Imagem da matéria: Especialistas britânicos identificam riscos de lavagem de dinheiro com NFTs
Foto: Shutterstock

O Royal United Services Institute (ou RUSI, na sigla em inglês) publicou um relatório para avaliar os riscos de lavagem de dinheiro inerentes ao mercado de tokens não fungíveis (ou NFTs), questionando se a crescente febre de artes digitais se tornou em uma “nova fronteira” para a lavagem de dinheiro.

“Em primeiro lugar, NFTs são mais adquiridos com criptomoedas em mercados on-line. Criptomoedas são rotineiramente usadas para meios maliciosos, como ofuscar a fonte de lucros criminosos e, apesar de as transações serem rastreáveis, agentes criminais mais sofisticados utilizam uma variedade de técnicas para prejudicar investigações de autoridades policiais”, afirmou RUSI.

Publicidade

RUSI também afirma (assim como o Decrypt já havia debatido) que NFTs podem ser utilizados por lavadores de dinheiro de uma forma parecida à do mercado tradicional de artes.

“Atores criminais podem hacker a conta de usuários em mercados NFT e transferir os NFTs para si. Após transferir os NFTs, o hacker pode rapidamente vendeu o(s) token(s) roubados e tentar lavar os lucros”, explicou RUSI.

RISU também afirma que o aspecto digital desses tokens também dá margem para “outros novos riscos”.

Esses riscos incluem a possibilidade de criadores “esconderem” informações nos tokens que, em teoria, poderiam ser sobre vulnerabilidades de software.

Em seguida, o NFT poderia ser usado como “o mecanismo de transferência para compartilhar essa informação entre duas partes criminosas”.

Publicidade

Como lidar com a lavagem de NFTs?

RUSI sugere que a estrutura regulatória aplicada às criptomoeda ao ponto de corretora “poderem ser aplicadas” a casas de leilão on-line para NFTs.

“Uma linha-base precisa ser estabelecida para empresas que queiram focar na indústria NFT.

Um sistema de políticas de ‘conheça seu cliente’ (KYC) e monitoramento contínuo, parecido com aqueles usados no mercado tradicional de artes e em conforme com corretoras de criptomoedas, precisam ser implementados”, argumentou RUSI.

Os especialistas britânicos também sugerem a criação de um registro de NFTs roubados ou fraudulentos, que imita o Registro de Artes Perdidas (ou ALR, na sigla em inglês) no mundo tradicional das artes.

Além disso, RUSI não é a única organização britânica que está de olho nos riscos de lavagem de dinheiro relacionados a esses tipos de tokens.

Publicidade

Este ano, um porta-voz da Unidade de Artes e Antiguidades da Polícia Metropolitana de Londres havia contado ao Decrypt que estavam “bem atentos” a esses riscos e que a tecnologia blockchain “permite que donos beneficiários finais escondam sua identidade”.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização de Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logotipo da BInance

Binance anuncia fim do suporte a uma stablecoin que afetará pares com Bitcoin e Ethereum

A exchange também anunciou a listagem de novos pares de negociação com Lira turca
Imagem da matéria: Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Nova operação da Polícia Federal apura crimes ligados às investigações da operação Daemon, de 2021, que prendeu o “Rei do Bitcoin”, Claudio Oliveira
Vitalik Buterin na ETH Taipei 2024. Foto: Rug Radio

Como o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, mantém suas criptomoedas seguras

“Descentralize sua própria segurança”, diz Buterin – mas ele não usa uma cold wallet para suas próprias criptomoedas
Imagem da matéria: Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Memecoins como a EPIK estão se tornando cada vez mais populares no universo das criptomoedas. Isso é bom ou ruim?