Imagem da matéria: El Salvador inicia conferência com 44 países para discutir criptomoedas e inclusão financeira
Delegações de 44 países posam para foto em El Salvador (Imagem: Divulgação/BCR)

O governo de El Salvador começou a receber na segunda-feira (16) representantes de 44 países da África, Ásia e América Latina — 32 bancos centrais e de 12 autoridades financeiras — para debaterem criptomoedas e inclusão financeira na conferência ‘Serviços financeiros digitais e financiamento para PMEs’.

O evento, que vai até a próxima quinta-feira (19), é parte das ações do Banco Central de Reserva (BCR), o banco central de El Salvador, junto à iniciativa global ‘Alliance for Financial Inclusion’ (AFI).

Publicidade

Segundo informações do órgão, o debate se dará com base no quadro atual da economia digital, os desbancarizados e os benefícios que o Bitcoin trouxe a El Salvador — o primeiro país a adotar uma criptomoeda como moeda de curso legal.

Destaque internacional

Na abertura do evento, o presidente do BCR, Douglas Rodríguez, destacou que o trabalho do governo do presidente Nayib Bukele para modernizar o mercado financeiro e incentivar a inclusão financeira dos salvadorenhos está fazendo o país se destacar em uma escala internacional.  

Essas ações incluem a aprovação do Conselho Nacional de Inclusão Financeira e Educação (CNIEF), o lançamento da Política Nacional de Inclusão Financeira, a criação do Escritório de Inovação Financeira e a aprovação da Lei Bitcoin, entre outras medidas. 

Da mesma forma, destacou que os temas que serão abordados nessas reuniões estão alinhados com as prioridades estabelecidas nesta Política que foi apresentada em março de 2021, dada a importância da inclusão financeira para promover o crescimento econômico, reduzir a pobreza e melhorar a qualidade de vida da população. 

Publicidade

Como parte do evento, o BRC e instituições pertencentes ao CNIEF vão apresentar aos membros da AFI algumas das principais iniciativas, incluindo decisões políticas e regulamentos, que estão ajudando mais salvadorenhos a ter acesso a produtos e serviços financeiros.

Entre os bancos centrais participantes estão as entidades do Paraguai, Gana, Egito, além da Superintendência Geral de Finanças Entidades da Costa Rica e a Superintendência da Economia Popular e Solidária do Equador. Vi Twitter, o presidente de El Salvador anunciou alguns dos países presentes ao evento. Ele destacou 40 nações; veja a lista apresentada pelo político:

Bancos centrais: El Salvador; São Tomé e Príncipe; Paraguai; Angola; Gana; Namíbia; Uganda; Guiné; Madagascar; Haiti; Burundi; Essuatíni (antiga Suazilândia); Jordânia; Gâmbia; Ruanda; Lesoto; Libéria; Paquistão; Nigéria; Bangladesh; Armênia; Moçambique; Serra Leoa; Zâmbia; Sudão; Marrocos; Mauritânia; Congo; Malawi.

Autoridades financeiras: Honduras; Maldívias; Kênia; Costa Rica; Equador; Senegal; República Dominicana; Mongolia; Zâmbia;. Palestina. Egito; Essuatíni.

VOCÊ PODE GOSTAR
Ministro Zhaslan Madiyev ex-gerente Binance Cazaquistão

Gerente da Binance é nomeado ministro de Desenvolvimento Digital no Cazaquistão

Depois de passagens por bancos e órgãos do governo cazaquistanês, Zhaslan Madiyev ocupa agora o maior cargo do Ministério de Desenvolvimento Digital, Inovações e Indústria Aeroespacial
Imagem da matéria: Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Meta é que comunidade de programadores crie soluções na XRP Ledger, blockchain usada pela empresa e que tem o token nativo XRP
Imagem da matéria: BNDES planeja lançar em agosto o piloto da Rede Blockchain Brasil

BNDES planeja lançar em agosto o piloto da Rede Blockchain Brasil

Blockchain deve chegar com casos de uso: diploma digital pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa e uma cadeia de custódia de provas
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024