Imagem da matéria: Homem é baleado na frente do filho ao cobrar dívida de suspeito por golpe de pirâmide financeira
Foto: Divulgação

A cobrança de dinheiro perdido em um negócio suspeito de pirâmide chamado Orion Partner terminou com a vítima do golpe baleada na frente do próprio filho, uma criança de 8 anos de idade, que também foi ameaçada. O incidente ocorreu na manhã de quarta-feira (16) em Itamonte, município do sul de Minas Gerais e foi registrado em vídeo.

A vítima, um paulista que foi até o interior de Minas e acampou em frente a casa de Fabrício Ramos, acusado de ser o autor do disparo, para tentar reaver o dinheiro foi alvejado com um tiro no ombro no meio a uma discussão com Ramos e a mãe dele que chegou a ameaçar a bater na criança com um cabo de vassoura.

Publicidade

A delegada Camila Pacheco Monteiro, titular da Delegacia de Polícia Civil em Itamonte, responsável pela investigação, disse ao Portal do Bitcoin que o inquérito ainda está em fase inicial e que que o crime ocorreu por volta das 7h. O investigado se apresentou à delegacia 10 horas depois do ocorrido.  

Não se sabe ainda o quanto que essa vítima, que não teve sua identidade revelada, teria perdido nesse negócio. Mas promessa de ganhos era sedutora — prometia retorno de até 240% sobre o capital aplicado em 5 meses. O paulista, após ter sido socorrido pelo vizinhos, afirmou aos policiais que havia perdido a própria casa e teve graves problemas financeiros após investir no suposto esquema de pirâmide. 

Caso de polícia

Conforme a delegada, ao chegar à delegacia, Ramos prestou depoimento e entregou a arma utilizada no crime, um revólver calibre 38. Em seguida, foi liberado pois o caso não se tratava de flagrante.

Arma foi entregue pelo suspeito (Foto: Polícia Civil)

Segundo Monteiro, para que houvesse o flagrante ‘“ele teria de ser perseguido e então encontrado na posse do instrumento do crime, o que não ocorreu”.

Publicidade

Cobrança de dívida

O acusado de ser o autor do disparo afirmou à polícia que o homem estava em sua rua para cobrar uma dívida que sequer era dele.

“Ele revelou em depoimento que esse homem estava cobrando uma dívida de terceiro, o que não tem como a gente saber ainda. Precisamos de comprovante e saber da parte da vítima o motivo”, contou a delegada.

De acordo com Monteiro, o depoimento da vítima será colhido após ela ter alta. O paulista, apesar de não correr risco de morte, está em observação num hospital da cidade que não teve o nome revelado. 

O que se sabe é que o homem afirmou aos policiais que estava em busca de seu dinheiro aportado na Orion Partner. Após ele ter perdido a própria casa, decidiu fazer o protesto em frente a casa do suspeito até que conseguisse conversar sobre a questão. 

Publicidade

Investigação em andamento

A delegada, porém, chamou a atenção de que esse fato sobre a venda da casa precisa ser ainda investigado.

Ela afirmou que, pelo depoimento de Fabrício, a vítima já estava lá acampada há cerca de quinze dias e essa não teria sido a primeira vez que ele abordava o responsável pela Orion. Antes desse incidente, segundo o depoimento, o homem teria até lançado pedras contra a residência. 

Além de Fabricio, a Polícia Civil de Minas Gerais vai indiciar também a mãe do acusado que aparece no vídeo ameaçando com um cabo de vassoura a criança de 8 anos. A vítima também será indiciada pelo fato de expor uma criança a situação de vulnerabilidade.

Ela afirmou que as diligências vão continuar e após isso o caso será levado para a Justiça.

“A gente vai ouvir as testemunhas, esperar a vítima ter alta do hospital para explicar como foi toda a situação e investigar os envolvidos”.

Ramos não foi encontrado pela reportagem para comentar o caso.

Orion Partner, o esquema

A Orion Partner se define como “Comunidade de Ajuda Mútua, onde as pessoas se ajudam através de doações onde o sistema irá conectar doador com recebedor, de forma real e transparente”.

Ela nem sequer possui CNPJ no Brasil. O site está fora ar. O negócio é contraditório: ao mesmo tempo que afirma não ser investimento, promete 50% de lucro a cada dez dias.

Publicidade

Numa explicação sem sentido algum, a Orion promete essa lucratividade com doações que podem ser feita por meio de bitcoin e até mesmo pela Urpay, a empresa de pagamentos que era usada pela Unick Forex e outras empresas suspeitas de pirâmide. 

O site da empresa já está fora do ar, mas o chamado link de indicação com o nome de Ramos ainda pode ser identificado como idealizador do esquema.

As denúncias no Reclame Aqui totalizam 28, sendo que nenhuma foi respondida e todas tratam da falta de pagamento. A primeira delas foi apresentada há dez meses e nada foi resolvido até então. 

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Marcos Pasquim promove Mineradora Manah

Manah: Mineradora de ouro promovida por galãs da Globo é acusada de dar calote em investidores

Promovida por Márcio Garcia e Marcos Pasquim, a Mineradora Manah prometia pagar 3% ao mês aos investidores, mas agora está sendo acusada de calote no Reclame Aqui e nas redes sociais
Imagem da matéria: Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao "Faraó do Bitcoin"

Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao “Faraó do Bitcoin”

Réu é acusado de ser responsável pela segurança do criador da GAS Consultoria e vender armas para a organização criminosa
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken