Imagem da matéria: Índios denunciam presença de empresa de NFT na Amazônia e MP abre investigação
Foto: Shutterstock

O Ministério Público Federal (MPF) acionou a empresa Nemus, que vende tokens não fungíveis (NFT) que representam áreas florestais do município de Pauini, no sul do Amazonas, para que apresente os títulos de propriedade das terras que alega possuir na região.

A empresa afirma em seu site que comprou terras em áreas sob risco na Amazônia e que irá criar uma organização autônoma descentralizada (DAO) para montar um fundo que financie ações sociais para preservar a região.

Publicidade

O dinheiro será levantado pelos NFTs vendidos, que teoricamente correspondem a trechos específicos de cada terreno.

Agora, conforme comunicado para imprensa, o MPF estabeleceu o prazo de 15 dias para que a empresa preste esclarecimentos sobre os projetos divulgados na internet e o tipo de exploração que pretende realizar na região de Pauini, apresentando eventual documento, autorização pela Fundação Nacional do Índio (Funai) ou outro órgão público para atuação na área.

Site da Nemus explica como se dá a suposta ação social com NFTs (Imagem: Reprodução/Nemus)
Site da Nemus explica como se dá a suposta ação social com NFTs (Imagem: Reprodução/Nemus)

O MPF destaca ainda que, para a eventual realização de projetos na região, é necessário cumprir os requisitos previstos na Convenção n. 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que inclui consulta prévia, livre e informada aos povos potencialmente afetados na região do rio Seruini e no município de Pauini.

A empresa Nemus deverá apresentar ao MPF os documentos que demonstrem que a consulta foi realizada. O caso será acompanhado pela entidade por meio de procedimento administrativo próprio.

Disputa por terras indígenas

A venda de NFTs correspondentes a áreas florestais em Pauini foi relatada ao MPF por lideranças do povo indígena Apurinã, que ocupa tradicionalmente o território indígena reivindicado Baixo Seruini/Baixo Tumiã.

O grupo de trabalho que foi constituído em 2012 não concluiu o estudo de identificação da terra indígena naquele ano, sendo prorrogado para 2013, sem que fosse concluído mais uma vez. O Relatório Técnico de Identificação e Delimitação só foi concluído, anos depois, após atuação do MPF, mas não foi publicado até o momento.

Publicidade

Em razão da não conclusão do processo de demarcação da terra, os indígenas têm relatado a violação de direitos, incluindo pressões realizadas pela empresa Nemus, que vende os NFTs da região.

Conforme relatos dos indígenas, a empresa manifestou interesse em explorar os castanhais localizados dentro do território indígena, com a abertura de pista de pouso e estrada entre o rio Seruini e o município de Pauini, utilizando máquinas pesadas, mas sem apresentar mais esclarecimentos, documentos ou autorizações formais dos órgãos públicos.

De acordo com as lideranças Apurinã, pessoas da empresa entregaram uma placa para as aldeias, com escritos em inglês, e solicitaram aos indígenas, que mal sabem ler, assinaturas em documentos sem os esclarecimentos quanto ao conteúdo e nem fornecimento de cópia.

Diante da demora da Funai na conclusão do processo de demarcação da terra indígena Baixo Seruini/Baixo Tumiã, o MPF encaminhou ofício à fundação para que informe, no prazo de 15 dias, sobre a publicação do Relatório Técnico de Identificação e Delimitação, que segundo informações das lideranças indígenas, já está sob análise da presidência da instituição.

Publicidade

Maior Exchange da América Latina, no MB você negocia tokens, DeFi, renda fixa digital, NFTs e, claro, criptomoedas. E tudo no painel de negociação mais seguro do mercado. Abra sua conta gratuita!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin ganha força à espera de dados de emprego nos EUA; Paraguai propõe suspender mineração cripto

Manhã Cripto: Bitcoin ganha força à espera de dados de emprego nos EUA; Paraguai propõe suspender mineração cripto

Bitcoin e Ethereum vão em direções opostas nesta sexta-feira (5), com investidores globais atentos aos dados do mercado de trabalho nos EUA
Imagem da matéria: Berachain: a mais recente rival de Ethereum e Solana que arrecadou muito dinheiro

Berachain: a mais recente rival de Ethereum e Solana que arrecadou muito dinheiro

Fundada por desenvolvedores com nomes com temas de urso, Berachain é construída no Cosmos SDK e pretende ser a próxima grande cadeia de camada 1
Imagem da matéria: Veja quem são as 22 pessoas mais ricas do setor de criptomoedas em 2024

Veja quem são as 22 pessoas mais ricas do setor de criptomoedas em 2024

Conheça as pessoas mais ricas do mercado cripto que apareceram na lista de bilionários da Forbes de 2024
Imagem robótica surge em sala escura de informática

IA de Elon Musk tem a segurança mais fraca, enquanto chat da Meta se destaca, diz pesquisa

Pesquisadores usaram uma abordagem de manipulação lógica linguística para perguntar ao Grok como seduzir uma criança