Alexander Höptner CEO BITMEX reprodução Youtube
Alexander Höptner, ex- CEO da BITMEX em entrevista no Youtube (Imagem: Reprodução)

O executivo Alexander Höptner renunciou nesta semana ao cargo de CEO da corretora de derivativos de criptomoedas BitMEX, após quase dois anos de atuação na empresa. No seu lugar, foi nomeado interinamente o atual diretor financeiro, Stephan Lutz, segundo informou o Decrypt nesta terça-feira (25).

O motivo da renúncia de Höptner ainda não foi explicado, mas a empresa afirmou por e-mail que ele deixou o cargo “com efeito imediato”.

Publicidade

Segundo a assessoria da BitMEX, o novo diretor, Lutz, afirmou que, junto com a equipe de gerenciamento, vai garantir que a empresa de andamento no bom fornecimento de produtos de negociação de criptomoedas, bem como um ambiente seguro e estável para os clientes. Ele acrescentou:

“Queremos agradecer a Alexander [Höptner] por seu apoio ao negócio durante seu mandato e desejar-lhe boa sorte em seus futuros empreendimentos”.

A empresa disse que Lutz continuará em seu cargo de CFO, mas não comentaria mais sobre a saída de Hoeptner que ingressou na BitMEX em 2020. No currículo, o gestor teve atuação como CEO da Bolsa de Valores de Stuttgart, a segunda maior da Alemanha.

Ex-maior do mundo

Fundada em 2014, a BitMex foi uma das primeiras exchanges a oferecer derivativos de criptomoedas e já foi a maior corretora de derivativos do mundo, ao menos quando falamos de bitcoin.

Publicidade

Sob o comando de Arthur Hayes, a empresa viu seu volume crescer de forma assombrosa desde 2016, até começar a caminhar para o declínio em 2019, diante da chegada de novas plataformas de derivativos de bitcoin, tais como Deribit, CME, Binance Futures e FTX.

A empresa também lutou uma série de batalhas legais. Hayes, por exemplo, que cofundou a BitMEX e atuou como CEO, teve que renunciar após ações judiciais da Commodities Futures Trading Commission (CFTC) e do Departamento de Justiça dos EUA. Ele teve que pagar uma multa milionária para conseguir se livrar da prisão.

Sobre o token nativo da BitMex, o BMEX, Hoeptner disse recentemente em um evento que a plataforma o listaria antes do fim de 2023. A demora, contudo, seria por conta da atual condição do mercado cripto.

“Se você lançar um token em um mercado que claramente não está lá aquelas coisas, seu token será drenado com o ambiente geral”, disse ele.

Publicidade

Segundo o Decrypt, foram distribuídos 1,5 milhão de BMEX para exchanges de criptomoedas em fevereiro deste ano. Na época, a empresa disse que começaria a negociar no início do segundo trimestre.

Aprenda a ganhar dinheiro com Cripto. Você pode ter acesso a um curso exclusivo com os maiores especialistas em cripto para aprender os fundamentos e as técnicas que te ajudam a navegar nas altas e baixas do mercado. Garanta sua vaga aqui!

VOCÊ PODE GOSTAR
Sam Bankman-Fried da FTX falando em vídeo

Criador da FTX vai mudar de presídio nos Estados Unidos

Transferência de presídio pode durar até um mês nos EUA, com o detento sendo levado para várias penitenciárias até chegar ao destino final
Pessoa olha para scanner da Worldcoin

Hong Kong bane Worldcoin por coleta de dados “desnecessária e excessiva”

A Worldcoin chegou a escanear o rosto e a íris de 8.302 indivíduos durante sua operação em Hong Kong, segundo autoridades
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin voltam a captar mais US$ 100 mi por dia nos EUA; Ex-diretor da FTX pede 18 meses de prisão

Mercado também começa a se preparar para veredito final da SEC sobre os ETFs de Ethereum à vista
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais