Imagem da matéria: Entrevista com Vladimir Gorbunov, CCO e Co-Fundador da Crypterium

“Nós seremos o JP Morgan dos bancos de criptomoedas”

Sua equipe acabou de voltar da conferência CoinAgenda em Las Vegas. O que você esperava da viagem e a realidade atendeu às suas expectativas?

CoinAgenda é um evento muito importante para nós. Nos últimos anos, vimos o início de projetos tão importantes como o Bancor, por exemplo. Tinhamos algo que queríamos mostrar. Para nós, esta semana foi a última antes do lançamento do ICO, e queríamos sincronizar nossos relógios com os principais players do mercado e fundos de criptomoedas com os quais estamos em contato e nos encontramos mais uma vez com as pessoas com quem trabalhamos. Claro, nosso objetivo principal foi apresentar nosso produto ao público mais amplo dos entusiastas da blockchain e demonstrar por que somos únicos.

Publicidade

O que você mostrou na conferência? Você pode nos dar o diferencial do seu produto?

Nós trouxemos um protótipo de trabalho do nosso aplicativo, e ali na sala mostramos o mecanismo interno para trabalhar com códigos QR. Para que nosso produto funcione, precisamos da própria ferramenta de pagamento e da infra-estrutura de pagamento, que ainda precisamos criar. Esta é uma das nossas tarefas mais importantes. O sistema funcionará não só com pontos de venda que já utilizam os terminais de pagamento NFC, mas também com os 70-80% do mercado em que os pagamentos em criptomoedas ainda não foram aceitos. Para isso, oferecemos soluções gratuitas que usam códigos QR. Os fornecedores apenas precisarão registrar sua conta, imprimir e pendurar na parede de sua loja um código de pagamento especial, ao qual os clientes enviarão dinheiro. Informações sobre pagamentos recebidos são exibidas na conta de usuário, com a opção de confirmação por mensagem de texto. O fornecedor pode escolher se deseja aceitar pagamentos de criptomoedas ou fiat – em outras palavras, se eles não querem trabalhar com criptomoedas, os pagamentos recebidos em criptomoedas serão depositados em sua conta como pagamentos fiat, tal como se eles foram recebidos da conta bancária comum de um cliente.

O público conheceu nossa ideia com enorme entusiasmo; nós realmente acreditamos que estamos oferecendo ao mercado uma solução completamente única e muito conveniente.

Conte-nos um pouco sobre o projeto Crypterium. É um banco, certo? Quais as vantagens que você oferece em comparação com os bancos tradicionais?

Não exatamente. É um criptobanco. A palavra “banco” pode ativar um alarme para as pessoas atraídas pela blockchain especificamente por sua falta de regulamentação bancária. Mas nosso projeto é significativamente diferente dos bancos comuns, já que estamos criando um criptobanco digital, que é o operador de uma infra-estrutura de pagamento e serviço. Nosso objetivo é construir uma ponte entre a vida comum e o virtual, e fazê-lo para que você possa pagar com criptomoedas em qualquer lugar da Terra. É uma solução conveniente para fornecedores e clientes, e é composta de elementos tecnológicos como uma exchange integrada, pagamentos sem contato, integração com software de caixa registradora e transações com base em código QR para as quais não é necessária uma caixa registradora. Além disso, oferecemos serviços de crédito, mas será um novo formato baseado na blockchain.

Assim, você poderia dizer que o Crypterium é o primeiro criptobanco de pleno direito de seu tipo, que abordará as tarefas diárias associadas ao uso de dinheiro, por exemplo, usando criptomoedas, como em um aplicativo de banco móvel comum, para pagar por serviços móveis, utilitários e impostos, para fazer transferências, pagar em um café ou restaurante, retirar empréstimos e outros serviços atualmente oferecidos por bancos convencionais.

Em contraste aos bancos comuns, a Crypterium é regulada não pelas autoridades reguladoras comuns, mas pela infraestrutura blockchain. Além disso, muitos bancos operam localmente; nós planejamos oferecer serviços em todo o mundo. Os bancos restringem retiradas e transferências; praticamente não temos restrições. De fato, as diferenças são muito, muito maiores, mas essa é uma outra conversa.

Publicidade

Então, por que os criptobancos realmente são necessários?

Primeiro, uma pequena aula de história. Inicialmente, foram criados a blockchain e o bitcoins, entre outros, para que as pessoas pudessem interagir diretamente, sem bancos. Essa é uma ideia fantástica e digna – se a comunidade de pessoas usando bitcoin, etc., fosse limitada a algumas dezenas de milhares.

No entanto, se você está falando sobre um mercado consumidor global, sobre serviços de varejo, é muito mais complexo. Agora, há muitas pessoas que compram ou amam criptomoedas, e eles querem poder usá-las. Por outro lado, você tem a economia fiat. No momento, esses dois mundos têm contato mínimo entre si. Os criptobancos foram pensados ​​especificamente para conectar as economias cripto e fiat. Em essência, ao realizar uma série de complexas funções técnicas, de serviço e de infra-estrutura, um criptobanco é o veículo pelo qual a criptomoedas entra na economia fiat. Ao mesmo tempo, os clientes recebem soluções seguras que lhes dão a capacidade de usar criptomoedas nos mesmos cenários em que estão acostumados a usar moeda comum.

É por isso que os criptobancos são muito importantes. Embora o mercado de criptomoedas tenha crescido recentemente de forma espetacular, sua capitalização ainda é relativamente modesta. A maioria dos especialistas concorda que, no futuro previsível, um mínimo de 10% do PIB global pode ser transferido para criptomoedas. Para nós isso indica um potencial colossal de crescimento. Os criptobancos não possuem limites geográficos e, portanto, podem trabalhar com todo o sistema, com todo o mercado global. Eles podem tornar-se em breve os novos gigantes, os análogos da blockchain do JP Morgan, Barclays, Citigroup. Por esta razão, todas as últimas soluções interessantes nesta área vendem muito fácil – olhe para a Tenx, que nem sequer é um criptobanco, mas um player de pagamento puro, que conseguiu coletar mais de 80 milhões de dólares em sua ICO em algo como 10 minutos! E esse não é o único exemplo! Isso indica que o mercado realmente entende que os criptobancos desempenharão um papel importante no ecossistema blockchain e que são participantes dignos, ajudando a desenvolver a infra-estrutura e a crescer o mercado.

Você acha que em cinco a sete anos você poderia se tornar o JP Morgan do mercado de criptobancos?

Eu acho que isso poderia acontecer em cerca de três anos. Tenho um grande respeito pelos meus colegas, mas por enquanto não vejo nenhum projeto que ofereça ao mercado algo realmente sério e significativo. Isso significa que temos todas as chances, no primeiro estágio, de nos tornar um dos líderes em um mercado colossal, que em cinco a sete anos pode chegar a 10 trilhões de dólares e para operar uma enorme infra-estrutura que já estamos trabalhando para criar !

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Trader que roubou US$ 110 mi da plataforma DeFi Mango Markets é considerado culpado

Trader que roubou US$ 110 mi da plataforma DeFi Mango Markets é considerado culpado

Avraham Eisenberg foi considerado culpado de manipular a plataforma Solana DeFi Mango Markets em 2022 e fugir dos EUA com os fundos
Senado, Congresso, Câmara dos Deputados, Brasília, Parlamento

Segregação patrimonial no mercado cripto será tema de audiência pública na Câmara

Na justificativa para a audiência, o deputado Aureo Ribeiro disse que práticas adotadas por algumas exchanges despertam “graves preocupações”
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Tokens de jogos desabam junto com queda do Bitcoin antes do halving

Tokens importantes como Gala Games, Pixels, Portal e Xai caíram 30% ou mais na semana passada, com alguns estabelecendo novas mínimas
Imagem da matéria: OKX corta taxas de negociação e introduz taxa negativa no Brasil; entenda

OKX corta taxas de negociação e introduz taxa negativa no Brasil; entenda

Segundo a OKX, haverá um modelo de níveis em que usuários poderão ter taxas de maker negativas ou zeradas dependendo do saldo na exchange