Pedro do Flamengo vai para cima de Alisson do São Paulo em final da Copa do Brasil
São Paulo e Flamengo fazem final da Copa do Brasil 2023 (Foto: Instagram/Flamengo)

O app do São Paulo Futebol Clube está oferecendo pela primeira vez ingressos tokenizados, ou seja, emitidos através de uma blockchain. A venda será para sua última partida no Brasileirão, jogo que acontece no dia 6 de dezembro contra o Flamengo no estádio do Morumbi, na capital paulista.

A nova modalidade de ingresso, chamada de “Smart Ticket”, começou a ser vendida na terça-feira (28). Segundo informações do site Exame, o teste contará com 40 ingressos, disponíveis em três lotes com preços entre R$ 200 e R$ 400.

Publicidade

O detentor do Smart Ticket terá acesso a uma série de experiências físicas e digitais, além do acesso à partida contra o Flamengo. De posse do arquivo digital, ele poderá participar de interações virtuais com o clube, além de concorrer a uma camisa autografada por jogadores, diz a publicação.

O Smart Ticket é resultado da parceria da Sportheca, TresPontoZero.io e goBlockchain, iniciativa alinhada ao Centro de Inovação do SPFC. O hub visa fomentar e gerar inovação em diferentes áreas do clube, “em um ambiente que consiste em processos de colaboração entre o SPFC e parceiros para o desenvolvimento de produtos, serviços e soluções inovadoras”.

Ingressos do São Paulo longe de cambistas

Uma dos objetivos da iniciativa é de contribuir para que ingressos cheguem diretamente às mãos do torcedor, sem passar por cambistas que custumam cobrar preços mais caros que.

Para Marcelo Nicolau, sócio e head da Sportheca, o ingresso tokenizado também permite outras utilidades além do acesso a partidas de futebol.

Publicidade

“São utilidades que o ingresso normal não oferece. Com o ingresso tokenizado você consegue alugar [uma funcionalidade ainda não disponível], revender com mais segurança e gerar uma receita secundária que hoje o clube não tem acesso. Você estabelece que, em toda venda, secundária, x% vai para o clube automaticamente”, explicou ele ao Exame.

A Sympla é outra plataforma que passou a olhar para blockchain para comercializar ingressos. Na semana passada, a empresa anunciou que irá transformar os ingressos de shows e eventos que vende em sua plataforma em tokens não fungíveis (NFTs), em uma estratégia focada em dar mais segurança para os usuários e evitar falsificações.

You May Also Like
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Gustavo Scarpa comenta processo contra Willian Bigode: “Favorável”

O jogador que investiu cerca de R$ 6 milhões em um suposto negócio de criptomoedas do ex-companheiro de clube acredita que será ressarcido
Augusto Backes em vídeo no YouTube

Augusto Backes é vítima de ataque phishing e perde R$ 1 milhão em criptomoedas

O influencer acessou um email “muito bem feito” que dizia ser do projeto Blast
Agentes da PF realizando buscas na Operação Fast

PF derruba quadrilha que aplicou golpe de R$ 100 milhões com NFTs e criptomoedas

A Polícia Federal estima que cerca de 22 mil pessoas foram vítimas no Brasil e exterior do esquema
ceo da braiscompany antonio neto ais

Homem em vídeo de academia na Argentina seria Antonio Neto da Braiscompany; veja

Antonio Neto foi condenado a 88 anos pela Justiça Federal e a CPI das Pirâmides recomendou ação do Ministério Público