Imagem da matéria: Mercado de baixa do Bitcoin pode durar 18 meses e chegar a US$ 2 mil, diz CEO da BitMEX
(Foto: Shutterstock)

A avaliação de Arthur Hayes, o CEO da Bitcoin Mercantile Exchange (BitMEX), maior plataforma de negociação de derivativos de bitcoin do mundo, é que os preços e o volume negociado de Bitcoin podem continuar em queda livre, e o atual mercado de baixa pode durar mais 18 meses.

“Minha opinião é que o ambiente de volatilidade que existe no momento poderia persistir por mais 12 a 18 meses”, disse Hayes ao Yahoo Finance.

Publicidade

“Estou apenas baseando-me na minha experiência anterior. Comecei no bitcoin em 2013, quando o preço passou de US$ 250 para US$ 1.300. E então 2014-2015 foi uma espécie de “mercado nuclear” de baixa. Preço caiu, volume caiu – muito, muito difícil de ganhar dinheiro.”

Caminhando em direção aos US$ 2 mil?

Hayes disse que uma boa estratégia para marcar o início de um mercado de baixa é a partir da data em que o preço do bitcoin cai abaixo da média móvel diária de 200 dias. Por essa métrica, o bitcoin entrou em território pessimista em 12 de março, quando estava cotado a US$ 9.152 e viu um declínio de 37% desde a queda abaixo da MM 200.

Fonte: BitMEX

Dado que as baixas anteriores viram o bitcoin cairam muito abaixo da MM 200, ele argumentou que é provável que ainda tenhamos um longo caminho a percorrer, potencialmente derrubando o BTC para US$ 2 mil antes que os compradores voltem ao jogo para recuperar o equilíbrio.

“Quão baixo podemos ir?”, Perguntou ele. “Uma queda de 75% a partir de US$ 9.152 nos aproxima de US$ 2.000.”

Hayes também citou o declínio na volatilidade do bitcoin como justificativa para sua perspectiva pessimista.

Ele escreveu:

“Ao contrário da crença popular, o Bitcoin requer volatilidade se quiser ganhar adoção mainstream. O preço do Bitcoin é a melhor e mais transparente forma de comunicar a saúde do ecossistema. Ele anuncia ao mundo que algo está acontecendo – se isso é positivo ou negativo é irrelevante”.

Publicidade
Fonte: BitMEX

“A volatilidade dos preços do Bitcoin é a droga de entrada no ecossistema”, continuou ele. “Se a volatilidade se mantiver nesses níveis deprimidos, o preço diminuirá lentamente.”

Hayes acreditava que o bitcoin chegaria a US$ 50 mil em 2018

Em maio deste ano, Hayes afirmou sua previsão dita no final do ano passado. Em conversa com a CNBC ele disse que o bitcoin chegaria a US$ 50.000 até o final de 2018.

A partir do preço atual, o bitcoin precisaria valorizar 500% para sua previsão se realizar, fazendo seu valor de mercado alcançar US$ 850 bilhões. Embora ele tenha se recuperado nas últimas semanas, em 2018 o BTC acumula uma variação de -35%.


Procurando o melhor lugar para fazer seus trades?

A Huobi, exchange líder em ativos digitais, chegou ao Brasil! Crie sua conta em menos de 1 minuto. Plataforma em português, mais de 150 altcoins, taxa de apenas 0,20%, liquidez e muita segurança, acesse: https://www.huobi.com/

 

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Cofre dourado no formato de baleia receb moedas shiba inu SHIB

Baleias voltam a encher os bolsos de Bitcoin, mostra análise

A acumulação acelerada de baleias é um sinal de que o mercado altista do Bitcoin ainda está ativo
Imagem da matéria: '101 Perguntas sobre Bitcoin': Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

‘101 Perguntas sobre Bitcoin’: Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

A obra discorre os princípios técnicos da moeda até suas implicações socioeconômicas no contexto atual, de modo a proporcionar um entendimento profundo ao público geral
moeda de Bitcoin ao lado de letreiro com ETF

Estado dos EUA investe R$ 510 milhões em ETF de Bitcoin da BlackRock

O investimento foi confirmado hoje pelo Conselho de Investimentos do Estado de Wisconsin (SWIB)