Imagem da matéria: Gestora brasileira Hashdex retira XRP de índice após processo da SEC contra Ripple

Não está fácil a vida dos detentores do token XRP, criado pela Ripple. O impacto do processo da SEC (equivalente à Comissão de Valores Mobiliários no Brasil) fez com que a gestora brasileira Hashdex retirasse a criptomoeda de seu índice, o HDAI.

A exclusão será feita nesta quinta-feira (24), segundo a gestora afirmou ao Portal do Bitcoin.

Publicidade

Em nota, a Hashdex disse que convocou uma reunião de seu comitê de supervisão por causa da ação justamente para avaliar o impacto e as possíveis consequências para índice, que representa cerca 2,5% do portfólio do fundo máster.

“Com isso, nossos fundos Voyager, Explorer e Discovery não mais terão exposição indireta a tal ativo. Isso não representa um risco de impacto significativo no valor das cotas dos fundos brasileiros, dada a limitação da representatividade do XRP em seus portfolios”, disse na nota o diretor jurídico da Hashdex, Bruno Sousa.

O principal motivo para a decisão foi que o comitê da empresa acredita que a posição da SEC de que é a XRP é um valor mobiliário deve prevalecer. “Tal risco desde já compromete sua manutenção no índice, inclusive por prejudicar sua replicabilidade”.

Até a metade de dezembro, a Hashdex tinha captado quase meio bilhão de reais e conquistado 16 mil cotistas. A rentabilidade em 2020 foi de 210%.

O Portal do Bitcoin consultou também os responsáveis por outros fundos brasileiros. Contudo, BLP, Vítreo e QR Asset afirmaram não possuir posições na criptomoeda desenvolvida pela Ripple.

Publicidade

Adeus, XRP

Outras empresas do mercado tomaram decisões semelhantes. A Bitwise, com US$ 245 milhões sob gestão, também se desfez de sua posição na moeda — que compunha 3,8% do portfólio.

A XRP chegou a cair quase 50% após o anúncio da SEC. A empresa e seus executivos são acusados de vender valores mobiliários não registrados por meio de seu token.

VOCÊ PODE GOSTAR
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca
Tela de celular mostra logo da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil CVM

CVM ganhou R$ 832 milhões com multas aplicadas em 2023, um aumento de 1.791%

A autarquia também registrou o maior número de casos julgados desde 2019
Imagem da matéria: Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Times de futebol vão distribuir NFTs ao longo do Brasileirão; Veja como ganhar

Atlético-MG, Bahia, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, Internacional, São Paulo e Vasco da Gama são times que integram a nova campanha da Chiliz
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo