Imagem da matéria: Governo da Argentina quer fiscalizar quem está comprando Bitcoin no país
(Foto: Shutterstock)

O governo da Argentina está reprimindo a negociação de criptomoedas no país para acabar com a lavagem de dinheiro e outras atividades ilegais. Mas as medidas mais recentes do país contra o Bitcoin e outras criptomoedas podem, de fato, ter mais a ver com uma tentativa de impedir uma desvalorização adicional de sua moeda nacional, o peso, segundo analistas.

De acordo com uma reportagem do jornal argentino El Cronista, a Unidade de Informações Financeiras (FIU) do país, uma agência governamental que monitora o cumprimento das leis contra lavagem de dinheiro, está buscando controles mais rígidos sobre o comércio de criptomoedas.

Publicidade

“Recentemente, vimos um aumento nas operações realizadas por meio de ativos virtuais”, disse o presidente da FIU, Carlos Alberto Cruz, em comunicado na semana passada. Essas transações “podem ser realizadas por pessoas que pretendem burlar os padrões internacionais e evitar a regulação [anti-lavagem de dinheiro]”, afirmou.

A FIU disse que pretende reunir mais informações sobre indivíduos e entidades envolvidas em negociação de criptomoedas e ordenou uma grande quantidade de instituições, que vão desde bancos e empresas de cartão de crédito a bolsas e fundos mútuos, para denunciar atividades suspeitas. Outras entidades, como empresas de correio, corretoras de ações, ONGs e até galerias de arte e ligas esportivas, estarão sob maior escrutínio pela FIU.

Mas o momento da mudança é revelador. Como El Cronista observou, a ordem da FIU chega no momento em que o governo está enfrentando “mercados de câmbio paralelos” que vêem cidadãos argentinos despejando pesos por moedas estrangeiras mais estáveis.

Como Franco Amati, fundador do Buenos Aires Bitcoin Center, explicou no Twitter, o governo argentino está essencialmente tentando impedir a prática de cidadãos comprando Bitcoin com pesos argentinos e convertendo esses Bitcoins em dólares americanos em bolsas estrangeiras.

Publicidade

Enquanto isso, o volume de negociação de Bitcoin na Argentina está em ascensão, aumentando quase na mesma velocidade em que sua economia está em declínio. De fato, a Argentina começou 2020 com um aumento significativo em negociação de Bitcoin nas plataforma p2p, e o BTC negociou em vários momentos do ano com um ágio dentro do país. (Curiosamente, o mesmo também aconteceu brevemente com a stablecoin DAI, que também é muito popular na Argentina.)

Outros analistas também foram ao Twitter para expressar suas preocupações. O trader e analista de cripto da Venezuela, David Battaglia, condenou a medida como uma manobra destinada a “confiscar a pouca riqueza que os argentinos deixaram”.

O advogado e investidor mexicano Micky Sierra também alertou que a situação pode se tornar perigosa para os investidores na Argentina, caso a FIU comece a buscar a apreensão de fundos de criptomoedas que suspeita estarem envolvidos em atividades ilegais.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt.co

BitcoinTrade: Negocie criptomoedas com segurança e agilidade!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. 95% dos depósitos aprovados em menos de 1 hora! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Anic de Almeida Peixoto Herdy é casada com herdeiro da Unigranrio

Herdeira é sequestrada em Petrópolis e criminosos exigem resgate em Bitcoin

Técnico de informática amigo do casal conversou com sequestradores por entender de criptomoedas e foi preso por suspeita de envolvimento
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito