Imagem da matéria: Elon Musk nega manipulação de Dogecoin em processo na Justiça
Elon Musk em montagem com o símbolo da Dogecoin (Reprodução/Decrypt/Twitter)

O magnata bilionário Elon Musk negou as acusações de possuir carteiras de Dogecoin (DOGE) em meio ao seu processo em andamento por manipulação de mercado e fraude de títulos relacionados à criptomoeda meme.

O fundador e CEO da Tesla e, por um breve período, CEO do Twitter, está atualmente enfrentando um processo de US$ 258 bilhões por suposto esquema de pirâmide com Dogecoin. O caso afirma que Musk fazia parte de um esquema de associação criminosa para apoiar a criptomoeda.

Publicidade

De acordo com uma petição protocolada em 7 de junho de 2023, Musk é acusado de vender 1,4 bilhão de Dogecoin, no valor de mais de US$ 124 milhões. Os registros mencionam duas carteiras diferentes, supostamente pertencentes ao bilionário, que teriam vendido os tokens.

Essa suposta venda lucrativa ocorreu durante um período de dois dias em abril (4 a 6), quando o Twitter substituiu seu icônico pássaro azul pela imagem do logotipo do Dogecoin, um cachorro Shiba Inu. No entanto, o agregador de preços Coingecko apontou uma queda no preço do token, de US$ 0,095 para US$ 0,085, durante esses dois dias.

O advogado de Elon Musk, Alex Shapiro, negou essas acusações, de acordo com uma carta obtida pelo The New York Post. “Você alega especificamente, sem fundamento, que as seguintes carteiras ‘pertencem’ a [Musk]”, diz a carta. “A única base para sua alegação é que essas carteiras venderam Dogecoin em um momento em que, de acordo com a Terceira Emenda da Queixa, os preços estavam em alta”.

Um grupo de investidores de DOGE já havia emendado o processo em maio, quando acusaram Musk de práticas manipuladoras que impulsionaram o preço do token. Essa petição o acusa de “manipulação transparente do mercado de criptomoedas”, afirmando que Musk estava explorando seu impressionante número de seguidores no Twitter e sua subsequente aparição no programa Saturday Night Live da NBC.

Publicidade

Elon Musk e Dogecoin

Musk, autoproclamado “Dogepai” e “CEO do Dogecoin”, não tem hesitado em mostrar seu favoritismo pela criptomoeda meme. Ele repetidamente recorreu às redes sociais para “twittar sobre o token”, o que resultou em seus recentes problemas com a lei.

Inventada como uma piada em 2013 para a comunidade de criptomoedas não levar a si mesma tão a sério, a infame moeda meme ganhou popularidade e valor. Atualmente, é a nona maior criptomoeda em termos de capitalização de mercado no CoinGecko, sendo negociada a $0,06 com uma surpreendente capitalização de mercado de $8,7 bilhões de dólares.

Elon Musk é uma misteriosa “baleia” de Dogecoin ou apenas um provocador no Twitter? Caberá ao juiz decidir.

*Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Memecoins da TON sobem apesar de fraqueza do mercado cripto

Memecoins da TON sobem apesar de fraqueza do mercado cripto

Memecoins criadas na TON, como The Resistance Cat, tiveram alta de até 50% no domingo, recuperando parte das perdas recentes
Martin Shkreli o Pharma Bro, posa para foto em banco de praça

“Pharma Bro” assume estar por trás da DJT, polêmica memecoin inspirada em Trump

Martin Shkreli, o “Pharma Bro”, disse ter mil provas de que criou o token DJT com o filho de Donald Trump
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin cai para US$ 63 mil em meio ao esfriamento dos ETFs 

Manhã Cripto: Bitcoin cai para US$ 63 mil em meio ao esfriamento dos ETFs 

ETFs de Bitcoin já perderam mais de US$ 900 milhões nesta semana — o pior desempenho desde abril
Imagem da matéria: A empresa de segurança Certik está extorquindo a Kraken por milhões? Entenda

A empresa de segurança Certik está extorquindo a Kraken por milhões? Entenda

A empresa de segurança alegou que teve muito pouco tempo para devolver os fundos da Kraken enquanto testava o escopo de uma exploração