Imagem da matéria: Gestora brasileira toca sino de abertura da bolsa de NY seis meses após lançar fundo cripto nos EUA
Equipe da Hashdex tocou o sino de abertura da NYSE na quarta-feira (Foto: Divulgação)

A equipe da Hashdex, gestora brasileira de fundos de investimento baseados em criptomoedas, tocou o sino de abertura do pregão da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) na quarta-feira (15), em comemoração ao aniversário de seis meses do fundo Hashdex Bitcoin Futures ETF.

O diferencial desse produto que ele é considerado o primeiro ETF de futuros de Bitcoin registrado exclusivamente sob o Securities Act de 1933, lei americana que regulamenta investimentos financeiros no país.

Publicidade

“O ETF da Hashdex foi o primeiro ETF de futuro de Bitcoin a ser aprovado sob o Act of 1933, que normalmente é uma estrutura de commodities. Isso mostra uma mudança de entendimento sobre Bitcoin como ativo financeiro”, explica ao Portal do Bitcoin Marcelo Sampaio, o CEO da Hashdex.

O ETF da empresa brasileira foi desenvolvido em parceria com a Teucrium Trading e começou a ser negociado na bolsa de Nova York em 16 de setembro de 2022, sendo o primeiro ETF da Hashdex nos EUA. 

Antes de entrar no mercado norte-americano, a Hashdex lançou o primeiro ETF cripto no Brasil, o HASH11, negociado na B3 desde abril de 2021. A expansão dos serviços para outros mercados, no entanto, se tornou um frente de trabalho importante para a gestora brasileira nos últimos anos.

“O mercado americano é o maior mercado do mundo, ter uma presença relevante nos EUA é importante para o posicionamento global da gestora. Acreditamos que a estrutura deste produto é diferenciada do que existia no mercado interiormente. Temos muito orgulho de ser uma empresa brasileira líder no mercado global com tantos produtos pioneiros”, acrescenta Sampaio.

Publicidade

O tenso mercado de ETF nos EUA

Embora ETFs cripto existam nos EUA desde 2021, esse tipo de investimento segue limitado ao mercado de futuros, já que a Comissão de Valores Mobiliários (SEC) se nega a autorizar a oferta de um ETF à vista (spot) baseado em criptoativos.

A Hashdex já tornou público o interesse em lançar um ETF cripto à vista nos EUA, assim como já possui no Brasil, porém afirma que vai esperar a abertura dos reguladores.

“Acreditamos que a migração para spot ocorrerá de forma gradual e nossa posição é sempre de trabalhar em parceria com reguladores e o mercado. Vamos acompanhar a regulação norte-americana para continuar lançando novos produtos”, diz o executivo.

Já outras gestoras cripto se mostram mais radicais na batalha para conseguir lançar um ETF à vista nos EUA. A Grayscale, a maior gestora de criptoativos do mundo, por exemplo, decidiu brigar na justiça contra os reguladores da SEC.

Publicidade

O plano da empresa é transformar o seu popular fundo Grayscale Bitcoin Trust (GBTC) em um ETF à vista, mas levou um “não” dos reguladores em junho do ano passado. A Grayscale então decidiu brigar contra essa decisão no tribunal de apelações nos EUA, alegando que a negativa da SEC era arbitrária.

Em uma audiência do caso na semana passada, o CEO da Grayscale, Michael Sonnenshein, se mostrou otimista que a empresa saia vitoriosa da disputa e abra as portas para os ETFs à vista de criptomoedas nas bolsas dos EUA.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Apesar de chamara cada vez mais atenção, muitas pessoas ainda não sabem o que é a tokenização de ativos e como ela funciona
ilustração mostra logo da pepecoin PEPE subindo ao céu

Trader transforma R$ 2 mil em R$ 17 milhões graças ao triunfo da Pepecoin (PEPE)

Ao comprar a memecoin após o lançamento, o trader teve um ganho de 7.368x no investimento
máquinas de mineração de criptomoedas apreenidas em

Polícia apreende 396 mineradoras de Bitcoin em casa de ex-deputado paraguaio

Miguel Cuevas, que já foi preso por enriquecimento ilícito, agora pode também ser investigado por furto de energia
solana, criptomoedas,

Este evento vai fazer a Solana atingir US$ 400 este ano, projeta analista

Para analista da Merkle tree, a Solana pode disparar 170% este ano puxado por memecoins ligadas aos candidatos na eleição dos Estados Unidos