moeda de bitcoin e bandeira do japão ao fundo
Shutterstock

O preço do Bitcoin (BTC) tem mostrado pouco variação, mesmo com a elevação nas taxas de juros dos EUA, promovida na quarta-feira (26) pelo BC dos EUA.

Mas essa calmaria pode estar chegando ao fim: novas decisões que virão do Banco Central do Japão na sexta-feira (28) podem finalmente trazer de volta a volatilidade ao preço da maior criptomoeda.

Publicidade

O Banco do Japão (BOJ) é o terceiro maior banco central do mundo e um dos poucos que mantém uma política monetária mais frouxa e pró-liquidez. Segundo o CoinDesk, a expectativa dos bancos de investimento é que o BOJ relaxe ainda mais seu controle sobre os mercados de títulos do país na sexta-feira (28), o que pode influenciar os mercados globais de títulos, taxas de câmbio e condições de liquidez. 

Isso poderia respingar no Bitcoin e no mercado de criptomoedas como um todo, que tendem a reagir às mudanças nas condições globais de liquidez.

“Em termos gerais, os passos iniciais podem incluir a ampliação da faixa de rendimento dos títulos japoneses de 10 anos ou o foco na zona de vencimentos mais curtos. Nosso cenário principal é o último, embora seja uma decisão difícil. A primeira opção pode ser considerada desejável, especialmente considerando que os efeitos da ampliação da faixa provavelmente são mais previsíveis para o mercado”, disse a equipe de pesquisa econômica do Goldman Sachs aos clientes no final de semana passada. 

“No entanto, assumindo que o BOJ mantenha sua meta de 10 anos em 0%, então ampliar a faixa para ±100 pb (pontos base) a partir dos atuais ±50 pb, por exemplo, seria como o BOJ efetivamente abandonar o YCC ou admitir que perdeu a capacidade de controlar os rendimentos”, acrescentou a equipe de pesquisa.

Publicidade

O YCC ao qual se referem se trata do controle da curva de rendimentos (YCC, na sigla em inglês). Desde 2016, o Japão tenta manter o rendimento dos títulos do governo de 10 anos próximo de 0%, se comprometendo a comprar quantos títulos do governo forem necessários para isso.

Conforme a análise do RBC Wealth Management citada pelo CoinDesk, a compra perpétua de títulos trouxe mais liquidez global e tem sido “uma das principais fontes de pressão descendente sobre os rendimentos dos títulos em todo o mundo avançado”. Porém, se de fato o BOJ ampliar a faixa de flutuação do rendimento para 100 pontos base, a entidade reduzirá indiretamente as compras de títulos que impulsionam a liquidez.

“Conforme essa política do [BOJ] comece a ser revertida, ela pode contribuir para o aumento dos rendimentos globais, especialmente porque a mudança está ocorrendo em um momento em que os mercados de títulos foram abalados pelos ciclos contínuos de aumento. Essa vulnerabilidade ficou evidente durante o quase colapso dos títulos soberanos do Reino Unido no outono passado”, comparou o RBC Wealth Management.

Isso poderá afetar o mercado de criptomoedas, como sugere a análise do CoinDesk: “No passado, as criptomoedas mostraram correlações negativas com os rendimentos dos títulos, a volatilidade do mercado de títulos, o índice do dólar e as condições globais de liquidez.” Portanto, as mudanças no YCC pelo Banco do Japão podem resultar em volatilidade nos mercados tradicionais que também se refletem no mercado cripto.

Publicidade

O bitcoin é negociado por US$ 29.320 nesta quinta-feira (27), com uma leve alta de 0,15% nas últimas 24 horas. No Brasil, a criptomoeda troca de mãos por R$ 129,6 mil, segundo o Índice de Preço do Bitcoin (IPB).

Interesse por Bitcoin em alta no Japão

À medida que o iene, a moeda local do Japão, enfraqueceu em relação ao dólar  nos últimos tempos, os investidores japoneses passaram a prestar ainda mais atenção no Bitcoin, fazendo a negociação da criptomoeda nas corretoras que operam no país asiático disparar nos últimos meses.

De acordo com a provedora de dados cripto Kaiko, a parcela do volume de negociação do bitcoin nas exchanges japonesas aumentou de 69% para 80% nos primeiros seis meses do ano.

Volume de negociação de Bitcoin em exchanges japonesas (Fonte: Kaiko)
Volume de negociação de Bitcoin em exchanges japonesas (Fonte: Kaiko)

Apenas em junho, o volume total de negociação nas exchanges japonesas foi de US$ 4 bilhões, o que representa um aumento de 60% em relação ao acumulado do ano, segundo a Kaiko. 

“Em média, o BTC foi negociado com um premium variando entre 0,5% e 1,25% nos mercados japoneses este ano”, disse Dessislava Aubert, analista de pesquisa da Kaiko, em um e-mail ao CoinDesk. “Isso sinaliza um aumento do apetite nos mercados japoneses.”

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

Caso contra Atlas Quantum exemplifica a longa demora para CVM julgar processos

O prazo médio para a Comissão de Valores Mobiliários terminar de julgar Termos de Acusação é de quatro anos e meio
Logotipo OKX ao fundo tela trading

OKX diz que contas de usuário foram drenadas com roubo de identidade

A exchange OKX disse que está colaborando com as autoridades e que o roubo não tem relação com o uso do Google Authenticator ou verificação por SMS
Imagem da matéria: Itaú passa a permitir compra e venda de Bitcoin e Ethereum para todos os clientes íon

Itaú passa a permitir compra e venda de Bitcoin e Ethereum para todos os clientes íon

Um dos pontos ressaltados pelo Itaú é que o banco oferece custódia própria de criptoativos, em tecnologia desenvolvida internamente
Vitalik Buterin posa para foto na ETH Taipei 2024

Criador do Ethereum, Vitalik Buterin explica qual é o erro dos tokens de celebridades

O veterano do setor cripto criticou a captação de dinheiro pelas estrelas, afirmando que o hype pode ser aproveitado para fazer o bem