União Europeia, EU, UE, Europa
Shutterstock

Representantes da União Europeia concordaram com a redação final de uma legislação histórica sobre criptomoedas, que pode abrir caminho para uma abordagem regulatória em toda a Europa.

O texto completo do Regulamento dos mercados de criptoativos (MiCA) foi aprovado em uma reunião de embaixadores da UE na quarta-feira (05), de acordo com uma carta da presidente do Comitê, Edita Hrdá.

Publicidade

Na carta endereçada à presidente da Comissão dos Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento Europeu, Irene Tingali, Hrdá diz que a cooperação entre o Parlamento e o Conselho permitirá a aprovação do Regulamento em primeira leitura no Parlamento.

Em junho, os formuladores de políticas concordaram com um acordo sobre o pacote legislativo após dois anos de idas e vindas.

O Regulamento, em sua forma atual, exigirá que qualquer pessoa que pretenda emitir um criptoativo publique um “whitepaper do ativo digital” contendo informações sobre o projeto. 

Entretanto, os emissores de stablecoins estarão sujeitos a requisitos mais específicos. Isso significa que os projetos precisarão manter reservas para fazer um backup do valor de seus tokens em um valor proporcional ao quanto é emitido (manter o lastro, assim dizendo). As autoridades locais poderão aumentar o montante de fundos necessários com base em quão arriscado é considerado o criptoativo.

Publicidade

O texto jurídico irá agora para o Parlamento Europeu, onde, sob reserva de aprovação, será provavelmente publicado no Jornal Oficial da União Europeia no início do próximo ano, com as regras definidas para entrar em vigor em 2024.

Temas importantes omitidos, segundo a indústria 

Os defensores das criptomoedas saudaram a notícia, mas disseram que a legislação ainda não abordou vários pontos-chave, como tokens não fungíveis (NFTs) e o futuro das Finanças Descentralizadas (DeFi).

“Isso marca o fim de uma discussão acalorada, mas necessária, entre os co-legisladores da UE, que está em andamento há mais de dois anos”, disse a European Crypto Initiative (EUCI), com sede em Bruxelas, em um comunicado.

O grupo sugeriu que um forte foco nas stablecoins na legislação era resultado de suas origens como uma resposta ao Projeto Diem do Facebook (anteriormente chamado de Libra), e que os legisladores haviam adotado uma abordagem “muito defensiva”.

Publicidade

A EUCI ainda falou que os NFTs foram excluídos do escopo de Aplicação da MiCA, criando uma incerteza se os reguladores dos Estados-Membros da UE passarem a utilizar interpretações diferentes quanto a esses ativos digitais.

Os projetos DeFi também não serão afetados pelo regulamento, mas a EUCI afirmou que estes não foram devidamente definidos no texto final.

Apesar dessas críticas, a co-fundadora do grupo, Marina Markezic, disse estar otimista sobre o impacto que a MiCA terá na indústria.

“Isso cria um novo conjunto de regras para projetos cripto—regras que mudarão a posição atual dos criptoativos como “ativos inferiores” e os transformarão em importantes participantes do universo de serviços financeiros”, disse ela. “Ao mesmo tempo, também acreditamos que a indústria deve continuar a ser capaz de inovar sem quaisquer encargos indevidos.”

UE, EUA e criptomoedas

Essa questão veio à tona quando Mairead McGuinness, Comissária Europeia responsável por serviços financeiros, disse que a Regulamentação Cripto estaria no topo da agenda das discussões com autoridades dos EUA na próxima semana.

Publicidade

Falando em um evento na Bloomberg, ela disse que a UE pretende dialogar e trocar pontos de vista e experiências com os EUA nas reuniões anuais do Fundo Monetário Internacional-Banco Mundial na semana que vem.

“Tenho certeza de que eles querem ouvir o que fizemos, como foi, quais foram os problemas”, disse ela. “Eu ficaria muito feliz em compartilhar nossa experiência, mas também em ouvir o que os EUA estão planejando fazer.”

McGuinness no início deste ano pediu um acordo global para as criptomoedas em um artigo para o The Hill, um site político dos EUA.

“Acredito que a UE e os EUA podem juntos liderar o caminho em uma abordagem internacional compartilhada para regular o setor dos criptoativos”, escreveu ela na época.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis! 

VOCÊ PODE GOSTAR
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance
Imagem da matéria: O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

Fabrício Tota, diretor do MB, discutiu no Ethereum Rio como empresas podem tirar o máximo proveito da tecnologia blockchain através da tokenização
Imagem da matéria: Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Meta é que comunidade de programadores crie soluções na XRP Ledger, blockchain usada pela empresa e que tem o token nativo XRP
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024