Imagem da matéria: Empresa processa governo dos EUA por desencorajar bitcoin em planos de aposentadoria
(Foto: Shutterstock)

ForUsAll, uma fornecedora de serviços de aposentadoria — ou “401(k)”, em inglês — com mais de US$ 1,7 bilhão de ativos sob gestão, processou o Departamento de Trabalho dos EUA (DOL) por planejar uma investigação de empresas que oferecem opções de investimento com criptomoedas a clientes.

A empresa com sede em São Francisco (EUA) indicou que os reguladores também desincentivaram funcionários a recorrer às criptomoedas em seus planejamentos de aposentadoria.

Publicidade

“Esse processo judicial visa preservar os direitos de investidores americanos em escolher como investir o dinheiro em suas próprias contas de aposentadoria”, diz trecho da ação judicial.

“Submetida sob a APA [Lei de Procedimento Administrativo], esta ação judicial contesta a tentativa arbitrária e caprichosa do DOL em restringir o uso de criptomoedas em planos fixos de contribuição à aposentadoria”.

Em outro comunicado, a ForUsAll alega que a agência federal deve focar em seu processo regulatório antes de emitir tais orientações de forma pública.

“O DOL possui diversos papéis importantes que atendem trabalhadores americanos — mas ‘aspirante a consultor financeiro’ não deveria ser um deles”, afirmou Jeff Schulte, CEO da ForUsAll.

Publicidade

Em junho de 2021, a ForUsAll havia firmado uma parceria com a Coinbase, oferecendo até 5% de poupança de aposentadoria para 50 diferentes criptomoedas. Agora, a empresa atende mais de 80 mil contribuintes entre 500 planos.

A Fidelity também entrou nessa tendência, permitindo que seus clientes diversificassem suas contas de previdência com até 20% em bitcoin (BTC).

Conforme cripto e planos de previdência continuam a surgir, o DOL se juntou a diversos políticos, como a senadora Elizabeth Warren, para alertar e reprimir a tendência.

Repressão ao mercado cripto

O DOL publicou suas primeiras orientações contra a incorporação de criptomoedas a planos previdenciários em março de 2022.

As orientações alertam sobre os riscos de acrescentar cripto a esquemas de investimento de aposentadoria, citando fraudes, roubo e a falta de regulamentação para esses ativos.

Publicidade

Outros problemas destacados eram a natureza volátil das criptomoedas, dificuldades na contabilidade, preocupações com a valorização e impactos econômicos.

O órgão acrescentou que uma investigação seria realizada para analisar empresas que oferecem contas de aposentadoria com exposição a criptomoedas:

“Com base nessas e outras preocupações, a EBSA [Administração de Segurança a Benefícios de Empregados] espera realizar um programa investigativo voltado para planos que ofereçam investimentos aos participantes em criptomoedas e produtos relacionados”.

No entanto, o DOL não quer banir criptomoedas nos planos de aposentadoria, relembrou Ali Khawar, secretário-assistente da EBSA em entrevista ao Wall Street Journal em maio.

“Não considero essas orientações como algo definitivo”, explicou. “É focado neste estágio de desenvolvimento.”

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Policial algemando suspeito durante a noite

Médico perde R$ 500 mil em criptomoedas após encontro por aplicativo e sequestro; suspeitos são presos

Os sequestradores que aplicaram o famoso ‘golpe do amor’ foram presos rapidamente pela PM de SP; Polícia Civil investiga o paradeiro dos ativos
Policiais federais fotografados de costas

PF e Receita Federal caçam grupo suspeito de lavagem de dinheiro com criptomoedas

Policiais federais e auditores-fiscais se mobilizaram em quatro estados para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão em um esquema de importações ilegais
Imagem da matéria: Terraform Labs e Do Kwon pagarão US$ 4,5 bi para resolver o caso de fraude da SEC

Terraform Labs e Do Kwon pagarão US$ 4,5 bi para resolver o caso de fraude da SEC

Embora o magnata das criptomoedas ainda esteja em Montenegro, ele agora está sendo responsabilizado pessoalmente por US$ 204 milhões
Smartphone com logotipo Kraken na mão com site desfocado como plano de fundo

Kraken revela ter perdido R$ 16 milhões em “bug crítico”

A corretora de criptomoedas afirma ter sido extorquida pelos pesquisadores de segurança que descobriram a falha