moeda de Bitcoin à frente do logotipo do Goldman Sachs
Shutterstock

O CEO da Goldman Sachs, David Solomon, disse que acha que o Bitcoin e as moedas digitais em breve experimentarão uma “grande evolução”, particularmente no que diz respeito às regulamentações nos Estados Unidos.

O chefe de um dos maiores bancos do mundo fez os comentários hoje durante uma entrevista à CNBC. Ele não revelou muito sobre o que o Goldman Sachs estava fazendo quando se tratava de Bitcoin, sugerindo que o cenário regulatório atual nos EUA impede o banco de fazer isso. Mas Solomon deixou claro que o Goldman está de olho nas criptomoedas – devido à crescente demanda dos clientes.

Publicidade

“Continuamos a pensar sobre a moeda digital e a digitalização do dinheiro de uma forma muito proativa”, disse ele, acrescentando que existem “requisitos regulamentares significativos” em relação ao movimento para lidar com criptomoedas. O Goldman Sachs planeja começar a oferecer produtos de investimento Bitcoin para seus clientes de wealth management e recentemente anunciou a reabertura de sua mesa de negociação de criptomoedas.

Quando questionado se ele gostaria de atuar com serviços de cripto, e se os lobistas em DC estão tendo alguma sorte para conseguir “mudanças nas regras” que impedem o Goldman de fazer isso, ele disse: “Acho que este é um espaço que é uma evolução, este é um espaço que procuramos ofertar aos nossos clientes. Acho que haverá uma grande evolução na forma como isso evoluirá nos próximos anos.”

Ele acrescentou que o banco está engajado com seus clientes e atento aos regulamentos para ver como seguir em frente.

As regulações relativas ao Bitcoin e outras criptomoedas permanecem complicadas, pois diferentes agências governamentais buscam posições concorrentes e às vezes contraditórias sobre esses ativos. A SEC, por exemplo, regula a negociação de títulos e reclama autoridade sobre a maioria dos tokens baseados em Ethereum que foram vendidos nos Estados Unidos como uma forma de arrecadar fundos para startups. A CFTC supervisiona o mercado de derivativos de Bitcoin, como contratos de futuros e opções em bolsas como Bakkt e CME.

Publicidade

A Goldman Sachs, de uma forma ou de outra, exporá seus clientes ao Bitcoin. A empresa entrou com um pedido na SEC no mês passado para um novo produto de investimento que rastreia o ARK Innovation ETF – que é investido no Grayscale Bitcoin Trust.

O banco é a última instituição a manifestar interesse, ainda que cauteloso, por ativos digitais. Os principais bancos têm opiniões divergentes sobre as criptomoedas descentralizadas e são cuidadosos sobre como abordar e investir nelas.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos
Maquinas mineração de Bitcoin apreendidas em La Colmena, Distrito de Paraguarí

Paraguai apreende centenas de máquinas de mineração de Bitcoin em nova ofensiva ao setor

Autoridades já confiscaram mais de 9.000 mil equipamentos nas últimas semanas
Vitalik-Buterin-Ethereum

Vitalik explica o motivo dos “Grandes Blocos” terem perdido guerra de escalabilidade do Bitcoin

Criador do Ethereum revisitou a “guerra do tamanho dos blocos do Bitcoin”, repensando sua aliança com o campo “grande bloco”
moeda de bitcoin exposta à frente de fundo escuro

Pesquisadores recuperam senha perdida há 11 anos de carteira com R$ 16 milhões em Bitcoin 

Contratada por um investidor, a dupla Joe Grand e Bruno fizeram engenharia reversa em um software para obter sucesso e restabelecer o acesso a 43,6 BTCs