Imagem da matéria: Entenda como funciona a stablecoin algorítmica e fracionária da rede Frax
Foto: Shutterstock

A MakerDAO criou uma das primeiras e mais bem-sucedidas stablecoins: DAI (lastreada em 1:1 ao dólar americano). DAI foi lançada em 2017 e foi usada por todo o ecossistema de Finanças Descentralizadas (ou DeFi, na abreviatura em inglês) em empréstimos e reservas de tesouro.

DAI é criada quando uma garantia é depositada no contrato autônomo da Maker. Para acrescentar um nível de estabilidade, Maker exige que DAI esteja sobregarantida, mas isso também torna a stablecoin em um capital mais ineficiente.

Publicidade

DAI, USDT e USDC se tornaram as stablecoins mais importantes do setor DeFi entre 2018 e 2020 conforme usuários e protocolos alavancavam suas stablecoins para obter rendimentos e expandir suas ofertas de produtos digitais a usuários.

USDC possui riscos inerentes de centralização, pois depende do dólar e DAI da Maker possui muitas garantias em USDC.

Independentemente disso, DAI e o uso da Maker atraíram a atenção de outros da indústria sobre a necessidade e o potencial de crescimento de stablecoins no ecossistema da Web 3.

Até FRAX ser lançada na rede principal do Ethereum em 21 de dezembro de 2020, stablecoins ou eram completamente lastreadas por garantias (como DAI) ou completamente algorítmicas (sem lastro em garantias).

Frax Finance foi anunciado em maio de 2019 (na época, como Decentral Bank) como um protocolo de stablecoin algorítmica. O projeto foi fundado por Sam Kazemian, Jason Huan e Travis Moore.

Publicidade

Frax foi criada para ser a “primeira stablecoin descentralizada do mundo com partes de seu fornecimento garantidas e partes estabilizadas por algorítmicos”.

Frax é o primeiro protocolo de stablecoin a implementar princípios de design de ambas as stablecoins com garantias completas (Maker Protocol) e stablecoins completamente algorítmicas para criar um novo dinheiro escalável, com necessidade mínima de confiança (ou “trustless”) e estável em blockchain (FRAX Docs).

FRAX é lastreada 1:1 ao dólar, ou seja, tenta manter 1 FRAX = US$ 1.

O crescimento da FRAX foi impressionante, conforme a enorme adesão e força de sistema aconteceram no quarto trimestre de 2021 com o lançamento da segunda versão do Frax.

Em 10 de fevereiro, o tesouro Frax gerava uma renda diária média de US$ 729 mil (ou US$ 180 milhões anualizados) por meio de Controladores Algorítmicos de Operações de Mercado (ou AMOs), lançados pela equipe no início do quarto trimestre de 2021.

Publicidade

Além disso, o fornecimento de FRAX disparou de menos de US$ 500 milhões em FRAX para incríveis US$ 2,6 bilhões de FRAX no mesmo período.

Crescimento no fornecimento de FRAX e atual fornecimento em circulação: o crescimento no fornecimento de FRAX nos últimos 180 dias (entre julho de 2021 e janeiro de 2022).

Entendendo o Frax Protocol

Em seu lançamento, FRAX tinha uma garantia de 100%, ou seja, a emissão de FRAX só exigia o depósito de garantias no contrato de emissão.

Atualmente, FRAX opera na fase de garantia fracionária, em que, para a emissão de FRAX, é necessário depositar garantias adequadas e FXS ao protocolo Frax.

Embora o protocolo seja criado para aceitar qualquer tipo de criptomoedas como garantia, Frax irá aceitar principalmente stablecoins em blockchain para manter a volatilidade baixa para que FRAX possa transicionar para proporções algorítmicas mais altas sem problemas.

Conforme FRAX ganha força e a velocidade do sistema aumenta, pode se tornar mais fácil e seguro incluir criptomoedas mais voláteis, como ETH e WBTC, em pools no futuro.

Publicidade

O protocolo Frax implementa um design de sistema de dois tokens: uma stablecoin (FRAX) e um token de governança (FXS). O sistema de dois tokens permite que FRAX seja lastreada tanto em garantias como em um algoritmo (para a queima e o resgate de FXS).

FRAX é emitida quando garantias e FXS são depositados no contrato do protocolo Frax. A quantidade de garantias necessárias em depositar para a emissão de 1 FRAX é determinada pela proporção de garantias.

A proporção de garantias do Frax determina a proporção entre garantias e algoritmo que compõem o valor de US$ 1 da FRAX.

Emissão e resgate de FRAX: garantias e FXS são necessários para cada processo.

Por exemplo, assumindo que a proporção de garantia seja 80%, isso significa que 80% de 1 FRAX é lastreada em garantias, como USDC, e 20% é lastreado no algoritmo que gerencia o fornecimento de FXS.

Tanto para fins de emissão e resgate, o protocolo obedece a proporção de garantia, garantindo que 1 FRAX seja lastreada por US$ 1 de valor.

A estabilidade do lastro é um componente fundamental para qualquer stablecoin. FRAX mantém seu lastro 1:1 em dólar por meio de profundos pools de liquidez. FRAX3CRV, o maior pool de liquidez, está no Curve Finance.

Publicidade

Possui aproximadamente 1,3 bilhão de FRAX e essa profunda liquidez de FRAX permite que a stablecoin seja negociada e convertida em outras stablecoins com pouco ou nenhum “slippage” (diferença entre o preço esperado e o preço verdadeiro).

O AMO do Curve, implementado como parte da segunda versão do Frax, favorecendo a estabilidade de FRAX ao automaticamente fornecer garantias de fornecimento em excesso, além de FRAX do protocolo Frax ao pool FRAX3CRV para garantir que essa liquidez profunda continue (isso será mais discutido na seção sobre AMOs).

O preço da FRAX, do FXS e das garantias é calculado usando uma média ponderada por tempo (ou TWA) do preço dos pares na Uniswap e do oráculo da Chainlink para ETH:USD.

O oráculo da Chainlink permite que o protocolo obtenha o preço verdadeiro do dólar em vez de uma média de pools de stablecoins na Uniswap.

Isso permite que FRAX permaneça estável ao dólar, o que fornece ainda mais resiliência em vez de usar uma média ponderada apenas de stablecoins existentes.

Frax é um protocolo agnóstico e permite que o mercado determine a proporção de garantias que irá liquidar no longo prazo.

O protocolo Frax nada pressupõe sobre qual proporção de garantia o mercado irá tolerar. Em vez disso, Frax permite que a proporção oscile e o mercado determine qual proporção de garantia precifica FRAX em US$ 1.

Tokeconomia e acúmulo de valor

Inicialmente, o fornecimento de FXS foi definido para 100 milhões de tokens no lançamento.

Já que mais FRAX são usadas em ecossistemas DeFi, isso direciona valor aos holders de FXS, pois a emissão de FRAX exige a queima de FXS (além do decrescente fornecimento de FXS e do valor crescente a holders de FXS).

Conforme o valor do FXS sobe, a estabilidade de preço da FRAX aumenta, criando um looping positivo de feedback para todos que estão emprestando ou tomando emprestado FRAX para negociar em DeFi ou em outras transações econômicas e digitais.

Frax Finance também permite que investidores se tornem fornecedores de liquidez (ou LPs) ao fazerem o “bonding” (processo em que um usuário pode vender ativos a um protocolo em troca de seu token nativo) os pares FRAX/FXS ou FXS/ETH na Uniswap, gerando receita de taxas para os fornecedores de liquidez em negociações e conversões.

O protocolo também implementou um modelo de tokens de governança custodiados por voto (ou VE). Geralmente, esse modelo é análogo à conhecida estrutura veCRV, com poucas variações para o protocolo Frax (explicação abaixo).

Além disso, Frax desenvolveu um recurso exclusivo de protocolo chamado AMO. Serão discutidos de forma mais detalhada abaixo, mas esse mecanismo redireciona o valor de volta a holders de FXS.

Atualizações de desempenho: veFX e AMOs na segunda versão do Frax

veFXS and cvxFXS

Logo após o projeto ter sido lançado em 2020, holders de FXS puderam bloquear seus tokens FXS para gerar veFXS (tokens FXS custodiados por voto) e obter impulso especial, direitos de governança e lucros por AMOs.

O mecanismo de custódia por voto é popular entre diversos protocolos DeFi. Holders de FXS podem bloquear seus tokens FXS por até quatro anos.

Quanto mais tempo os tokens FXS estiverem bloqueados, mais bônus são concedidos aos holders de veFXS. É importante que tokens veFXS não são transferíveis.

Além disso, holders de veFXS também podem participar de grupos “gauges do Frax” e influenciarem ou direcionarem FXS para diferentes grupos de FRAX (um mecanismo similar que foi implementado pelo protocolo Curve e é um sistema de “gauge”).

Holders de FXS podem direcionar FXS a um ou diversos grupos de sua escolha. Quanto todos os FXS forem emitidos, os grupos vão gerenciar para que a expansão da stablecoin FRAX continue recompensando fornecedores de liquidez.

Recentemente, Convex firmou uma parceria com o protocolo Frax para alinhar ainda mais os programas de incentivo dos dois protocolos, principalmente em torno do bloqueio de veFXS ao protocolo CXV.

Antes de analisar essa parceria, é importante entender o papel da Convex no ecossistema DeFi.

Convex foi lançado em maio de 2021 como uma plataforma para impulsionar recompensas de CRV e simplificar o staking de CRV para fornecedores de liquidez e stakers ao criar um ponto de acesso a benefícios de CRV por meio de seu token nativo CVX.

Além disso, logo em que Convex foi lançado, começou a ativamente adquirir os tokens CRV e veCRV. Em 2021, se tornou o maior holder de tokens veCRV no que foi chamado de “Curve Wars” (ou “Guerras no Curve”).

Curve Finance concede tokens CRV como recompensa a fornecedores de liquidez, permitindo direitos de governança sobre quais pools do protocolo terão recompensas em CRV e compartilhamento de taxas. Até o fim de 2021, Convex Finance solidificou seu papel como a principal shareholder da governança do Curve.

veCRV mantidos por tesouros de DAOs: Convex (CVX) se tornou a principal DAO que possui veCRV.

Por Convex ser a principal holder de tokens veCRV, protocolos DeFi começaram a adquirir e firmar parcerias com a Convex como uma forma de acessar os direitos de governança e benefícios alocados a holders de veCRV (lembre-se que holders de veCRV ditam quais pools do Curve são recompensados com emissões de CRV a cada dez dias).

Frax possui 19% de CVX, possuindo poder significativo sobre o protocolo Convex, algo que pode ser considerado como uma referência para o poder de governança do veCRV e um direcionador para futuras recompensas em CRV.

Participação de mercado de CVX pertencente a DAOs: Frax Finance possui cerca de 19% da participação de mercado do CVX.

A parceria entre Frax e Convex concede outros benefícios a holders de veFXs. Estes são capazes de bloquear seus veCVX no protocolo Convex em troca de cvxFXS.

O depósito desses veFXSs é irreversível e bloqueado para sempre. Todos os holders de cvsFXS serão recompensados com uma futura distribuição de tokens (ou “airdrop”) Frax Price Index (FPI).

No futuro, o par de bonding cvxFXS/FXS será criado para que protocolos e usuários possam encerrar suas posições em cvxFXS. Neste momento, staking e recompensas em cvxFTX ainda estão sob desenvolvimento e ainda não foram finalizados.

A segunda versão do Frax: AMOs

A segunda versão do Frax lançou Módulos Algorítmicos de Operações de Mercado (ou AMOs), que criam operações mais simples para o protocolo Frax ao automatizar a movimentação da stablecoin FRAX e suas garantias pelo ecossistema DeFi.

Os AMOs do Frax ainda permitem o crescimento de FRAX ao alavancar os ativos do Frax de uma forma eficiente em capital ao movimentar, de maneira programática, garantias e/ou GRAX para locações eficientes em capital, dependendo da proporção de garantia.

Frax implementou diversos AMOs: FXS 1559, Collateral Investor, Curve AMO, Uniswap v3 e empréstimos com FRAX.

FXS1559 é uma regra em protocolo que todos os AMOs devem utilizar. FX1559 calcula todo o valor excedente no sistema Frax acima da proporção de garantia e utiliza esse valor para comprar FXS para queima.

Até outubro de 2021, FTX1559 afirmou que 50% do valor seria usado para comprar e, em seguida, queimar FXS (criando valor para holders de FXS ao diminuir a demanda) e 50% seria dado diretamente a holders veFXS.

Em outubro de 2021, Frax aprovou uma proposta para dar 100% das receitas e dos lucros de AMOs para holders de veFXS. Essa mudança também incentiva holders de FXS a bloquearem seus tokens como veFXS no protocolo Frax do que armazenar FXS.

Crescimento no fornecimento de FRAX: entre janeiro de 2021 e janeiro de 2022.

O AMO de Garantias de Investidores põe garantias inativas em USDC do tesouro do Frax em funcionamento entre diversos protocolos DeFi, como Aave, Compound e Yearn. Esse AMO irá emprestar ou resgatar garantias automaticamente quando a proporção de garantia mudar.

Conforme a proporção de garantias cai e mais FRAXs possuem lastro algorítmico, o AMO de Garantias de Investidores irá enviar automaticamente garantias aos protocolos mencionados acima para gerar rendimentos por sua USDC para holders veFXS.

Se a proporção de garantias subir e mais garantias forem necessárias para o lastro da FRAX, o AMO de Garantias de Investidores irá funcionar ao contrário e obter as garantias de volta para o tesouro do Frax de acordo com a proporção de garantias que o mercado acredita ser necessária para manter a confiança no Frax.

Desde sua implementação, o AMO acumulou lucros de US$ 63,4 milhões para holders de veFXS.

O AMO do Curve movimenta garantias inativas em USDC e/ou novas FRAX ao pool FRAX3CRV para criar mais liquidez e reformar o lastro da FRAX.

O pool FRAX3CRV gera taxas de negociação ao Curve, CRV e outras recompensas a fornecedores de liquidez (ao emprestar os fornecedores de liquidez do CRV ao Yearn, StakeDAO e Convex).

As taxas de negociação e recompensas a fornecedores de liquidez serão usadas para recompensar holders de veFXS enquanto as recompensas em CRV serão usadas para impulsionar as recompensas do pool FRAX3CRV.

Assim como o AMO de Garantias de Investidores, conforme a proporção de garantia muda, FRAX e, em seguida, USDC, serão acrescentadas (quando a proporção de garantias diminuir) ou removidas (quando a proporção de garantias aumentar) do pool FRAX3CRV para garantir que FRAX seja adequadamente lastreado na porcentagem correta de garantias no tesouro do Frax.

O AMO da terceira versão (ou v3) do Uniswap – ou AMO de Liquidez – põe FRAX e garantias inativas em funcionamento ao fornecer liquidez à v3 da Uniswap. Isso fornece liquidez para que outras stablecoins sejam negociadas e convertidas por FRAX.

Já que o AMO é capaz de abrir qualquer posição na v3 da Uniswap e emitir FRAX, o AMO da v3 da Uniswap permite a expansão para outras stablecoins e uma garantia mais volátil do que existe na v3.

As taxas de negociação geradas da liquidez fornecida são tomadas de volta para recompensas holders de veFXS.

Assim como nos outros AMOs, conforme a proporção de garantias muda, FRAX e garantias podem ser acrescentadas ou sacadas de sua posição de fornecimento de liquidez na v3 da Uniswap.

O AMO de Empréstimos de FRAX permite que a stablecoin seja emitida em mercados monetários, como Aave, para que qualquer um tome FRAX emprestado ao pagar juros em vez de um mecanismo-base de emissão.

A garantia fornecida nesses tesouros de protocolo lastreia as FRAXs emitidas.

O mecanismo aqui usado é bem similar ao recurso D3M da Maker, onde o fornecimento de DAI é expandido/contraído de um mercado de empréstimos com base na atual demanda por tomada de empréstimos.

Esse AMO gera risco, pois FRAX é lastreada por garantias mantidas por outros protocolos, mas o protocolo é capaz de moderar esse risco ao controlar a quantidade permitida para emissão diretamente nos mercados monetários.

Desses AMOs, o AMO de Garantias de Investidores gera a maioria do lucro para o Frax Finance. Conforme pode ser observado no gráfico abaixo, esse AMO gerou lucros de US$ 75 milhões desde que foi implementado em outubro de 2021.

Lucros acumulados por AMOs da segunda versão do Frax: o AMO de Garantias de Investidores acumulou mais de 90% de todos os lucros gerados para o Frax Finance.

Atualmente, existem outros AMOs em desenvolvimento, como o de Hedge de Garantias e uma integração com o Tornado Cash.

Esses também vão seguir os mesmos princípios que todos os outros AMOs cumprem. É provável que AMOs continuem sendo propostos e implementados conforme FRAX é expandida e alavancada como uma stablecoin em mais protocolos DeFi.

Visão geral do mercado

Frax Finance opera no mercado de stablecoins, bastante dominado por stablecoins lastreadas em fiduciárias, como USDC e USDT.

Recentemente, tipos algorítmicos de stablecoins passaram por um tremendo crescimento, principalmente FRAX, cuja capitalização de mercado cresceu quase 530% desde outubro de 2021.

Essa tendência provavelmente continuará conforme o amplo ecossistema busca por liquidez para combinar seu crescimento geral, e stablecoins algorítmicas, como FRAX, possam alavancar sua AMOs de capital eficiente para preencher essa lacuna.

No entanto, FRAX não é a única stablecoin algorítmica que busca expandir seu fornecimento no ecossistema e setor DeFi.

Stablecoins, como FEI e UST, tiveram um crescimento rápido até agora, conforme UST paira sobre os US$ 10,6 bilhões em capitalização de mercado e FEI viu sua capitalização de mercado crescer 50% no último trimestre (quarto trimestre de 2021).

Desenvolvimento e crescimento estão acontecendo a um ritmo alucinante em stablecoins. Um exemplo é a fusão dos protocolos Fei e Rari, fazendo com que Fei capitalize com a integração de sua stablecoin FEI ainda mais no setor DeFi ao alavancar os mercados de empréstimos do Rari.

É improvável que o mercado tenha atingido um estado de dinâmicas de “o vencedor leva tudo” em relação a stablecoins algorítmicas.

Frax e outros protocolos similares de stablecoins provavelmente vão continuar crescendo juntos conforme o mercado de stablecoins como um todo e o setor DeFi crescem.

A partir de uma perspectiva sistêmica, FRAX fez um ótimo trabalho mantendo seu lastro e exibindo as eficiências poderosas de uma stablecoin algorítmica.

Agora que esse fornecimento cresceu e a profunda liquidez de FRAX existe, seria necessário um evento catastrófico (no ecossistema) para desestabilizá-la. Esse risco existe para FRAX, bem como para outras stablecoins robustas.

Roteiro de desenvolvimento (ou “roadmap”) e outras parcerias

O universo de multichains

Frax foi desenvolvido para ser interoperável entre todas as blockchains. Não existe uma implementação independente de Frax para cada blockchain. Por esse motivo, o protocolo possui um sistema de ponte que permite que mantenha um lastro firme e sua fungibilidade.

É importante mencionar que as funções dos AMOs e “gauges” da FRAX podem ser implementados entre diferentes blockchains, permitindo a expansão de FRAX em novos e crescentes mercados e blockchains.

Conforme explicado pela equipe do Frax: “O Frax Protocol é um protocolo multichains com uma consistência de estado global em todas as suas implementações.

Tokens FRAX + FXS são uma distribuição única entre todas as redes”. Cada blockchain possui uma FRAX canônica e um contrato canônico de FXS que são referidos como “FRAX” e “FXS”. Esses tokens são o que AMOs expandem ou contratam e usuários podem emitir ou resgatar.

FPI: token Frax Price Index

Em 1º de janeiro de 2022, o cofundador Sam Kazemian tuitou que a equipe Frax estava e está trabalhando no índice Frax Price Index ($FPI). Permitirá que aplicações descentralizadas (ou dapps) se referenciem a $FPI como um lastro de stablecoin algorítmica.

Ainda não foi dita ou revelada muita coisa, mas holders de cvxFXS receberão um FPI gratuitamente.

Outras parcerias recentes: OlympusDAO & Ondo Finance

Houve outras parcerias, como a conversão de tokens entre OlympusDAO e Frax Finance (OHM <> FRAX) para “incentivar ainda mais a colaboração [das equipes]”.

A equipe da OlympusDAO está ativamente desenvolvendo um tesouro repleto de tokens DeFi e stablecoins que podem ser ligadas a seu token OHM. Isso permite que OlympusDAO crie todo um mercado para a liquidez pertence ao protocolo.

Outra parceria recente é entre Ondo Finance e Frax Finance. Essa parceria visa criar um produto que Ondo irá promover e vender chamado “Frax-as-a-service” (ou FaaS).

A ideia é que o novo protocolo seja capaz de depositar seu token nativo em um vault do Ondo, além de Frax e Ondo combinarem a quantia depositada no protocolo com quantias iguais de FRAX, criando um par de liquidez.

Isso permite que o protocolo tenha liquidez imediata para seu token a usuários e protocolos entrem e saiam sem a necessidade de criar programas de “liquidity mining” (processo em que holders de cripto emprestam ativos para uma corretora descentralizada em troca de recompensas).

Como participante, Frax Finance irá receber retornos anuais de 5% pela liquidez que fornece.

Frax permite que o mercado determine a proporção de garantia que seja confortável a US$ 1 em FRAX.

Conforme a demanda por FRAX aumenta, os holders de veFXS irão se beneficiar conforme recompensas e lucros de AMOs são implementadas para alavancar garantias inativas.

Embora existam riscos para FRAX e a qualquer outro token no setor financeiro da Web 3 a serem considerados, o experimento do protocolo Frax, uma stablecoin algorítmica e fracionária, comprovou ser empolgante e inovador.

Ter múltiplas stablecoins (DAI, FRAX, MIM, UST etc.) com diferentes designs é um acréscimo valor ao ecossistema cripto e Web 3 conforme diminui o risco de ecossistemas blockchain.

FRAX e FXS são criados com um pensamento a longo prazo e uma visão de integrar FRAX em grandes protocolos DeFi.

O novo design de stablecoin fracionária e algorítmica da FRAX permite a criação e alocação de capital eficiente em stablecoins e, conforme o mercado como um todo continua se expandindo, FRAX deve estar bem-posicionada para fomentar esse crescimento.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Messari Hub.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Hackers invadem prefeitura, roubam R$ 6 milhões da Caixa e convertem fundos em criptomoedas

Hackers invadem prefeitura, roubam R$ 6 milhões da Caixa e convertem fundos em criptomoedas

PF faz operação nesta manhã contra grupo que sacou dinheiro da Caixa após invadir o sistema GovConta da prefeitura de Telêmaco Borba (PR)
Imagem da matéria: Reforma do Código Civil prevê inclusão de criptomoedas em herança digital

Reforma do Código Civil prevê inclusão de criptomoedas em herança digital

Mudanças do Código Civil incluem o reconhecimento da herança digital, que inclui criptomoedas, além de senhas de redes sociais e de milhas aéreas
Imagem da matéria: Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Alto número de operações de spam estão fazendo com que a Solana fique mais lenta e que transações não sejam processadas
Imagem da matéria: STF autoriza extradição de belga preso no Brasil por operar pirâmide com criptomoedas

STF autoriza extradição de belga preso no Brasil por operar pirâmide com criptomoedas

De acordo com as investigações, a pirâmide criada pelo belga prejudicou milhares de investidores em diversos países europeus