Imagem da matéria: Ethereum 2.0 fica mais próximo com estreia de nova rede de testes
Foto: Shutterstock

Equipes de desenvolvimento ao redor do mundo estão trabalhando bastante no Ethereum 2.0, a rede proof of stake (PoS) que está sendo criada para tornar as transações de Ethereum mais rápidas, baratas e menos dependentes de energia elétrica.

Enquanto o ETH 2.0 ainda não está pronto, sua primeira grande rede de testes está fornecendo ao público um vislumbre de como a blockchain passará a funcionar em breve.

Publicidade

O desenvolvedor Tim Beiko, que coordena os desenvolvedores principais do Ethereum, anunciou a rede de testes Kintsugi na segunda-feira (20) no blog da Fundação Ethereum.

Kintsugi é uma palavra em japonês que significa o uso de ouro para consertar objetos quebrados sem tentar esconder o dano; a palavra desperta um sentimento de transparência sobre o histórico de algo.

“Consertando” a rede Ethereum

Embora o atual estado do Ethereum não seja de quebra, não dá para negar que a rede se tornou uma vítima do próprio sucesso.

Após ser pioneira nas aplicações de finanças fescentralizadas (DeFi), tokens não fungíveis (NFTs) e até mesmo jogos desenvolvidos em blockchain, o custo das transações na rede estão assustando muitos usuários.

Publicidade

A conversão de ativos de ponto a ponto ou lances a colecionáveis digitais na blockchain exige parte da energia da rede. Para aumentar a velocidade das transações, pessoas devem pagar taxas mais altas ou esperar até que haja menos atividade no ecossistema.

O Ethereum 2.0 soluciona isso. Migra a rede de um sistema proof of work (PoW), como o do Bitcoin, que possui mineradores para validar transações, para um sistema proof of stake que permite que pessoas garantam a segurança da rede ao bloquear parte de seu ether no protocolo.

Embora tanto mineradores como stakers recebam recompensas, o sistema PoS do Ethereum também escala o espaço disponível na rede.

Desenvolvedores já tiveram progresso no caminho em direção ao Ethereum 2.0.

A Fase Zero da atualização foi lançada em dezembro de 2020, com o lançamento da Beacon Chain que, no futuro, será usada para unir a rede atual (PoW) e a rede nova (PoS). Bilhões de dólares em ether já estão em staking na nova rede.

Em preparação para a grande fusão, desenvolvedores apresentaram quatro redes de teste de curta duração, criadas para simular como a rede irá funcionar quando migrar para o proof of stake.

Publicidade

No entanto, Kintsugi está aqui para ficar e foi criada não apenas para os informados desenvolvedores usarem, mas para todos os membros da comunidade.

“Apesar de o desenvolvimento de clientes e da UX [experiência de usuário] continuarem sendo refinados, encorajamos a comunidade a começar a usar Kintsugi para se familiarizar com o Ethereum em um contexto pós-fusão”, explicou Beiko.

A maioria espera que as coisas estejam em boas condições para tornar o “#testingthemerge” (ou “testando a fusão”) em um processo rápido para que outras redes de testes (como Görli e Rinkeby) possam ser usadas para simular a transição.

“Quando [as redes de testes] forem atualizadas e estiverem estáveis, o próximo passo será a transição da Ethereum para o proof of stake”, escreveu Beiko.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024
Foco em uma moeda dourada de Ethereum (ETH)

Aprovação do ETF de Ethereum pode acontecer antes do esperado, diz Coinbase

Maior exchange de criptomoedas dos EUA, a Coinbase está confiante de que a SEC aprovará ETFs de Ethereum à vista muito em breve, apesar do pessimismo mais amplo
Joe Biden posa para foto

Biden expulsa mineradora cripto chinesa de área próxima a base militar: “Risco de espionagem”

O governo afirma que a MineOne possui equipamentos especializados de origem estrangeira potencialmente capazes de facilitar atividades de vigilância e espionagem
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto