Imagem da matéria: Depois um ano, corretora de bitcoin consegue reabrir conta no Banco do Brasil
Foto: Shuttestock

A Justiça de São Paulo ordenou que o Banco do Brasil reabra a conta corrente da exchange Brasil Bitcoin. A decisão foi publicada na última terça-feira (11) no Diário Oficial do Estado de São Paulo. A decisão reformou a sentença que havia dado ganho de causa à instituição bancária.

A corretora teve R$ 98 mil bloqueados e levou cerca de um ano tentando recuperar judicialmente a conta encerrada no Banco do Brasil. Somente depois de apelar é que conseguiu a decisão favorável vinda do Tribunal. 

Publicidade

De acordo com o desembargador João Camillo de Almeida Prado Costa da 19ª Câmara Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), o Banco do Brasil não poderia encerrar a conta da corretora sob o argumento de que houve fraude acerca do depósito de R$ 98 mil.

“As questionadas operações estavam de acordo com o perfil de movimentação em conta corrente da empresa autora, que negocia a compra e venda de moedas digitais”, afirmou.

No entanto, o desembargador não acolheu o pedido de indenização por danos morais da corretora de criptomoedas:

“Não sofreu a autora abalo à sua imagem no meio empresarial ou restrição de crédito, a par do que o bloqueio da conta permaneceu por tempo pouco significativo”. 

O caso é que o valor de R$ 98 mil que estava nessa conta foi entregue pela instituição financeira ao Banco Itaú.

Publicidade

Banco do Brasil sem razão

A ação tramita em segredo de Justiça, mas o Portal do Bitcoin tem acompanhado por meio das decisões que são públicas. A sentença que foi derrubada pelo TJSP, afirmava que a devolução de R$ 98 mil ao banco Itaú se deu por suspeita de fraude.

O juiz havia acolhido os argumentos do Banco do Brasil, o qual sustentou que o saque se tratava de culpa exclusiva de terceiro.

Na apelação, porém, a Brasil Bitcoin alegou que não houve fraude. A exchange defendeu que não foi comprovado “que a pessoa que fez as transferências bancárias tivesse contestado tais operações e de que o itaú unibanco s/a tenha solicitado a devolução dos R$ 98 mil creditados na conta corrente da autora”.

Desta maneira requereu indenização por danos morais. Esse pedido, contudo, foi negado pelo Tribunal. O desembargador da 19ª Câmara de Direito Privado apenas entendeu que não houve motivo para o encerramento da conta da empresa cripto.

Publicidade

Jorge Alves, gerente de marketing da Brasil Bitcoin, afirmou que não houve prejuízo e que o valor era baixo “em relação ao total custodiado”. Entretanto, estar com a conta no Banco do Brasil, segundo ele, impacta em até 20% dos depósitos.

“Por ser um banco público que possui milhões de clientes, essa instituição era uma das principais opções dos clientes para depositar e sacar na plataforma.Entre 15% e 20% dessas operações eram realizadas pelo Banco do Brasil”.

Alves mencionou que apesar disso as operações não foram tão impactadas pois a empresa conseguiu resolver o problema enquanto a conta estava encerrada. Ele, porém, disse que o maior problema naquele tempo era não poder oferecer o Banco do Brasil como “banco conveniado”. 

Resposta do banco

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do Banco do Brasil, a qual informou por nota que:

“O Banco do Brasil está analisando o teor da decisão judicial para definir as providências a serem adotadas”.

  • Leia também: CVM multa trader que lucrou R$ 234 mil com técnica de manipular ações
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte
logo do bitcoin em cima de livro

Goiânia recebe lançamento do livro “101 Perguntas Sobre Bitcoin”

A obra da Editora Portal do Bitcoin escrita pelo engenheiro Breno Brito serve como um guia para compreensão da criptomoeda mais popular do mundo; veja como participar
Policiais federais fotografados de costas

PF e Receita Federal caçam grupo suspeito de lavagem de dinheiro com criptomoedas

Policiais federais e auditores-fiscais se mobilizaram em quatro estados para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão em um esquema de importações ilegais