Imagem da matéria: Justiça de SP recebe pedido de falência da Indeal, que lesou investidores em R$ 1 bilhão
Dinheiro encontrado na casa de um dos sócios da empresa (Foto: Divulgação/PF)

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) publicou na sexta-feira (18) um pedido de falência contra a Indeal, empresa de Novo Hamburgo (RS) investigada por crime de pirâmide financeira. A petição foi feita por duas pessoas supostamente vítimas no esquema que lesou cerca de 55 mil investidores em mais de R$ 1 bilhão.

Conforme mostra o documento, que deu entrada no TJSP no último dia 12, consta como requerida a ‘Indeal Consultoria em Mercados Digitais Ltda’ com um valor da ação de R$ 144.051,25. Os impetrantes são representados por um advogado do escritório Barbosa & Sbrissa Advocacia, de Itu, interior de SP.

Publicidade

De acordo com o registro no Tribunal, o pedido será analisado pelo juiz da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais, Paulo Furtado de Oliveira Filho. O processo 1122190-41.2020.8.26.0100, de Classe ‘falência de empresários, sociedades empresariais, microempresas e empresas de pequeno porte’, está registrado como “tramitação prioritária”.

A reportagem tentou obter mais detalhes sobre a petição junto ao escritório, mas as ligações não foram atendidas. Procurado pelas redes sociais para comentar o assunto, o advogado não respondeu até a publicação deste texto.

Caso Indeal

A Indeal atuou de forma ilícita se aproveitando de investidores que apostaram em rendimentos com criptomoedas. Acreditando em promessas irreais, muitos investiram tudo o que tinham com o sonho de ficarem ricos.

O negócio assumia o compromisso de retorno de 15% ao mês em um falso fundo de investimento com bitcoin. Conforme a Polícia Federal,  foram ocultados R$ 600 milhões antes que os sócios fossem presos.

Publicidade

O fim da pirâmide veio com a intervenção da Polícia Federal. Em maio do ano passado, agentes da Operação Egypto prenderam vários suspeitos. No momento, todos respondem em liberdade.

De acordo com a investigação promovida pela Receita Federal e pela Polícia Federal do Rio Grande do Sul, a Indeal chegou a captar R$ 850 milhões no período de um ano, mas deixou um rombo de R$ 300 milhões. Mais de 55 mil pessoas foram prejudicadas.

EUA cooperam com investigações

No mês passado, o departamento de Justiça dos Estados Unidos anunciou na noite de quarta-feira (04) que congelou US$ 24 milhões (cerca de R$ 136 milhões) em criptomoedas de um brasileiro acusado de participar de um esquema de fraude.

Embora não tenha sido informado o nome da empresa, tudo leva a crer que se trata da Indeal, visto que o nome informado de quem detinha as criptomoedas ser de Marcos Antonio Fagundes, supostamente um dos cabeças do negócio.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Receita alerta sobre golpe do “erro na declaração” do Imposto de Renda; veja como se proteger

Os criminosos informam supostos erros em declarações para induzir a vítima a baixar um arquivo malicioso
Moedas de Bitcoin e Tether lado a lado

Tether detém mais de US$ 5 bilhões em Bitcoin para apoiar o USDT

A gigante das stablecoins adicionou ainda mais Bitcoin ao seu balanço no primeiro trimestre
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) recua para US$ 69 mil e FTX espera devolver fundos a clientes até fim de 2024

Com desempenho recorde no trimestre, o Bitcoin agora mira novas máximas à espera do próximo halving
Imagem da matéria: Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Atlético-MG, Bahia, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, Internacional, São Paulo e Vasco da Gama são times que integram a nova campanha da Chiliz