Imagem da matéria: DAO levanta US$ 40 milhões para construir Internet descentralizada e resistente à censura
Foto: Shutterstock

A Tomi, uma organização autônoma descentralizada (DAO), anunciou na terça-feira (21) que levantou US$ 40 milhões para seu projeto de Internet descentralizada livre e resistente à censura, chamada “tomiNet”. Segundo comunicado em seu blog oficial, a rodada de investimento liderada pela DWF Labs, contou a Ticker Capital, a Piha Equities, entre outros investidores privados.

O objetivo de Tomi é criar uma rede alternativa à World Wide Web (www), que é a internet como conhecemos atualmente, livre de vigilância e governada por uma DAO, para promover a liberdade de expressão.

Publicidade

Segundo a DAO, a equipe alavancará os fundos para facilitar a integração de criadores e editores de conteúdo de renome na rede, garantindo que os usuários tenham acesso seguro a conteúdo de alta qualidade.

“A equipe também está desenvolvendo um plano de monetização mais justo que ajudará os criadores a se concentrarem no conteúdo em si, evitando menções de patrocínio e intervalos comerciais que distraem”, ressalta o comunicado.

“Mais um passo em direção à nossa missão de levar a tomiNet à adoção em massa”, comemorou Tomi também no Twitter. 

Construindo uma nova internet

A Tomi argumentou que a rede mundial de computadores sucumbiu à vigilância e censura governamentais e corporativas, enquanto algumas alternativas à internet convencional protegem a privacidade do usuário e o acesso a informações sem censura, mas abrem brechas para problemas como atividades ilícitas, a exemplo da dark web.

Publicidade

A iniciativa da Tomi DAO, contudo, se descreve como uma “lousa limpa para a internet” e se compromete a não dar espaço para criminosos, pois tudo será votado pela comunidade: “desde alterações de código até censura de conteúdo que não atende às diretrizes da comunidade da rede. A DAO vota contra conteúdo relacionado a terror, pornografia infantil e outras formas de violência”.

“Estamos entusiasmados com o futuro da Tomi”, comentou Eugene Ng, da DWF Labs — mesma empresa que aportou no início deste mês US$ 10 milhões na rede blockchain de origem chinesa Conflux, emissora do token CFX.

Para o japonês Hirokado Kohji, descrito pela equipe como uma “baleia” entre os investidores das criptomoedas, “como investidor, meu foco não é apenas fornecer suporte financeiro, mas também promover o crescimento e a expansão no mercado asiático. Com isso em mente, estou empenhado em trabalhar com a Tomi para garantir seu sucesso e uma adoção mais ampla nesta região”.

Por sua vez, a Ticker Capital disse que “vê um grande potencial para a tomiNET atrair criadores e editores de conteúdo de primeira linha”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Bitcoin em gráfico de alta com seta azul apontado para o alto

Traders esperam que Bitcoin supere a máxima de US$ 74 mil em breve

“Esperamos um impulso de alta aqui que pode nos levar de volta às máximas de US$ 74 mil”, disse a QCP Capital sobre o momento do Bitcoin
Tela de celular mostra logotipo Drex- no fundo notas de cem reais

Banco Central adia Drex para realizar novos de testes de privacidade

BC explica que primeira fase de testes foi focada em elementos de privacidade, mas as soluções encontradas “ainda não estão maduras”
Imagem da matéria: As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

Enquanto outras empresas gastam milhões em candidatos pró-cripto, Joe Lubin diz ao Decrypt que a Consensys resistiu ao impulso
Imagem da matéria: ABCripto lança campanha de arrecadação de criptomoedas em apoio a vítimas de enchentes no RS

ABCripto lança campanha de arrecadação de criptomoedas em apoio a vítimas de enchentes no RS

Ação conjunta da ABcripto e associados visa levantar fundos e doações para desabrigados das inundações