Smartphone web3 Metavertu Vertu
Smartphone web3 Metavertu da Vertu (Imagem: Divulgação)

Em um evento em Londres do início da semana, a fabricante de smartphones Vertu revelou seu mais recente dispositivo, Metavertu—um “telefone Web3” que pode executar seu próprio node (nó) blockchain e transformar fotos e vídeos em NFTs com um único clique.

O dispositivo em si é destinado a uma parcela bem específica de usuários de alto padrão. Todos os modelos ostentam uma moldura de cerâmica e a tela de vidro de safira da Vertu, alimentada por uma CPU Qualcomm SnapDragon 8 Gen 1. Uma tela AMOLED de 6,67 pol., 2400×1080, um conjunto de câmeras de três lentes e uma bateria de 4.600 mAh completam a lista de especificações.

Publicidade

O modelo básico vem com acabamento em fibra de carbono, 12 GB de RAM e 512 GB de armazenamento interno e um preço de US$ 3,6 mil. O modelo top de linha, por sua vez, tem 18 GB de RAM e 1 TB de armazenamento, e vem envolto em “Couro de Jacaré Himalaya”, Ouro 18K e diamantes. O preço? Impressionantes US$ 41 mil (R$ 218 mil na cotação atual). 

Os telefones Metavertu de nível básico (esquerda) e de ponta (direita) (Imagem: Vertu)

O novo público de luxo da Vertu

De qualquer forma, se você paga 1 milhão de dólares em um NFT do Bored Ape Yacht Club, isso já é extremamente restrito a uma parcela específica da população.

É presumivelmente nisso que a Vertu está apostando. A fabricante vendeu anteriormente smartphones com especificações de nível médio e acabamentos escandalosamente caros para consumidores de luxo (em 2017, ela faliu e passou por uma sucessão de proprietários antes do relançamento em 2018). 

Hoje em dia, a classe alta está se mudando para o emocionante mundo da Web3, NFTs e do metaverso, com o surgimento de um “nouveau riche” cripto, para quem as coleções de NFTs CryptoPunks e Azuki são as novas Burberry e Louis Vuitton.

Publicidade

Mas o problema com a Web3, disse o CEO da Vertu, Gary Chan, no evento de lançamento do telefone em Londres, é que sua complexidade é um balde de água fria para atrair novos usuários. “Queremos reinventar o smartphone para descomplicar a Web3”, disse ele.

Gary Chan, CEO da Vertu. (Imagem: Stephen Graves/Decrypt)

Web3 com um clique

Com isso em mente, o Metavertu pode alternar entre o modo Web2 — o sistema operacional Android padrão visto na maioria dos smartphones — para um modo Web3. Os usuários podem criar uma carteira cripto com poucos cliques, com chaves privadas protegidas pelo trusted execution environment (TEE) do telefone e acessar um conjunto de aplicativos descentralizados (dApps) através de uma interface amigável no estilo Android.

Um celular Metavertu. (Imagem: Vertu)

Essas dApps incluem VOS, que permite que o telefone seja usado como um “validador”, um nó leve e um cliente simples na blockchain Ethereum, de acordo com um porta-voz da Vertu. Outro dApp, o Vshot, permite ao usuário mintar um NFT de uma foto ou vídeo com apenas um clique. 

O telefone também inclui o Vtalk, um aplicativo de mensagens instantâneas peer-to-peer criptografado que “integra recursos de redes sociais descentralizadas”, incluindo DAOs, de acordo com Chan.

Publicidade

Além de tudo isso, os usuários têm acesso a 10 terabytes de armazenamento distribuído em IPFS, bem como acesso ao serviço de concierge “red button” da Vertu 24 horas por dia, 7 dias por semana. Mesmo esse serviço foi atualizado para refletir o mundo Web3.

“Temos uma equipe especial de investimento em NFT para ajudar nossos usuários a entender melhor os NFTs rapidamente”, disse Chan. Isso inclui orientar os recém-chegados no processo de coleta de tokens não fungíveis e aconselhá-los sobre quais coleções futuras valem a pena.

O Metavertu estará à venda a partir de 3 de novembro através do site da Vertu, bem como das suas lojas físicas, incluindo um novo local na Bond Street, em Londres, que será inaugurado no final do ano.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Confira 3 criptomoedas que podem disparar com o halving do Bitcoin

Confira 3 criptomoedas que podem disparar com o halving do Bitcoin

O halving pode atrair a atenção dos investidores para projetos alternativos criados no ecossistema do Bitcoin
Imagem da matéria: Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Dados do Banco Central mostram que a importação de criptoativos saltou de US$ 1,4 bilhão no primeiro bimestre de 2023, para US$ 2,9 bilhões no início deste ano
Imagem da matéria: EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

Avraham Eisenberg é o trader cripto acusado de drenar mais de US$ 100 milhões da plataforma de negociação Mango Markets
Imagem da matéria: Avenged Sevenfold está transformando fãs de heavy metal em "Evangelistas da Blockchain"

Avenged Sevenfold está transformando fãs de heavy metal em “Evangelistas da Blockchain”

Plataforma descentralizada recompensa fãs do Avenged Sevenfold e gera recompensas por participarem de atividades ligadas à banda