Imagem da matéria: Empresas negam usar serviço da Fast Cash, processada por vítimas da Atlas Quantum
Foto: Shutterstock

A empresa de pagamentos online Fastcash, que vem sendo processada por vítimas da Atlas Quantum, tem anunciado várias empresas, inclusive multinacionais, como seus clientes. No entanto, segundo apurou o Portal do Bitcoin, três delas negaram o uso do serviços.

De acordo com o destaque “Nossos clientes” na página— até o último dia 30 — as empresas Itaú, Vunesp, Suggar, Totvs, Bayer, Vtex, Avon, Hystalo, Nestlé, Tray, Microsoft, EA, B2W e Ame, estavam listadas como clientes da Fastcash.

Publicidade

Com exceção da EA, todas as instituições foram questionadas pela reportagem sobre a relação comercial. Avon, Vunesp e Bayer negaram ser clientes da empresa de pagamentos. As demais não responderam até a publicação deste texto.

“Não deveria estar lá o logo da Avon. Estamos vendo internamente o que podemos fazer em relação a isso. Muito obrigado por nos avisar”, disse a assessoria em resposta ao email enviado no último dia 25.

Na quarta-feira (01), a logomarca da Avon havia sido retirada da lista de clientes da Fastcash.

A Vunesp afirmou que nunca foi cliente da empresa. A Bayer mostrou uma posição similar: “Desconhecemos a Fastcash e qualquer parceria com a empresa”.

Na manhã da sexta-feira (03), o logo de ambas empresas já não constavam mais na página. Da mesma forma, as logomarcas de Itaú, Bayer, Vtex e Nestlé.

Publicidade
Carteira de clientes anunciada no site da Fastcash (Imagem: Reprodução)
Fastcash excluiu cinco logomarcas após os questionamentos (Imagem: Reprodução)

O que disse a Fastcash

Sobre a questão, a empresa afirmou que “atende essas empresas indiretamente por meio da plataforma Webpremios”. 

A Webpremios pertence a um grupo chamado LTM e que atua como ponte no mercado de premiação e recompensas.

A LTM inclusive foi citada pela Avon como uma fornecedora de serviços da empresa; mas não a Fastcash.

Empresa nega relação com Atlas Quantum

A Fastcash tem sido arrolada em vários processos contra a Atlas Quantum na Justiça por clientes que perderam seus bitcoins. Há, inclusive, liminares que pedem o bloqueio dinheiro das contas da empresa. Embora estivessem no mesmo endereço, a empresa negou ter qualquer relação com Rodrigo Marques.

De acordo com um processo de perdas e danos, por exemplo, que corre no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), o juiz Fernando Henrique de Oliveira Biolcati deferiu um pedido de bloqueio de R$ 48.597,47 em ativos existentes em nome de Fastcash e da Atlas, concomitantemente. A empresas foram avisadas no dia 06 de maio deste ano. 

Contudo, numa atualização no dia 19 de junho a ordem de arresto foi suspensa por desistência do autor da ação.

Como são diversos casos, há outros decisões que são bem piores para a Fastcash. O Portal do Bitcoin teve acesso a um processo movido pelo advogado Artêmio Picanço cujo resultado foi bem diferente. No dia 7 de julho, o juiz Gustavo Coube de Carvalho manteve o arresto e disse que a empresa era parte legítima da ação de reparação de dano:

Publicidade

“Sua eventual responsabilidade decorre da alegada existência de grupo econômico com as corrés apontadas como causadoras diretas do dano, e também na possível instrumentalização, na condição de fornecedor integrante da cadeia de serviço, de fraude contra consumidor”.

Confira a posição da Fast Cash:

“A Fastcash, que oferece soluções de pagamento online, vem conseguindo na Justiça vitórias a seu favor, comprovando que a empresa não tem qualquer relação societária com a Atlas Quantum. 

A maioria dos juízes já entendeu que a prestação do serviço de processamento de pagamentos não implica qualquer tipo de sociedade.

Hoje, a Fastcash tem a seu favor 12 processos terminados com desistências pela parte acusadora, que após ler a defesa, entendeu que a Fastcash é uma empresa independente. 

Por um período próximo a um ano, iniciando em 2018, a Fastcash processou pagamentos para a Atlas Quantum, assim como segue fazendo para mais de 50 empresas e seus mais de seis milhões de clientes.

Publicidade

Este é o core business da Fastcash, oferecer um sistema de pagamento online para terceiros, receber e enviar dinheiro, pagar contas e ainda ofertar serviços bancários.

E esta era a única relação contratual entre a Fastcash e a Atlas Quantum. Contrato este que foi rompido a pedido da Fastcash tão logo ficaram evidentes os problemas de gestão da Atlas Quantum.

Confiante na Justiça, a Fastcash está à disposição para esclarecer dúvidas de qualquer cliente no email [email protected]”.

VOCÊ PODE GOSTAR
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de forex e criptomoedas de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Kaarat
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Receita alerta sobre golpe do “erro na declaração” do Imposto de Renda; veja como se proteger

Os criminosos informam supostos erros em declarações para induzir a vítima a baixar um arquivo malicioso
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Tokenização de ativos enfrenta área cinzenta na declaração de Imposto de Renda |Opinião

Para o autor, a declaração de tokens que representam recebíveis, e outros ativos do mundo real, devem mudar nos próximos anos
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca