Imagem da matéria: Traders perdem milhões com a morte da criptomoeda LUNA; veja os depoimentos
Foto: Shutterstock

Uma semana antes do token LUNA iniciar sua espiral da morte – que zerou o preço da criptomoeda e gerou o “desligamento” da blockchain de todo o projeto Terra na quinta-feira (12) – o criador da criptomoeda, Do Kwon, fez o seguinte comentário em uma entrevista: “95% [das moedas] vão morrer, mas também há entretenimento em ver as companhias morrer”.

O comentário soa irônico em meio à morte de LUNA e da profunda crise que afeta todo o mercado de criptomoedas. Quem não está achando graça são os investidores que compraram as promessas do projeto e que, quando os gráficos começaram a ficar vermelho, tentaram fazer hold do token – um apelo, inclusive, do próprio Kwon.

Publicidade

Dessa forma, apareceram depoimentos nas redes sociais nesta quinta-feira de quem pagou para ver e agora lamenta a perda de valor em suas carteiras. Alguns deles são de investidores peso-pesados, que tiveram prejuízos na casa dos milhões.

Assistindo a queda ao vivo

Um deles é o investidor Carl Runefelt, do canal The Moon. Ele perdeu US$ 1,6 milhão em LUNA, mas pelo menos tem um consolo: um vídeo publicado na quarta-feira, que mostra sua reação à desvalorização da criptomoeda, já tem mais de 100 mil visualizações.

“O preço não para de cair e parece que estamos indo cada vez mais próximo do zero. O que significa que muito em breve a LUNA que tenho não vai valer nada”, disse o YouTuber, já prevendo que algo ruim iria acontecer em breve.

Como se levar um prejuízo de US$ 1,6 milhões ainda não fosse suficiente, Runefelt comprou mais US$ 200 mil em LUNA quando a cotação da moeda caiu para US$ 1, na esperança de lucrar com uma eventual reação futura.

Publicidade

“Tem muitos rumores, mas se você for no Twitter vai ver que a equipe da LUNA diz ter um plano para fazer tudo voltar ao normal. Eu estou apostando aqui, eu sei que pode ir para zero, mas vamos ver”, relatou.

No dia seguinte, LUNA atingiu US$ 0,01, o seu menor preço da história – uma desvalorização de 99,9% desde a máxima de US$ 119, alcançada no mês passado.

“Tudo bem”

Outro relato veio do famoso YouTuber KSI, que possui mais de 15 milhões de inscritos no seu canal no site de vídeos. Na manhã de quinta-feira (12), ele foi no Twitter assumir que levou um prejuízo de mais de US$ 2 milhões com a desvalorização da LUNA.

“Meus US$ 2,8 milhões valem literalmente US$ 1 mil”, escreveu na sua mensagem, acompanhada com um screenshot que mostra sua carteira com 157,357 BTC.

Publicidade

Pouco antes disso, ele compartilhou na rede social um relato de que, antes, o dinheiro era a força motriz da sua vida, mas que a obsessão em ficar rico foi “lentamente destruindo as coisas que eram importantes”, e por isso foi procurar ajuda profissional.

“Agora estou finalmente em paz comigo mesmo. Coloquei 2,8 milhões naquela compra da Luna e agora vale menos de 50 mil. Mas tudo bem porque eu não estou morto. Eu tenho minha família, meus amigos e minha ética de trabalho vigorosa”, afirma.

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

Parceria em tokenização entre Mercado Bitcoin e Bolt Energy democratiza acesso ao setor de energia

A parceria entre as empresas teve início em 2022
Foco em uma moeda dourada de Ethereum (ETH)

Aprovação do ETF de Ethereum pode acontecer antes do esperado, diz Coinbase

Maior exchange de criptomoedas dos EUA, a Coinbase está confiante de que a SEC aprovará ETFs de Ethereum à vista muito em breve, apesar do pessimismo mais amplo
Imagem da matéria: Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

“Somente em criptomoeda.” A memecoin Pacmoon recompensou um usuário com um grande airdrop – que foi maior do que o esperado graças ao erro de um amigo
Imagem da matéria: BNDES planeja lançar em agosto o piloto da Rede Blockchain Brasil

BNDES planeja lançar em agosto o piloto da Rede Blockchain Brasil

Blockchain deve chegar com casos de uso: diploma digital pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa e uma cadeia de custódia de provas