Imagem da matéria: Irã proíbe mineração de criptomoedas por causa de apagões
Foto: Shutterstock

O Irã proibiu temporariamente a mineração de criptomoedas até setembro devido a recorrentes apagões de energia em várias cidades do país, incluindo a capital Teerã. Segundo Reuters, a medida entrou em vigor logo após as declarações do presidente Hassan Rouhani em uma reunião de gabinete nesta quarta-feira (26).

“A proibição da mineração de criptomoedas entra em vigor imediatamente até 22 de setembro. Cerca de 85% das mineradoras do Irã não são licenciadas”, disse Rouhani de acordo com a agência. A mudança é a mais recente de uma longa série de medidas tomadas para controlar a indústria de mineração de criptomoedas no país.

Publicidade

Mineração de criptomoedas no Irã

O Irã tem atraído mineradores de criptomoedas por causa do preço baixo de sua eletricidade. De acordo com a Elliptic em um relatório recente, estima-se que 4,5% de toda a mineração de bitcoin ocorra no Irã. No país, há um programa de subsídios de consumo de eletricidade onde muitas entidades pagam pouco ou até mesmo são isentas, como escolas e mesquitas. Agora, com a repressão à mineração de bitcoin na China, pode ser que o país comece a abrigar mais empresas do setor.

Vale lembrar que em julho do ano passado, o vice-presidente do Irã, Eshaq Jahangiri, decretou que as empresas de mineração de criptomoedas deveriam se registrar junto ao Ministério da Indústria, Minas e Comércio do governo do iraniano — a atividade havia sido liberada desde de 2019, no entanto houve um aumento de 7% no consumo de eletricidade no país. Quem não atendesse ao pedido, poderia ter que entregar equipamentos de mineração às autoridades, o que ocorreu em vários eventos no início deste ano.

Caçada a mineradores

Há cerca de uma semana, o porta-voz do Ministério de Energia do Irã, Mostafa Rajabi, revelou que a bola da vez serão os mineradores caseiros, alegando que eles devem enfrentar multas pesadas que posteriormente serão usadas para reparar os danos causados à distribuidora.

Ele acrescentou que a mineração de criptomoedas é uma das duas maiores ameaças ao fornecimento de eletricidade do Irã neste ano, junto com uma redução na energia proveniente de usinas hidrelétricas devido à falta de chuva.

Publicidade

Também na semana passada, o Ministério da Inteligência do Irã estabeleceu comitês em todo o país para organizar os agentes responsáveis por encontrar e fechar fazendas ilegais de mineração de criptomoedas. Os fiscalizadores também esperam contar com a ajuda da população. Para incentivar que os iranianos denunciem, o governo dobrou a recompensa dos delatores para US$ 873 (R$ 4,6 mil), um valor sete vezes maior do que o salário mínimo do país.

VOCÊ PODE GOSTAR
Logo da ftx, dólares e bitcoin

Analistas preveem alta no mercado cripto com ressarcimento bilionário a clientes da FTX

A FTX deve cerca de US$ 11 bilhões a credores, mas a massa falida conseguiu levantar mais de US$ 14 bilhões
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
moeda de Bitcoin ao lado de letreiro com ETF

Estado dos EUA investe R$ 510 milhões em ETF de Bitcoin da BlackRock

O investimento foi confirmado hoje pelo Conselho de Investimentos do Estado de Wisconsin (SWIB)
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

Parceria em tokenização entre Mercado Bitcoin e Bolt Energy democratiza acesso ao setor de energia

A parceria entre as empresas teve início em 2022