Imagem da matéria: Gangue chinesa sequestrava pessoas para operar fraudes com criptomoedas na Turquia
Foto: Shutterstock

A polícia de Istambul prendeu na noite passada uma gangue chinesa por sequestrar trabalhadores também chineses e forçá-los a executar uma fraude com criptomoedas.

A agência de notícias local Demirören Haber Ajansı relatou que a empresa, que se autodenominou uma “consultoria de investimento em criptomoedas”, contratou 101 pessoas para se juntar a eles para um negócio de finanças em Istambul.

Publicidade

As autoridades alegam que a gangue prendeu os funcionários em vilas dentro da cidade e os colocou para trabalhar para enganar investidores chineses e roubar suas criptomoedas.

A tripulação reunida incluía quatro cazaques, dois turcomanos e 95 cidadãos chineses, de acordo com outra agência de notícias, Anadolu Ajansı. Todos teriam sido detidos contra a vontade pelos 18 líderes da operação.

A polícia expôs a operação depois que dois prisioneiros chineses, Hongwu Z. (29) e Kang W. (28), contataram secretamente o Consulado Chinês, que então alertou a polícia local, informou a agência de notícias.

Após o alerta, a polícia prendeu seis líderes de gangue e enviou o restante dos funcionários às autoridades locais de imigração. A operação envolveu 100 policiais, mostra um vídeo de Demirören.

Publicidade

A polícia turca apreendeu cerca de US$ 200 mil em dinheiro em moedas estrangeiras, 712 telefones celulares, 112 computadores, 677 cartões SIM e um número não revelado de unidades de disco rígido e contadores de notas.

O esquema suspeito operava a partir de nove vilas, cada uma alojada em complexos isolados do lado de fora.

Os dirigentes da operação, que supostamente retiraram os passaportes dos trabalhadores que entraram no país com visto de turista, nunca permitiram que seus funcionários saíssem dos complexos.

Os presos presos foram pagos pelo golpe, ganhando US$ 1.000 por mês por seu trabalho. Isso é bem acima do salário mínimo turco de US$ 375 por mês e do salário mínimo mensal de US$ 380 em Xangai, a região chinesa com o salário mínimo mais alto.

Não está claro por que a gangue decidiu se basear em Istambul.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de ether

Mercados de empréstimos de Ethereum enfrentam liquidações massivas em abril

O volume de empréstimos em Ethereum (ETH) liquidados apenas nas duas primeiras…
Imagem da matéria: Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Dados do Banco Central mostram que a importação de criptoativos saltou de US$ 1,4 bilhão no primeiro bimestre de 2023, para US$ 2,9 bilhões no início deste ano
Imagem da matéria: Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Na Paris Blockchain Week, o presidente da Animoca Brands, Yat Siu, discutiu a regulamentação da SEC, o ressurgimento do mercado de NFT e as finanças de sua empresa
Imagem da matéria: Confira 3 criptomoedas que podem disparar com o halving do Bitcoin

Confira 3 criptomoedas que podem disparar com o halving do Bitcoin

O halving pode atrair a atenção dos investidores para projetos alternativos criados no ecossistema do Bitcoin