Imagem da matéria: Criador da 'Caveira de Satoshi' diz que estava errado sobre mineração de criptomoedas: "Nunca foi antiBitcoin"
Instalação Caveira de Satoshi, feita pelo Greenpeace (Imagem: Greenpeace/Benjamin Von Wong)

Benjamin Von Wong, o artista canadense que se tornou o personagem principal do CryptoTwitter na semana passada depois de revelar sua instalação “Caveira de Satoshi”, disse que o trabalho “nunca foi feito para ser antiBitcoin.”

“Foi uma esperança otimista que o Bitcoin poderia se afastar da queima desnecessária de combustíveis fósseis sem perder todas as outras características que tornam o Bitcoin seguro, confiável e descentralizado”, escreveu Von Wong em uma thread no Twitter.

Publicidade

Ele também disse que, quando começou a trabalhar na instalação, acreditava genuinamente que a mineração de Bitcoin, que usa o algoritmo de consenso proof of work (PoW), era “uma questão simples e objetiva.”

“Passei toda a minha carreira tentando reduzir o desperdício físico do mundo real, e o PoW pela minha intuição parecia ser um desperdício”, escreveu Von Wong. “E é claro que eu estava errado.”

A “Caveira de Satoshi” foi revelado na semana passada, como parte do campanha de um ano dirigida pelo Greenpeace, a ONG ambiental internacional, que procura destacar “o enorme impacto climático” da mineração de Bitcoin.

A iniciativa, apoiada por outras organizações ambientais e outros personagens importantes do mundo cripto como Chris Larsen, cofundador da Ripple, é chamado de “Altere o código, Não o clima” e procura migrar o Bitcoin para um mecanismo mais amigável ao ambiente como o proof of stake (Pos). O movimento significaria mudar o código da principal criptomoeda.

Publicidade

Após a reação irônica que a ideia recebeu da comunidade Bitcoin, o Greenpeace agora diz que “não está necessariamente sugerindo que o Bitcoin deva mudar para alguma forma existente de PoS.”

“Estamos apontando para o fato de que outras criptomoedas perceberam que o PoW tem um problema de energia e mudaram”, disse Rolf Skar, gerente de projetos especiais do Greenpeace nos EUA ao Decrypt.

“O Bitcoin é o retardatário nesta área e ainda está trabalhando com a tecnologia de uma década atrás, enquanto outras criptomoedas mais recentes estão usando diferentes mecanismos de consenso e reduzindo suas emissões de carbono.”

Quanto ao próprio artista, Von Wong disse que passou os últimos dias falando com vários membros da comunidade Bitcoin e agora quer “fazer uma pausa e abster-se de participar de mais discursos públicos e passar mais tempo em silêncio e em particular observando e aprendendo até que eu saiba exatamente como minhas contribuições podem colaborar objetivamente para ajudar o meio ambiente.”

Publicidade

“Eu precisava primeiro reunir algumas respostas oficiais ao Twitterverso e estava tentando digerir todos os diferentes fragmentos de informação que estava recebendo de vários lugares”, disse Von Wong ao Decrypt. “Estou tentando entender melhor a nuance entre progresso e perfeição.”

Mudar o Bitcoin: Missão Impossível?

De acordo com o Greenpeace, que anteriormente sugeriu que a transição do Bitcoin para o PoS exigiria um soft fork, a organização está “otimista em relação à inovação tecnológica e à criatividade humana, por isso não vamos levantar as mãos e declarar que isso é “impossível.’”

“A crise climática exige que todos nós – não apenas o Greenpeace ou o Bitcoin – encontremos maneiras de garantir um futuro justo e verde. Trabalhamos regularmente em questões que são objetivamente mais complicadas e difíceis de descobrir do que mudar o código do Bitcoin”, disse Skar ao Decrypt. “Só é impossível se nos recusarmos a tentar.”

As pessoas que trabalham em estreita colaboração com o Bitcoin, no entanto, são muito menos otimistas.

“Cada Nó na rede Bitcoin verifica se o novo “block header” (Um block header serve para identificar um determinado bloco e tem seu hash repetido para criar provas de trabalho para recompensas de mineração) é menor do que o número fornecido, definido pela dificuldade de mineração. Se você alterar essa regra, todos os Nós que não desejam atualizar para uma nova versão do software cairão fora do consenso. Isso provavelmente criará uma situação difícil”, Viacheslav Zhygulin, cofundador e CTO da stroom.network, um protocolo de staking líquido para a Bitcoin Lightning Network, disse ao Decrypt.

De acordo com Zhygulin, enquanto o código de código aberto do Bitcoin permite que qualquer um faça mudanças, todas as principais atualizações da rede Bitcoin na última década, incluindo SegWit e Taproot, foram executadas como soft forks, e que “não há chances” de um hard fork bem-sucedido em breve.

Publicidade

Ao contrário dos soft forks, os hard forks não são compatíveis com versões anteriores e exigem que todos os operadores de Nós na rede atualizem para o software mais recente em um horário especificado.

“Não há praticamente nenhuma chance de que um hipotético consenso PoS para a Bitcoin seja aceito como a Bitcoin original, e é altamente improvável que ele venha a existir”, disse Phil Harvey, CEO da empresa de consultoria de mineração de Bitcoin, Sabre56, ao Decrypt.

De acordo com Harvey, o código Bitcoin foi projetado “para ser praticamente impossível de mudar”, pois isso requer um amplo acordo de todos os participantes da rede.

“No passado, facções de Nós bifurcaram o código, mas as criptomoedas resultantes não foram mais consideradas Bitcoin. Esta concepção rígida deve-se, em grande parte, ao compromisso ideológico do principal grupo de criadores e pioneiros com os princípios do dinheiro sólido. Embora eles possam abandonar o Bitcoin, é altamente improvável que eles mudem para um sistema PoS”, disse Harvey.

O fundador da Sabre56 também disse que o valor dos ativos digitais decorre de sua capacidade de resolver problemas financeiros e outras questões.

“O caso de uso do Bitcoin como uma moeda de reserva sólida, descentralizada, imutável, sem censura, globalmente acessível e autocustodiada está intrinsecamente ligado ao PoW. Seus pilares, tais como os ciclos de halving, a economia de mineração e a validação de blocos, todos dependem desse mecanismo de consenso”, disse Harvey ao Decrypt. “A introdução do PoS na rede Bitcoin mudaria toda a sua identidade e proposta de valor.”

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos
Imagem da matéria: "Jogo do Tigrinho" invade redes sociais de brasileiros; veja como se proteger

“Jogo do Tigrinho” invade redes sociais de brasileiros; veja como se proteger

Nos últimos meses, o “jogo do tigrinho”, um caça-níquel online, ganhou notoriedade no Brasil devido à sua associação com golpes
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

Memecoins da GameStop e Iggy Azalea encerram semana com perdas de até 50%

MOTHER – uma memecoin lançada pela rapper Iggy Azalea – despencou 38% nos últimos 7 dias
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump se apresenta como ‘criptopresidente’ em evento de arrecadação de fundos

O candidato presidencial republicano dobrou sua postura pró-cripto durante evento em São Francisco, EUA