Cadeado e bitcoin
Shutterstock

A FinBlox, plataforma de empréstimos com criptomoedas com sede em Hong Kong, entrou para o rol de empresas do segmento que têm prejudicado seus clientes. Na semana passada, a corretora, que tem como investidor a Three Arrows Capital (3AC), limitou os saques a US$ 500 por dia ou US$ 1500 por mês.

Na ocasião, a Celsius Network já havia travado os saques, enquanto a Babel Finance se preparava para o mesmo anúncio no dia seguinte. No domingo, foi a vez da corretora de criptomoedas Hoo, também com sede em Hong Kong, que travou os saques de bitcoin e outros tokens em meio à crise no setor cripto. 

Publicidade

De acordo com o comunicado, a FinBlox disse que a medida foi tomada após sua equipe tomar ciência das diversas reportagens sobre um possível problema de liquidez na 3AC.

“Com base nas informações disponíveis atualmente e considerando nossa prioridade em manter a integridade da plataforma, decidimos tomar as seguintes ações enquanto buscamos todas as opções disponíveis para avaliar o efeito do 3AC na liquidez e garantir um tratamento justo de todos os ativos do usuário no sistema”, diz a nota do último dia 16.

Além de limitar os saques, a Finblox também não disse que não iria permitir a criação de novos endereços aos clientes recém-chegados e que pausaria qualquer distribuição de recompensas, isso em todos os níveis  de usuários.

A FinBlox alegou que trata-se de um conjunto de ações necessário em um mercado extremamente volátil e que as medidas devem ajudar a empresa e a comunidade no gerenciamento desses efeitos. A empresa concluiu:

Publicidade

“Em última análise, a Finblox fará tudo o que estiver ao seu alcance para proteger os fundos de nossos usuários e restabelecer nossos serviços integralmente. Forneceremos atualizações e informaremos sobre quaisquer novos desenvolvimentos o mais rápido possível, e faremos tudo o que pudermos para evitar um impacto maior em nossos usuários”.

Lista de problemas

Em comunicado no domingo (19), a corretora de criptomoedas Hoo, também com sede em Hong Kong, informou aos usuários o cancelamento de saques por conta da crise no setor cripto. A empresa justificou a medida devido ao aumento desenfreado na solicitação de retirada, o que tornou sua hot wallet (carteira online) incapaz de atender a todos os pedidos.

Na sexta (17), a empresa de empréstimos de criptomoedas Babel Finance seguiu o exemplo da Celsius Network, em pleno processo de derretimento, e também decidiu bloquear os saques de todos os clientes da plataforma.

Por sua vez, a Celsius travou os saques de todos os clientes no domingo (12), espalhando desconfiança em toda a indústria cripto. Além disso, a empresa contratou advogados para uma possível reestruturação, segundo uma reportagem do Wall Street Journal.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

Investidor acende alerta da comunidade ao ser hospitalizado após tentar fazer memecoin viralizar

O usuário foi atingido por fogos de artifício em uma live de divulgação do seu token
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX
Imagem da matéria: Mercado Bitcoin anuncia três novas listagens: BVM, RIO e AEVO

Mercado Bitcoin anuncia três novas listagens: BVM, RIO e AEVO

As novidades ampliam as opções de investimento na plataforma que já somam mais de 220 ativos
Imagem da matéria: Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Volume importado de criptomoedas mais que dobrou em abril em comparação com o mesmo período de 2023