Imagem da matéria: Hackers invadem carteira de plataforma NFT e roubam US$ 18 milhões em criptomoedas
Foto: Shutterstock

Hackers foram capazes de roubar mais de US$ 18,1 milhões em criptomoedas após invadir as carteiras do Lympo, plataforma de negociações de NFTs esportivos da Animoca Brands, grande investidora da indústria cripto e desenvolvedora do metaverso The Sandbox.

A equipe do Lympo explicou em nota publicada no início da semana que os invasores conseguiram acessar pelo menos dez carteiras operacionais da plataforma.  Ao quebrar o acesso a essas carteiras, eles roubaram aproximadamente 165,2 milhões de Lympo Market Token (LMT), o token de utilidade do projeto.

Publicidade

Levando em conta que no momento do incidente o LMT valia US$ 0,11, a estimativa é que os invasores tiveram um potencial lucro de US$ 18,1 milhões com o ataque.

As carteiras exploradas eram hot wallets (carteiras quentes), conectadas à internet e ideais para a movimentação constante de fundos. Apesar da agilidade, elas são consideradas mais vulneráveis a ataques do que as cold wallets (carteiras frias) que armazenam criptomoedas offline.

“Observe que a maior parte da reserva de LMT fica em um armazenamento cold wallet e permaneceu segura e descomprometida durante todo o incidente”, alertou o Lympo.

Mesmo assim, a equipe por trás do projeto teve que tomar medidas drásticas para evitar que mais criptomoedas fossem roubadas e diminuir o estrago já feito.

Publicidade

Uma dessas decisões foi remover de forma temporária o LMT que estava em vários pools de liquidez para dificultar a liquidação por parte dos invasores e para “minimizar a interrupção dos preços dos tokens após o hack”.

A estratégia lembra o que fez o jogo blockchain Illuvium em 5 de janeiro após serem encontradas falhas nos seus contratos inteligentes de staking. A equipe do projeto decidir tirar toda a liquidez dos pools de aILV, o que fez o token cair 98%. De forma semelhante, o LMT do Lympo também sofreu quedas bruscas de preço.

A queda do LMT

Como dito anteriormente, o LMT valia US$ 0,11 antes das carteiras do Lympo serem esvaziadas pelos hackers. Segundo dados do CoinGecko, nas horas posteriores ao ataque o preço da criptomoeda derreteu de US$ 0,11 para uma mínima de US$ 0,003  — uma desvalorização de 97%.

No dia seguinte ao ataque, o token conseguiu se recuperar levemente da grave queda e voltar para US$ 0,02, mas não por muito tempo. O ativo intensificou as quedas ao longo da semana e neste domingo (16), é negociado por volta de US$ 0,005. Nos últimos sete dias, o LMT continua acumulando perdas de 94%.

Publicidade

No Twitter, o perfil do Lympo pediu que os usuários interrompessem suas negociações com a criptomoeda: “Estamos investigando o incidente e como podemos compensar isso para nossa comunidade. Neste ponto, recomendamos não comprar ou vender tokens LMT adicionais”.

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Imagem da matéria: Semana Cripto: ETFs de Ethereum recebem sinal verde; Dogecoin dispara com tweet de Elon Musk

Semana Cripto: ETFs de Ethereum recebem sinal verde; Dogecoin dispara com tweet de Elon Musk

Muitas coisas inesperadas aconteceram esta semana, mas o mercado estava atento e engajado
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

ETF de Bitcoin da BlackRock agora detém mais BTC do que sua rival, a tradicional Grayscale Bitcoin Trust
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

A animação dos investidores fez aumentar em 219% o volume de negociação do Ethereum nas últimas 24 horas