Foguete da Blue Origin
Imagem: Divulgação Blue Origin

Uma organização autonôma descentralizada (DAO, na sigla em inglês) conseguiu concentrar esforços e mandar um YouTuber para o espaço na quinta-feira (4) em um voo feito pela Blue Origin, empresa aeroespacial de Jeff Bezos, o criador e dono da Amazon. As informações são do portal CoinDesk.

O grupo levantou cerca de US$ 8 milhões para comprar o bilhete para a viagem que dura cerca de 12 minutos. A DAO tem como objetivo “descentralizar o casso ao espaço” e mantém planos de promover festas na Lua.

Publicidade

A MoonDAO promoveu uma votação em sua comunidade no Discord, na qual só te direito a voto quem tem o token da organização. Mais de 5 mil membros da comunidade votaram a escolheram o YouTuber Coby Cotton para ir ao espaço. Ele é membro de um canal na plataforma com mais de 58 milhões de seguidores.

Veja abaixo um vídeo do voo:

Além disso a DAO comprou um segundo bilhete para uma viagem que irá ocorrer nos próximos meses. Dessa vez a escolha será por meio de um sorteio entre os donos de uma coleção NFT chamada “Ticket to Space”.

Um dos principais organizadores da MoonDAO é Pablo Moncada-Larrotiz,que esteve envolvido na organização que tentou comprar uma cópia original da Consituição dos Estados Unidos – o grupo não conseguiu, pois um bilionário fez uma oferta maior e levou o documento.

“Eu estou apaixonado com a ideia de DAOs em geral. Eu acho que tem muitas boas coisas, como estabelecer um conjunto de ferramentas para as pessoas colaborarem e se coordenarem online. Quando você compra um NFT é muito abastrato. A ideia de que você pode ser sorteado para ir ao espaço torna muito mais interessantes”, disse Moncada-Larrotiz ao CoinDesk.

Publicidade

Brasileiro vai ao espaço por compra de cripto

Não é a primeira vez que cripto e espaço se juntam. No dia 4 de junho Victor Hespanha se tornou o segundo brasileiro a ir ao espaço. O mineiro de 28 anos embarcou em um voo espacial da Blue Origin após ter vencido um sorteio entre donos de NFTs da empresa Crypto Space Agency (CSA).

A CSA emitiu uma série de 5.555 tokens não-fungíveis (NFTs) chamados Gen-1. Todos que compraram os NFTs participaram do sorteio, que acabou agraciando o brasileiro.

Segundo a empresa, ao comprar um NFT, o cliente se torna membro de uma comunidade que tem como objetivo fomentar e viabilizar projetos espaciais com criptomoedas, entre outros benefícios.

O primeiro destes benefícios foi a viagem espacial, mas em breve a CSA diz que irá divulgar outras vantagens para os membros.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Tether passa a deter 25% da mineradora de Bitcoin Bitdeer

Tether passa a deter 25% da mineradora de Bitcoin Bitdeer

Tether, a empresa por trás do USDT, agora possui 25% das ações da mineradora de Bitcoin Bitdeer, de acordo com um novo documento da SEC na quinta-feira
Policial algemando suspeito durante a noite

Médico perde R$ 500 mil em criptomoedas após encontro por aplicativo e sequestro; suspeitos são presos

Os sequestradores que aplicaram o famoso ‘golpe do amor’ foram presos rapidamente pela PM de SP; Polícia Civil investiga o paradeiro dos ativos
Ilustração mostra logotipo Solana à frente de gráfico de trading

Fundação Solana pune validadores acusados de “ataque do sanduíche”

Os ataques do sanduíche (sandwich attacks) vão contra as regras estabelecidas pela Fundação; Entenda
Imagem da matéria: Hacks de criptomoedas roubaram US$ 19 bilhões desde 2011 e atividades ilegais seguem crescendo

Hacks de criptomoedas roubaram US$ 19 bilhões desde 2011 e atividades ilegais seguem crescendo

Relatório da Crystal Intelligence mostra que em 13 anos ocorreram 785 casos de roubos de criptomoedas, no valor total de US$ 19 bilhões