Andrea Zanon posa para foto
Andrea Zanon (Foto: Reprodução/LinkedIn)

A Guarda Civil da Espanha prendeu na sexta-feira (1º) o especialista em finanças Andrea Zanon, ex-consultor do Banco Mundial e do ex-presidente dos EUA, Bill Clinton, por suspeita de crime de pirâmide financeira com criptomoedas. Italiano, Zanon é acusado de comandar uma empresa chamada Nimbus Plataform LTD, que fraudou cerca de R$ 660 milhões (US$ 135 milhões) de centenas de vítimas.

A prisão do acusado foi feita no Aeroporto de Barcelona, momentos antes de ele embarcar para os Emirados Árabes, onde participaria da conferência sobre clima COP 28. Segundo o site Europapress, sua prisão, condicionada a liberdade sob fiança, foi determinada pelo juiz Joaquín Gadea, do Tribunal Nacional da Espanha, para evitar risco de fuga, já que Zanon mora atualmente nos EUA. 

Publicidade

Durante a audiência, Zanon negou todas as acusações, garantindo ao juiz que ele serviu apenas para fazer algumas promoções no início do negócio e que não tem nada a ver com a administração do esquema. A Nimbus, cuja sede fica em Malta, prometia negociação de Bitcoin (BTC) “sem chance de perda” e retornos entre 7% e 15% ao mês, descreve o site Criptonoticias.

Mas para o juiz os fatos são diferentes. Ele averiguou que a própria empresa listou Zanon como um dos fundadores e CEO na sua fase inicial e que agora pesa sobre ele várias acusações, como lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

Para o juiz, que investiga o caso há mais de dois anos, Zanon usou seu notório currículo para promover a Nimbus, o que pode ter atraído as vítimas.

O magistrado cita uma entrevista de 2019 em que o acusado apresentou a plataforma como o seu projeto atual e na qual se referiu à sua experiência como conselheiro do ex-presidente dos EUA Bill Clinton, da ex-secretária de Estado dos EUA, Madeleine Albright, e como conselheiro em investimentos e risco gestão no Banco Mundial, afirma o Europapress.

Publicidade

Gadea disse que Zanon constituiu a empresa para a prática da fraude e integrou diversos órgãos sociais da mesma, desde o seu início até datas próximas da consumação do crime de fraude. Deduz assim que “poderia ter conhecimento preciso da data em que iria ocorrer a suspensão de pagamentos e o bloqueio de fundos”, alega o juiz.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Vasco oferece experiências especiais para detentores de fan token na apresentação de Philippe Coutinho

Vasco oferece experiências especiais para detentores de fan token na apresentação de Philippe Coutinho

Coutinho será apresentado em São Januário neste sábado em evento exclusivo
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza e ETFs captam US$ 130 milhões, maior entrada em quase um mês

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza e ETFs captam US$ 130 milhões, maior entrada em quase um mês

Os ETFs de Bitcoin não registravam uma captação tão grande de fundos desde 7 de junho
Imagem da matéria: R$ 2,8 bilhões foram perdidos em fraudes e hacks de criptomoedas no 2º trimestre

R$ 2,8 bilhões foram perdidos em fraudes e hacks de criptomoedas no 2º trimestre

Isso é quase o dobro do valor roubado no segundo trimestre de 2023
Imagem da matéria: Estrela do UFC é acusada de aplicar golpe em fãs com token que foi a zero

Estrela do UFC é acusada de aplicar golpe em fãs com token que foi a zero

A memecoin SMASH promovida por Khamzat Chimaev caiu para zero após os criadores despejarem tokens no mercado — e desde então ele excluiu seus posts