Daniel Shin Terraform Labs -Luna-UST-fala no Tribunal de Justiça de Seul-Coreia do Sul-Reprodução-Youtube
Daniel Shin se defende no Tribunal de Seul (Imagem: Reprodução/Youtube)

O juiz Hong Jin-pyo, do Tribunal de Justiça de Seul, Coreia do Sul, negou no último sábado (03) um pedido de prisão para o cofundador da Terraform Labs, Daniel Shin, que participou da criação da falidas criptomoedas Terra (LUNA) e Terra USD (UST).

Segundo informações do site Yonhap News Agency, apesar de o magistrado reconhecer a natureza pesada de seu crime, ele não concordou com a exigência feita pelo ministério público sul-coreano e foi contra a detenção do empresário.

Publicidade

Shin havia sido intimado a comparecer no tribunal na sexta-feira (02) para se defender de uma acusação de que ele teria lucrado com a venda de LUNA e UST antes do derretimento de ambas criptomoedas, o que causou um desastre global no mercado de ativos virtuais em maio deste ano.

Para a promotoria, Shin armazenou uma grande quantidade de LUNA emitidas sem o conhecimento da equipe Terraform Labs e embolsou lucros ilegais de cerca de US$  105 milhões ao vendê-las ainda na alta.

Por sua vez, Shin havia alegado que mais de 70% de suas participações na LUNA foram vendidas antes do aumento dos preços, e que ele ainda detinha uma quantia significativa no momento da queda da criptomoeda.

Jin-pyo também negou os demais mandados de detenção de outros sete acusados, que formam um grupo com três investidores da Terraform Labs e quatro engenheiros de blockchain que atuaram no negócio, diz a publicação.

Publicidade

Um vídeo de Daniel Shin chegando ao tribunal de Seul foi publicado pelo canal homônimo do site no Youtube. 

Onde está Do Kwon?

As autoridades sul-coreanas emitiram um mandado para o CEO e outro cofundador da Terraform Labs, Do Kwon, em setembro, com Kwon alegando que ele “não está fugindo”, apesar de ser objeto de um Alerta Vermelho da Interpol. Em outubro, seu passaporte foi revogado pelas autoridades sul-coreanas.

Os problemas legais de Kwon continuaram a aumentar, com uma ação coletiva de US$ 57 milhões levantada contra o cofundador da Terra no final de outubro.

O ecossistema Terra implodiu em maio de 2022, eliminando cerca de US$ 40 bilhões em fundos de investidores em questão de semanas. Esse colapso gerou uma onda negativa no mercado cripto, com o preço do Bitcoin e outras criptomoedas caindo, gerando também a falência de empresas cripto, incluindo a Celsius, a Voyager e a BlockFi, além da empresa de fundos hedge Three Arrows Capital.

Empresas de análise de blockchain, incluindo a Nansen e a Glassnode também relataram que o colapso da Terra levou à queda da FTX, à medida que o contágio cripto se espalhou por toda a indústria.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Empresário "vende" Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

Empresário “vende” Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

O discurso de formatura da Ohio State University incluiu defesa do Bitcoin e cantorias que chocaram o público
Imagem da matéria: Fundos cripto do Brasil e Hong Kong são os únicos com fluxo positivo na última semana

Fundos cripto do Brasil e Hong Kong são os únicos com fluxo positivo na última semana

Fundos cripto tiveram a quarta semana seguida de saídas, mas o Brasil segue com tendência positiva ao lado de Hong Kong, que se destaca com a estreia de ETFs
Imagem da matéria: Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

A AllianceBernstein concorda com os analistas do Standard Chartered e acredita que o preço do BTC mais que dobrará nos próximos 18 meses
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).