Imagem da matéria: Governo da Venezuela vai monitorar criptomoedas em tempo real
Venezuela criou a Sunacrip, agência responsável por fiscalizar setor cripto (Foto: Shutterstock)

O governo da Venezuela irá criar ferramentas para monitorar em tempo real transações que envolvem criptomoedas e moedas estrangeiras. O anúncio foi feito via Twitter no dia 22 de dezembro e é mais um capítulo da disputa entre o Estado e os criptoativos no país sul-americano.

No comunicado feito pelo Twitter, a Superintendência das Instituições Bancárias (Sudeban) disse que irá atuar junto com a Superintendência Nacional de Criptoativos (Sunacrip) e a Unidade Nacional de Inteligência Financeira (Unif), “para definir mecanismos de supervisão em tempo real com o objetivo de combater práticas irregulares que atentam contra a moeda nacional e a estabilidade do mercado de câmbio”.

Publicidade

Os venezuelanos estão entre os principais usuários de criptomoedas da América Latina. Elas são vistas entre parte da população como uma alternativa frente à inflação e à desvalorização da moeda local.

O governo da Venezuela lançou em 2018 sua criptomoeda própria, que recebeu o nome de Petro. O país inclusive fez uma apresentação formal da criptomoeda para os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), na esperança de que essas nações passassem usar Petro como unidade de conta na negociação do recuros natural.

Cerco ao setor cripto

Em junho deste ano, a Sunacrip apertou a fiscalização contra venezuelanos que negociam criptomoedas em exchanges e provedores de carteira – ou outras plataformas do setor que não possuem autorização de funcionamento do governo da Venezuela.

A Providência Interna nº 054, que anuncia a medida, não detalha quais sanções os investidores pegos infringindo a norma podem sofrer. Apesar disso, o decreto constituinte que regula o setor cripto no país já estabelece penalidades para quem cometer infrações por “falta de autorização” do governo.

Publicidade

Um trecho da lei diz que aqueles que “operam ou exercem qualquer tipo de atividade relacionada à constituição, emissão, organização, operação e uso de criptoativos sem a devida autorização do órgão dirigente […] serão sancionados pelo ordenamento jurídico aplicável”.

A punição estabelecida no decreto, de acordo com a publicação, seria atrelada ao petro — a criptomoeda nacional da Venezuela —, e poderia chegar ao equivalente a cerca de R$ 70 mil.

Como será o mercado de criptomoedas em 2023? Clique aqui e descubra no relatório gratuito do time de Research do MB

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: "Compre Bitcoin": trailer vazado do GTA 6 veio com anúncio clandestino da criptomoeda

“Compre Bitcoin”: trailer vazado do GTA 6 veio com anúncio clandestino da criptomoeda

Ao que tudo indica, a pessoa que vazou o trailer do GTA 6 é um grande entusiasta do Bitcoin
Imagem da matéria: ABCripto anuncia Banco Topázio como novo associado

ABCripto anuncia Banco Topázio como novo associado

Com atuação nacional, o banco é especializado nos segmentos de câmbio, crédito e bank as a service e opera desde 2015
Imagem da matéria: R$ 6,8 bilhões em Bitcoin foram sacados de corretoras em novembro, aponta Glassnode

R$ 6,8 bilhões em Bitcoin foram sacados de corretoras em novembro, aponta Glassnode

Em geral, quando os investidores transferem seus ativos de corretoras para suas próprias wallets, se preparam para segurar Bitcoin a longo prazo
Imagem da matéria: Standard Chartered prevê qual preço o Bitcoin vai bater em 2024

Standard Chartered prevê qual preço o Bitcoin vai bater em 2024

O banco multinacional britânico voltou à sua posição de alta em relação ao Bitcoin à medida que mais sinais se tornam verdes