Imagem da matéria: Day trader que prometia 30% de rendimento mensal é acusado de sumir com dinheiro de clientes
Bruno Cruz em foto no Instagram

O day trader Bruno Felipe da Cruz está sendo acusado de sumir com o dinheiro de várias pessoas que depositaram confiança em seus contratos de investimentos. Segundo reportagem na quarta-feira (09), exibida pelo Tribuna da Massa, jornal da afiliada do SBT, Rede Massa, Cruz prometia rendimentos entre 18% e 30% em cima dos valores aportados, mas deixou de pagar os clientes.

A denúncia, contudo, partiu do programa exibido no último dia 04. Na ocasião, o apresentador Eleandro Passaia mostrou o caso, resultado de várias denúncias feitas à emissora.

Publicidade

Cruz, que no Instagram se apresenta como ‘Trader de Estratégia’, usou as empresas ‘Capital & Coaching’ e ‘Exodus Trade’ para oferecer investimentos que supostamente seriam feitos através de trading no mercado de ações.

“Suposto falso investidor”

Durante a reportagem, vários clientes alegaram a falta de pagamento. Segundo apurou a equipe do Tribuna, o prejuízo desse grupo chega na casa dos R$ 500 mil. No início os clientes eram pagos, mas quando chegava a renovação do contrato “a coisa mudava de figura”. 

Procurado pelo programa na ocasião, por telefone, Cruz disse que no ano passado a empresa teve perdas e que estaria passando por uma reestruturação. No programa seguinte, acompanhado por um advogado, o trader concordou em dar entrevista, enquanto a tela exibia a frase “suposto falso investidor”.

Ele se apresentou como um especialista que atua no mercado desde 2017 e que trabalhou para empresas até montar seu próprio método de operação.

Publicidade

Questionado sobre a primeira denúncia, de uma pessoa identificada com Janderson, o day trader disse que nunca teve contato com o cliente. Naquele momento ele também passou a chamar os demais clientes de “sócios-investidores”.

“Eles são sócios-investidores. Ninguém é cliente diretamente. Não foi apontada uma arma na cabeça das pessoas. Antes de assinar um contrato o que você tem que fazer?”, questionou Cruz

A reportagem, então, lhe mostou um print de comprovante de depósito de R$ 15 mil, supostamente feito por Janderson. Cruz não aceitou a imagem como prova de vínculo. 

 Luiz Gustavo, advogado que o acompanhou, defendeu:

“Isso não tratou de um golpe, quero deixar muito claro para todos. Quando estava todo mundo ganhando dinheiro não tinha ninguém reclamando. quando cruz perdeu dinheiro vieram as reclamações. Estão tentando desmoralizá-lo.

Publicidade
Bruno Cruz sendo entrevistado; Acima, o apresentador Eleandro Passaia. Reprodução/Rede Massa

Day trader amarelou

De acrodo com o programa seguinte, após as denúncias, Cruz aceitou o convite de Passaia para que ele mostrasse ao vivo como era possível obter tais rendimentos. No entanto, em vez de ir ao programa ele resolveu enviar um vídeo. Seu argumento foi de que operar com pressão poderia ter seu psicológico abalado e não apresentar um bom trabalho.

“Nós achamos melhor não estar pessoalmente nessa operação para não criar transtorno, pois como todos sabem, quem opera, quem trabalha com esse mercado, ele não é um jogo”, disse o day trader

No vídeo, mostrado em partes pelo Tribuna, Cruz aparece realizando uma operação cuja performance foi 100% positiva. Em sua conta homônima no Youtube, o trading aparece também, mas ao que parece, não na íntegra. 

É nele também que Cruz se defende das acusações e diz que “nós nunca fugimos da responsabilidade de sócio”. Segundo ele, as tratativas que tentaram fazer foi uma forma de encontrar a solução para que ninguém ficasse no prejuízo.

“Nunca fugimos. Nunca foi um golpe”, disse.

Acusou programa de manipulação

Ao final do vídeo, Cruz disse que esperava que o vídeo não fosse manipulado, alegando que tal ação teria acontecido em uma reportagem anterior.

Publicidade

“Você é muito cara de pau”, disse sorrindo Passaia ao ouvir comentário.

Além disso, ao mostrar uma imagem das vítimas, o apresentador foi irônico e falou que “todos são atores contratados pela Rede Massa para tentar te prejudicar”.

“Essas pessoas aqui são reais; elas nos procuraram. E sempre que eu toco no seu nome vêm ligações dizendo ‘meu Deus, até que enfim alguém fez alguma coisa’”, revelou Passaia.

Segundo Passaia, o jornal mostrou “um calhamaço” de documentos mostrando os depósitos feito por clientes nas contas de Cruz. Fora isso, o apresentador ressaltou a revelação das acusações dos investidores contra ele. Os depósitos, disse, eram de valores diversos — de R$ 15 mil a R$ 200 mil.

“Já tem gente que diz que, por baixo, você pegou R$ 8 milhões no mercado”, contou Passaia. “E aí depois você ainda tenta dizer que que a culpa tá com a gente? Toma vergonha rapaz!”, acrescentou. 

Supostas vítimas do day trader Bruno Cruz. Imagem: Reprodução/Rede Massa

Duas empresas

Conforme conta no Youtube, Bruno Cruz aparece junto à seguinte frase: “Somos especialistas em rendimentos de alta performance” — mercado financeiro, bolsa de valores, trading.

De acordo com informações em um dos sites (atualmente bloqueado) utilizados por Cruz para oferecer o serviço, foram duas empresas usadas no suposto golpe.

Publicidade

Segundo o site, Cruz e os sócios ofereciam os investimentos por meio da Capital & Coaching. Este era nome fantasia da C&C Administradora de Fundos Ltda. Depois a oferta passou a ser feita através da Exodus Escola de Negociador. Este era o nome fantasia da empresa ‘Juliane Cristina Gomes’, mas divulgada como ‘Exodus Trade’.

Ambas empresas possuem registro na Receita Federal — C&C com CNPJ no Paraná e Exodus em Santa Catarina. Além disso, há também outra informação: Gomes seria a atual esposa de Cruz.

De acordo com o alerta, a página foi bloqueada por suspeita de “crimes contra o Sistema Financeiro, lesando centenas de pessoas com a promessa de ganhos ilusórios”.

O negócio teria outros dois sócios: Danilo José Cordeiro e Jonathan Marcos Caetano. Conforme a página, todos tinham participações iguais, de 33%.

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira