances de minerar BTC.

É um momento chave, pois o próximo halving do Bitcoin — esperado para acontecer em algum momento de abril—reduzirá as recompensas pagas aos mineradores por validar transações de 6,25 para 3,125 BTC.

O halving do Bitcoin é um evento que acontece aproximadamente a cada 4 anos, onde a recompensa que os mineradores recebem por processar transações é reduzida pela metade. Quando os mineradores adicionam novas transações de bitcoin ao blockchain, atualmente são recompensados com 6,25 BTC por bloco.

O halving foi projetado para reduzir o fornecimento de novos Bitcoins entrando em circulação, ajudando a controlar a inflação. À medida que as recompensas de mineração diminuem ao longo do tempo, as taxas de transação tornam-se uma recompensa cada vez mais importante para os mineradores manterem o incentivo para proteger a rede. O fornecimento limitado e o cronograma previsível dos halvings do Bitcoin são características-chave do seu modelo econômico.

Publicidade

Além disso, a CleanSpark firmou acordos para adquirir uma instalação de mineração em construção em Dalton, Geórgia, que tem projeção de operar a 0,8 EH/s com cerca de US$ 6,9 milhões em investimento adicional.

Quando totalmente operacionais, as compras no Mississippi e na Geórgia aumentarão a taxa de hash de mineração de Bitcoin atual da CleanSpark de 10 EH/s para mais de 20 EH/s até o início de 2024, quase dobrando a capacidade atual, de acordo com a empresa.

Com sede em Utah, a CleanSpark disse que sua expansão geográfica para o Mississippi adicionará diversidade, juntamente com eficiências esperadas ao agrupar mais mineração em sua atual área de Dalton.

De acordo com o CEO da CleanSpark, Zach Bradford, as aquisições posicionam o provedor de poder computacional para continuar executando “custos gerais de primeira classe” em escala.

Publicidade

As compras seguem o anúncio de janeiro de que a CleanSpark garantiu um acordo para comprar até 160.000 mineradores de bitcoin de próxima geração, o que oferece um caminho para alcançar mais de 50 EH/s no futuro. A CleanSpark disse que financiará as compras mais recentes com as reservas de caixa existentes.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

You May Also Like
DAO, AssangeDAO, organização autônoma descentralizada, ethereum, Julian Assange, EUA

Token pró-liberdade do fundador do Wikileaks, Julian Assange, dispara de preço em meio a julgamento

A alta ocorre em meio ao julgamento de um recurso proposto pela defesa do ativista para que ele não seja extraditado do Reino Unido para os EUA
Miniaturas de homens em cima de moeda de Bitcoin gigante fazendo medição pela metade

O que o halving e os ETFs de Bitcoin significam para a oferta e demanda

Halving é apenas um dos muitos motivos para ser otimista com o futuro em curto prazo do Bitcoin, dizem os emissores de ETFs
Símbolo gigante do Bitcoin é projetado no interior do Parlamento alemão

Parlamento da Alemanha recebe evento educativo sobre Bitcoin 

O evento foi organizado pela deputada Joana Cotar e com direito à projeção do ₿ gigante do entusiasta ‘Bitman’
Imagem da matéria: E-mails inéditos de Satoshi Nakamoto, criador do Bitcoin, são apresentados em corte britânica

E-mails inéditos de Satoshi Nakamoto, criador do Bitcoin, são apresentados em corte britânica

Uma série de e-mails de 2008 e 2009 de Satoshi para o criptógrafo Adam Back foram inseridos no registro do tribunal na Inglaterra