Imagem da matéria: Exchange de criptomoedas canadense é mais uma a demitir em massa
(Foto: Shutterstock)

A exchange canadense Coinsquare é mais uma empresa que se viu obrigada a fazer parte da grande onda de demissões no setor que continua atingindo grandes instituições pelo mundo no que vem sendo chamado de “o inverno das criptomoedas”.

Martin Hauck, chefe do RH da empresa, anunciou o problema via LinkedIn na semana passada. Conforme a CCN, um terço da equipe foi mandada embora cerca de 40 pessoas.

Publicidade

O executivo deixou bem claro que à medida em que o novo mercado não progride, mais instituições vão passar por “momentos difíceis”.

“Muitas empresas similares em nosso setor tiveram que fazer algumas escolhas difíceis nos últimos meses e a Coinsquare também teve que fazê-las”, diz um trecho do pequeno artigo.

Ele detalhou que a natureza imprevisível e volátil do mercado de criptomoedas nos últimos meses é a principal razão para a redução do efetivo.

Responsável por escolher a melhor equipe para a instituição, o diretor de RH disse que a empresa tomou a decisão de se separar de vários membros talentosos que se dedicaram para o sucesso da Coinsquare. “Somos extremamente gratos”, disse ele.

Publicidade

Executivo da exchange promete ajuda

Hauck também afirmou que ele e algumas pessoas da equipe criaram uma lista dos dispensados para compartilharem seus perfis e, desta forma, tentar recolocá-los no mercado. Ele fez o pedido publicamente:

“Caso sua empresa esteja contratando ou em condições de ampará-los, envie uma mensagem diretamente para mim e vou compartilhar com prazer os detalhes”.

Não demorou a aparecer pessoas elogiando a maneira como Hauck fez o anúncio e se propôs a ajudar os ex-funcionários. Uma série de comentários em seu post revelou o interesse de algumas empresas do mesmo setor em contratar os indicados pelo headhunter.

Mercado em baixa gera onda de demissões

Várias empresas de mineração têm diminuído seu efetivo, como a Bitmain, por exemplo, mesmo sendo a maior na atividade de mineração de bitcoin do mundo.

Publicidade

Recentemente a empresa demitiu funcionários e até fechou o que seria a maior mineradora do mundo nos Estados Unidos.

Outra mineradora, a Giga Watt, também virou notícia recentemente quando encerrou suas atividades mesmo depois do pedido de concordata em um tribunal de Washington em novembro do ano passado.

Na ocasião, a empresa havia declarado falência, mas tentou dar continuidade nas atividades, porém, sem sucesso.

Em novembro do ano passado, A Steemit Inc, empresa responsável por seu famoso blog homônimo e que compensa seus colaboradores com a criptomoeda STEEM, reduziu sua equipe em 70% devido a uma “reorganização estrutural”.

Um mês depois foi a vez da ConsenSys, empresa de tecnologia blockchain criada pelo cofundador do Ethereum, Joseph Lubin. A empresa anunciou a demissão de 13% de sua equipe de 1.200 funcionários.

No início deste ano a exchange de criptomoedas ShapeShift, baseada na Suíça, demitiu um terço de sua equipe em meio à queda nos preços do Bitcoin e uma onda de vendas.


3xBit

Inovação e segurança. Troque suas criptomoedas na corretora que mais inova do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://3xbit.com.br

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin voltam a captar mais US$ 100 mi por dia nos EUA; Ex-diretor da FTX pede 18 meses de prisão

Mercado também começa a se preparar para veredito final da SEC sobre os ETFs de Ethereum à vista
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Novo estudo do LAPIN apresenta melhores práticas para regulação de criptomoedas no Brasil

White paper feito pelo LAPIN com apoio da Ripple traz diversos pontos e dados para ajudar na regulação do setor de criptomoedas brasileiro
Imagem da matéria: Fundos cripto do Brasil e Hong Kong são os únicos com fluxo positivo na última semana

Fundos cripto do Brasil e Hong Kong são os únicos com fluxo positivo na última semana

Fundos cripto tiveram a quarta semana seguida de saídas, mas o Brasil segue com tendência positiva ao lado de Hong Kong, que se destaca com a estreia de ETFs