Imagem da matéria: EUA classificam DeFi como ameaça à segurança nacional
Shutterstock

O Departamento do Tesouro dos EUA (U.S. Department of the Treasury) publicou um comunicado na tarde desta quinta-feira (06) abordando riscos sistêmicos presentes nas Finanças Descentralizadas (DeFi) e classificando o segmento como um risco à segurança nacional do país.

Segundo o relatório completo, os riscos estão ligados a possíveis manobras regulatórias para a prática de atos ilícitos que usam a descentralização como atalho para fugir da lei.

Publicidade

O relatório afirma que a natureza descentralizada de DeFi pode permitir que criminosos lavem dinheiro, financiem o terrorismo, evitem sanções internacionais e realizem outras atividades ilícitas sem serem detectados.

As autoridades também afirmam que não existe uma definição clara do termo DeFi.

“Atualmente não há uma definição geralmente aceita de DeFi, o termo refere-se amplamente a protocolos e serviços de ativos virtuais que pretendem permitir alguma forma de transações ponto a ponto automatizadas, geralmente por meio do uso de código autoexecutável conhecido como ‘contratos inteligentes’ com base na tecnologia blockchain. Este termo é frequentemente usado livremente pelo setor privado, muitas vezes para serviços que não são funcionalmente descentralizados.”

Além disso, o relatório observa que os protocolos DeFi podem ser vulneráveis a ataques de hackers, o que poderia levar à perda de ativos de usuários. No entanto, trata-se de algo é válido para qualquer sistema de computador.

Para abordar esses riscos, o Departamento do Tesouro dos EUA sugere que as autoridades reguladoras considerem a aplicação de regulamentações existentes às atividades DeFi, incluindo leis de lavagem de dinheiro e regulamentações financeiras.

O relatório também sugere que as empresas que desenvolvem protocolos de finanças descentralizadas implementem medidas de segurança para proteger seus usuários de ataques cibernéticos.

Publicidade

No geral, o relatório do Departamento do Tesouro dos EUA destaca a necessidade de regulamentação e supervisão mais rigorosas das criptomoedas para garantir que elas não sejam utilizadas para atividades ilegais.

“As avaliações de risco desempenham um papel fundamental na promoção da compreensão do ambiente de risco financeiro ilícito e na proteção mais eficaz da integridade do sistema financeiro dos EUA.”

disse o Subsecretário do Tesouro para Terrorismo e Inteligência Financeira, Brian E. Nelson

O relatório foi liberado ao público apenas algumas horas após a equipe jurídica da Coinbase compartilhar argumentos em defesa do ecossistema DeFi — que estão sendo utilizados em sua investida contra a SEC norte-americana.

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas