Imagem da matéria: Hackers invadem sistema de empresa de Roraima e pedem resgate de R$ 4.800 em bitcoin
(Foto: Shutterstock)

A Polícia Civil de Boa Vista, em Roraima, registrou a ocorrência de um ataque cibernético a uma empresa de contabilidade. De acordo com o G1, os criminosos exigem US$ 1.200 em bitcoin, cerca de R$ 4.800, para liberar o sistema que foi criptografado.

“Eles criptografaram todos os nossos bancos de dados. Nossa empresa presta serviço de contabilidade pública”, explicou um funcionário, segundo a reportagem.

Publicidade

Ele revelou ainda que logo após o ocorrido entrou em contato com o desenvolvedor que criou o sistema e o profissional confirmou a invasão.

“Ele disse ser comum este tipo de crime no Brasil e que vem ocorrendo muito. Não temos certeza da nacionalidade de um hacker desse. De onde age. Acredito que não é de Boa Vista”, afirmou o funcionário.

Os hackers sabem muito bem que a maioria das pessoas não conhecem praticamente nada ainda sobre o mercado de criptomoedas, como transferir um criptoativo, por exemplo.

Por isso, os invasores elaboraram um texto com perguntas e respostas e deixaram o método a ser adotado para a recuperação dos arquivos mediante o pagamento de ‘resgate’.

Publicidade

Ele deixaram as seguintes mensagens, em inglês e espanhol, assim traduzidas: “Nós sentimos, mas seus arquivos foram criptografados”; “Não se preocupe, podemos ajudar a recuperar todos os seus arquivos”.

Junto, um cronômetro do tempo para pagamento dos bitcoins. O funcionário nada pode fazer a não ser procurar a polícia.

“Ao longo de dez anos fomos juntando nossos arquivos. Cada ano, fazemos um banco de dados. Quando ocorreu isso, a nossa base ficou corrompida”, completou o colaborador da empresa.

Os cibercriminosos fixaram o prazo de ‘1dia:23h:53:39’ para pagamento. Caso não fosse cumprido, o valor dobraria. O funcionário, segundo o G1,  disse que será feito uma perícia no sistema contábil nos equipamentos comprometidos.

Publicidade

Ataques como este são frequentes

Ransomwares, programas maliciosos geralmente usados nestes tipos de invasão, tornaram-se mais frequentes com a popularização das criptomoedas por permitirem envio anônimo de valores, como pagamento de resgates.

No final do mês passado, o sistema de logística do porto de San Diego, na Califórnia, sofreu o mesmo ataque e o sistema de registro de cargas, bem como o de autorização para novas chegadas foram afetados.

De acordo com as autoridades, também foram recebidas mensagens exigindo pagamento em Bitcoin para que o sistema voltasse ao normal. No entanto, a administração do Porto negou que iria colaborar com os criminosos.

Em agosto, um hacker invadiu o sistema do hospital da Santa Casa do Pirajuí, no interior de São Paulo. A instituição se recusou a pagar pelo resgate e acabou perdendo vários dados clínicos sobre os pacientes. Até programas usados em procedimentos médicos tiveram de ser reinstalados.

Na cidade de Atlanta, nos Estados Unidos, um ataque semelhante invadiu todo o sistema de computadores da região e os cibercriminosos exigiram o pagamento de US$ 51 milhões em bitcoins. Como as autoridades da cidade se recusaram a pagar, diversas empresas e indivíduos perderam grande parte de seus documentos e arquivos.

Publicidade

Não é de agora

Em 2017, o ransomware ‘Petya’ invadiu mais de 100 mil computadores em todo o mundo, impedindo o acesso a contas e arquivos pessoais e de trabalho.

Muitos acabaram pagando os bitcoins esperando retomar o controle de seus dados, nem sempre com sucesso. O Petya usou técnicas de hacking desenvolvidas pela Agência de Inteligência dos Estados Unidos (NSA) para fazer o ataque.


Procurando o melhor lugar para fazer seus trades?

A Huobi, exchange líder em ativos digitais, chegou ao Brasil! Crie sua conta em menos de 1 minuto. Plataforma em português, mais de 150 altcoins, taxa de apenas 0,20%, liquidez e muita segurança, acesse: https://www.huobi.com/

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

ETF de Bitcoin da BlackRock agora detém mais BTC do que sua rival, a tradicional Grayscale Bitcoin Trust
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
Três policiais na porta de suspeito de tráfico de drogas no MT

Servidor que usava sistema de secretaria para vendas de drogas com criptomoedas na dark web é preso no MT

A plataforma de comércio ilegal de entorpecentes funcionava através da rede Tor