Imagem da matéria: Manhã Cripto: Analistas apostam em Bitcoin (BTC) a US$ 160 mil em 2024 e FTX fecha acordo com subsidiária nas Bahamas 
Foto: Shutterstock

mercado de criptomoedas mostra desempenho misto nesta quarta-feira (20), com as maiores moedas digitais em terreno negativo e ganhos entre as principais altcoins. Investidores de títulos vão às compras, enquanto traders de ações fazem uma pausa diante do cenário de cortes de juros em 2024. 

Bitcoin recua 0,6% em 24 horas, para US$ 42.781,37, segundo dados do Coingecko.    

Publicidade

Em reais, o BTC cai 1%, negociado a R$ 209.929,47, de acordo com o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).   

Ethereum (ETH) registra baixa de 1,1%, cotado a US$ 2.215,32.  

As altcoins vão em direções opostas, com destaque para BNB (+4,4%), XRP (+0,2%), Solana (+3,6%), Cardano (-1,8%), Dogecoin (-2,4%), TRON (+0,9%), Chainlink (-0,9%), Polkadot (+1,2%) e Polygon (-1,6%). 

Avalanche (AVAX) mostra ganho de 3,2% em 24 horas e de 16,4% em sete dias. Uma memecoin recém-lançada na Avalanche, a Coq Inu (COQ), rendeu US$ 2 milhões a um trader que apostou apenas US$ 450, segundo o CoinDesk. Outro trader teve a mesma sorte com a memecoin Dogwifhat ($WIF). 

Shiba Inu recua 2% apesar dos planos da equipe de desenvolvedores de registrar domínios SHIB para sites e e-mail associados ao token, de acordo com o Decrypt. 

Bitcoin hoje 

Analistas seguem otimistas com o desempenho do Bitcoin no ano que vem, principalmente com a expectativa de iminente aprovação de fundos com exposição direta à criptomoeda nos EUA, a maior economia do mundo.

Publicidade

A SEC, a CVM americana, deve divulgar sua resposta sobre os vários pedidos em janeiro, o que tende a dar fôlego ao rali que marcou a recuperação do Bitcoin neste ano. 

Relatório da CryptoQuant compartilhado com o CoinDesk prevê que a maior criptomoeda pode subir para pelo menos US$ 50 mil no curto prazo e chegar a US$ 160 mil em 2024, puxada pelos ETFs de Bitcoin à vista e também pelo halving, que vai reduzir pela metade a oferta do token. 

Michael Saylor, cofundador da MicroStrategy, disse que a aprovação de um ETF de Bitcoin à vista seria o maior marco de Wall Street nos últimos 30 anos, e acrescentou em entrevista à Bloomberg que o produto não ameaça o desempenho das ações da empresa, uma das maiores investidoras institucionais de BTC.

FTX fecha acordo com unidade nas Bahamas 

O novo comando da FTX, exchange de criptomoedas que entrou com pedido de recuperação judicial em novembro passado, disse na terça-feira (19) que fechou um acordo global com a subsidiária das Bahamas, a FTX Digital Markets, que conduzia um processo de liquidação separado. 

Publicidade

O acordo é “uma solução nova e mutuamente benéfica para as complexas questões jurídicas transfronteiriças levantadas pelas circunstâncias do colapso do grupo FTX”, afirmaram os administradores em comunicado. O acordo está sujeito à aprovação do Tribunal de Falências dos EUA para o Distrito de Delaware e da Suprema Corte do Tribunal das Bahamas. 

Outros destaques das criptomoedas 

Relatório da PriceWaterhouseCoopers revela que 42 países, incluindo o Brasil, avançaram regulamentações e legislação focadas em criptoativos neste ano. Esses esforços regulatórios e legislativos foram divididos em quatro áreas principais: regulamentação de stablecoins, conformidade com a chamada “travel rule”, orientação para licenças e listagens e desenvolvimento de estrutura cripto, de acordo com dados da PwC compartilhados pelo CoinDesk.  Oito países, incluindo Índia, Brasil, Turquia, Emirados Árabes Unidos e Taiwan, não abordaram regras para stablecoins em 2023. 

Nos EUA, a indústria cripto é alvo de reguladores e políticos, mas ainda não conta com uma legislação específica para o setor. Na terça-feira (20), a senadora democrata Elizabeth Warren enviou cartas a associações questionando a contratação de ex-membros do Congresso por grupos de lobby cripto nos EUA. Cartas também foram enviadas à Blockchain Association e à exchange Coinbase, segundo o site Politico

No Reino Unido, o ministro das Finanças, Jeremy Hunt, disse que vai investigar alegações de que empresas cripto licenciadas têm enfrentado dificuldades para abrir contas em bancos no país.  

Em outro sinal favorável à indústria de criptoativos, o governo da China prometeu estimular o desenvolvimento de aplicativos descentralizados e de tokens não fungíveis (NFTs), apesar do veto às negociações com criptomoedas no gigante asiático. 

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Tela de computador com logotipo da Binance e lente de aumento

Binance aumenta capital da B Fintech em 37.300%, indo de R$ 50 mil para R$ 18,7 milhões

B Fintech é o nome da Binance nos registros empresariais do Brasil
hamster kombat jogo telegram

Hamster Kombat: Veja o Daily Combo e Cipher Code desta quinta (18)

Procurando o combo diário e o código cifrado de quinta-feira, 18 de julho? Aqui está o que você precisa para ganhar moedas no jogo Hamster Kombat do Telegram
Imagem da matéria: Mercado Bitcoin finaliza o Batch #4 do Next e anuncia participação no próximo programa de aceleração

Mercado Bitcoin finaliza o Batch #4 do Next e anuncia participação no próximo programa de aceleração

A iniciativa reuniu startups com o objetivo de desenvolver soluções que aprimorassem a experiência do cliente no universo DeFi
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética