Imagem da matéria: Irmão de Elon Musk lança DAO para testar “filantropia descentralizada”
Foto: Wikimedia Commons

O empresário Kimbal Musk (o irmão de Elon Musk) anunciou o lançamento de uma “DAO de doações”, descrita por ele como um experimento na “filantropia descentralizada”.

“Uau. A Web 3 está me ensinando muito. Decidi realizar um experimente para descentralizar a filantropia. Nesta Terça de Graças, estou lançando a primeira DAO de doações”, tuitou Musk.

Publicidade

“Quer ler o litepaper? Me mande uma mensagem. Feedback construtivo no Twitter é bem-vindo”, acrescentou.

Kimbal Musk é dono do Kitchen Restaurant e fundou a Big Green, uma organização sem fins lucrativos que desenvolve salas de aula ao ar livre pelos Estados Unidos. Além disso, faz parte do comitê da Tesla, a empresa de veículos elétricos de seu irmão.

Web 3.0 se refere à versão da internet desenvolvida em blockchains públicos e que é descentralizada.

Essa ideia é um contraste gritante à Web 2.0, a qual é definida pelo auge de plataformas como Facebook e Google, bem como pela centralização de enormes quantidades de dados de usuários.

O mais novo empreendimento de Kimbal também gerou apoio de muitas contas no Twitter que são favoráveis a cripto.

“Isso parece empolgante! O verdadeiro poder das criptos e do blockchain de romper a filantropia ainda será alcançado, então é ótimo ver você inovando nesse sentido”, afirmou uma conta de floki inu.

Cripto e a caridade

Essa não é a primeira vez que a Web 3 e o mundo cripto tentam entrar para a filantropia e caridade.

Publicidade

Em outubro deste ano, a organização Médicos Sem Fronteiras (ou MSF) recebeu US$ 3,5 milhões em ether por uma venda de tokens não fungíveis (ou NFTs).

“Essa doação cripto revolucionária surge em um momento em que a situação crítica da covid-19 combinada com as necessidades médicas de pessoas em todo o mundo”, afirmou Jennifer Tierney, diretora executa do MSF da Austrália.

Em outubro, até mesmo um grupo de hackers doou os lucros de ataques de ransomware para a caridade e organizações não governamentais (ou ONGs).

Os hackers (do grupo de ransomware Darkside) usaram The Giving Block (um serviço de doação à caridade em bitcoin) para realizar as doações.

O grupo alegadamente disse que o fez para “tornar o mundo em um lugar melhor”.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização de Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Comitê de Basileia aprova novas regras para bancos com exposição a criptomoedas

Comitê de Basileia aprova novas regras para bancos com exposição a criptomoedas

Nova estrutura regula a exposição dos bancos tradicionais ao ecossistema de criptomoedas para melhor análise do perfil de risco de cada instituição
Imagem da matéria: Investidores apostam mais de R$ 1 bilhão no resultado das eleições dos EUA na Polymarket

Investidores apostam mais de R$ 1 bilhão no resultado das eleições dos EUA na Polymarket

Segundo analistas da Bernstein, a Polymarket é um exemplo de como a tecnologia blockchain está trazendo maior transparência e eficiência aos mercados de apostas políticas
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pedem que EUA tratem diretor da Binance preso na Nigéria como refém

Numa resolução apresentada ao Congresso, os deputados French Hill e Rich McCormack apelaram à libertação de Tigran Gambaryan
Imagem da matéria: Cocriador da Samourai Wallet deve sair da prisão em breve e se declarar inocente

Cocriador da Samourai Wallet deve sair da prisão em breve e se declarar inocente

Defesa e promotoria debatem se réu pode esperar julgamento em Portugal onde morava ou se deve ficar em Nova York