Imagem da matéria: Governo da Venezuela vai monitorar criptomoedas em tempo real
Venezuela criou a Sunacrip, agência responsável por fiscalizar setor cripto (Foto: Shutterstock)

O governo da Venezuela irá criar ferramentas para monitorar em tempo real transações que envolvem criptomoedas e moedas estrangeiras. O anúncio foi feito via Twitter no dia 22 de dezembro e é mais um capítulo da disputa entre o Estado e os criptoativos no país sul-americano.

No comunicado feito pelo Twitter, a Superintendência das Instituições Bancárias (Sudeban) disse que irá atuar junto com a Superintendência Nacional de Criptoativos (Sunacrip) e a Unidade Nacional de Inteligência Financeira (Unif), “para definir mecanismos de supervisão em tempo real com o objetivo de combater práticas irregulares que atentam contra a moeda nacional e a estabilidade do mercado de câmbio”.

Publicidade

Os venezuelanos estão entre os principais usuários de criptomoedas da América Latina. Elas são vistas entre parte da população como uma alternativa frente à inflação e à desvalorização da moeda local.

O governo da Venezuela lançou em 2018 sua criptomoeda própria, que recebeu o nome de Petro. O país inclusive fez uma apresentação formal da criptomoeda para os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), na esperança de que essas nações passassem usar Petro como unidade de conta na negociação do recuros natural.

Cerco ao setor cripto

Em junho deste ano, a Sunacrip apertou a fiscalização contra venezuelanos que negociam criptomoedas em exchanges e provedores de carteira – ou outras plataformas do setor que não possuem autorização de funcionamento do governo da Venezuela.

A Providência Interna nº 054, que anuncia a medida, não detalha quais sanções os investidores pegos infringindo a norma podem sofrer. Apesar disso, o decreto constituinte que regula o setor cripto no país já estabelece penalidades para quem cometer infrações por “falta de autorização” do governo.

Publicidade

Um trecho da lei diz que aqueles que “operam ou exercem qualquer tipo de atividade relacionada à constituição, emissão, organização, operação e uso de criptoativos sem a devida autorização do órgão dirigente […] serão sancionados pelo ordenamento jurídico aplicável”.

A punição estabelecida no decreto, de acordo com a publicação, seria atrelada ao petro — a criptomoeda nacional da Venezuela —, e poderia chegar ao equivalente a cerca de R$ 70 mil.

Como será o mercado de criptomoedas em 2023? Clique aqui e descubra no relatório gratuito do time de Research do MB

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

A mineração de Bitcoin é feita com energia do vulcão Tecapa, usando 300 processadores voltados para essa atividade
Números e letrs douradas sob um placa formam símolo do Real brasileiro

5 vantagens da tokenização de ativos do mundo real (RWA) | Opinião

Para o autor, a custódia de RWA tokenzados é um elemento crucial para a democratização do acesso aos investimentos
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

MB lança Fist, primeiro token de Renda Variável Digital no setor de energia elétrica

O investimento, disponível pela primeira vez para pessoa física, possui validade de 30 anos, com dividendos que variam de 0,9% a 1,2% ao mês
Imagem da matéria: Desenvolvedor da Solana rouba R$ 1,6 milhão de investidores para apostar em jogos de azar

Desenvolvedor da Solana rouba R$ 1,6 milhão de investidores para apostar em jogos de azar

“O que vier a seguir está nas mãos de Deus”, disse o dev após assumir o roubo