Imagem da matéria: Criptomoeda que apareceu do nada e quase morreu sobe 100%
Foto: Divulgação

A Internet Computer (ICP) – criptomoeda que apareceu do nada, teve uma alta meteórica em poucos dias e quase morreu em seguida, deixando um prejuízo bilionário aos investidores – ressurgiu das cinzas.

Na última semana, o ativo digital valorizou 100%, pulando de US$ 38 para US$ 75 na manhã desta terça-feira (10), segundo o CoinMarketCap.

Publicidade

Foi a segunda maior alta semanal registrada por uma criptomoeda — o primeiro lugar ficou com a Ravecoin (RVN). Nas últimas 24 horas, o ICP subiu 15%.

A disparada de preço pode ser atribuída ao crescimento da blockchain da criptomoeda. Até o final de julho, a Dfinity Fountation, empresa por trás do projeto, atraiu cerca de 500 desenvolvedores e mais de 200 mil usuários.

A quantidade de novos smart contracts na blockchain chegou a 3.508 na segunda-feira (9), número 246% superior ao registrado há exatos 30 dias, conforme tweet de Diego Prats, diretor de produto da empresa.

80% abaixo de máxima histórica

Apesar do bom desempenho da criptomoeda, o ICP está 87% abaixo de sua máxima histórica de US$ 700, registrada no dia 10 de maio.

Publicidade

A criptomoeda, assim como o Bitcoin (BTC) e as demais altcoins, sofreu com as quedas generalizadas de maio e junho, causadas, em parte, pelo aumento da repressão da China contra o setor e pelas declarações de Elon Musk, CEO da Tesla e da Spacex.

Mas não foi só isso.

Um relatório publicado em junho pela empresa de análises Arkham Intelligence sugeriu que a derrocada do ativo também ocorreu por causa de uma venda massiva de ICP no mercado, feita por insiders (pessoas com informações privilegiadas) ligados à fundação por trás do projeto.

Em resumo, o documento apontou que esses investidores receberam grande quantidade de ICP após o lançamento da moeda, venderam o ativo na alta e levaram o preço para baixo, deixando um rastro de prejuízo para milhares de investidores.

Na época da divulgação dessas informações, um porta-voz da Dfinity rebateu as acusações e disse para o The New York Times que na verdade o ativo havia caído por causa de “day traders com agendas alternativas e projetos de criptomoedas antiéticos” que “usaram o Reddit e o Twitter para confundir o público”.

Publicidade

Nova internet

O ICP foi lançado no início de maio pela Dfinity Foundation, uma organização sem fins lucrativos tocada por Dominic Williams, um empresário suíço que é entusiasta da tecnologia.

A criptomoeda alcou o posto de 8ª maior do mundo menos de uma semana após seu lançamento. Hoje, está na 16ª posição.

O projeto nasceu com a pretensão de ser uma internet pública e livre das ‘garras’ dos grandes monopólios da tecnologia, como Google, Facebook, Amazon etc.

Na blockchain da Dfinity, alimentada por ICP, os desenvolvedores podem criar sites, sistemas corporativos de TI, serviços de internet aberta, protocolos de finanças descentralizadas (DeFi), NFTs etc.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Gêmeos Winklevoss doam US$ 2 milhões em Bitcoin a Trump para combater "guerra às criptomoedas"

Gêmeos Winklevoss doam US$ 2 milhões em Bitcoin a Trump para combater “guerra às criptomoedas”

Os cofundadores da Gemini disseram que ficaram do lado de Donald Trump e doaram Bitcoin para derrubar a campanha de reeleição do presidente Biden
Imagem da matéria: Token Friend.tech cai 22% depois de críticas à saída da Base para uma nova blockchain

Token Friend.tech cai 22% depois de críticas à saída da Base para uma nova blockchain

As notícias sobre os planos da Friend.tech de lançar uma blockchain para projetos sociais descentralizados não foram bem recebidas
Bitcoin e grafico de mercado

Taxas do Bitcoin estão disparando novamente – e não é por causa de Runes ou Ordinals

Uma grande exchange está tentando organizar sua carteira Bitcoin e está queimando muito dinheiro no processo
o que é mineração de bitcoin

Mineradores de Bitcoin nos EUA batem valor de mercado recorde de US$ 22,8 bilhões

Banco americano destacou que quase todas as 14 mineradoras de Bitcoin negociadas na Bolsa dos EUA subiram nas duas primeira semanas de junho