Imagem da matéria: Corretoras de criptomoedas negociam US$  2 trilhões e quebram recorde de volume em maio
Foto: Shutterstock

As negociações de criptomoedas dispararam em maio e, pela primeira vez na história, o volume mensal das exchanges ultrapassou a marca de US$ 2 trilhões, de acordo com dados do The Block Research

As principais corretoras do mercado movimentaram US$ 2,13 trilhões entre os dias 1º e 28 de maio. Como ainda faltam três dias para o mês terminar, o volume final do mês será ainda maior.

Publicidade
volume exchanges
Volume mensal das exchanges (Fonte: The Block Research)

Desde que o ano começou, o volume das exchanges cresceu 113% e se mantém acima de US$ 1 trilhão desde fevereiro. Maio continua a tendência de alta e já supera o antigo recorde de volume mensal, quando as corretoras movimentaram US$ 1,6 trilhão em abril. 

Esses dados são das 24 maiores exchanges do mundo, e indicam também que maio detém o recorde de maior volume diário de negociações. Na quarta (26), a média móvel de sete dias registrou um volume diário de US$ 89,6 bilhões nas corretoras.

Negociações disparam no Brasil

As exchanges brasileiras refletem esse movimento do mercado e também registram o maior volume mensal da história. De acordo com o Índice de Preço do Bitcoin (IPB), os brasileiros negociaram R$ 5,9 bilhões em maio, ante R$ 4,6 bilhões do mês anterior. 

Os dados são monitorados pelo Portal do Bitcoin e correspondem ao volume de negociação de bitcoin nas maiores corretoras em operação no país entre os dias 1º e 27 de maio.

Publicidade

A maior parte desse número vem da Binance que movimentou R$ 4,1 bilhões, seguida pelo Mercado Bitcoin que registrou um volume mensal de R$ 1,2 bilhão. As plataformas tiveram o maior tráfego em 19 de maio, quando os brasileiros bateram recorde ao negociar R$ 826 milhões em BTC em um único dia.

Um volume dessa magnitude reflete uma volta intensa dos investidores às exchanges, alguns para comprar a queda e outros para vender seus ativos temendo um desvalorização ainda maior.

As preocupações com o impacto ambiental do bitcoin e o desejo do governo chinês em proibir a mineração foram as principais causadoras do pânico que se instaurou no mercado na semana passada e fez o preço da criptomoeda desabar.

Um levantamento da Chainanalysis estima que os investidores que entraram em desespero e venderam seus BTCs tiveram um prejuízo de US$ 3,2 bilhões.

Publicidade

A principal criptomoeda do mercado ainda mostra dificuldade em recuperar seus ganhos e nesta sexta-feira (28) está em queda de 7,6%, negociada a US$ 36.800.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Setor cripto aumenta seu peso nas eleições dos EUA após Coinbase investir mais US$ 25 milhões

Setor cripto aumenta seu peso nas eleições dos EUA após Coinbase investir mais US$ 25 milhões

Exchange cripto Coinbase decidiu colocar ainda mais dinheiro no fundo do setor cripto para apoiar campanhas eleitorais nos EUA, que agora já chega a US$ 161 milhões
Imagem da matéria: Mercado Bitcoin celebra 11 anos com nova assinatura de marca

Mercado Bitcoin celebra 11 anos com nova assinatura de marca

Completando 11 anos, o MB introduz um novo posicionamento de marca, caracterizado por uma atualização na identidade visual
Bitcoin e grafico de mercado

Taxas do Bitcoin estão disparando novamente – e não é por causa de Runes ou Ordinals

Uma grande exchange está tentando organizar sua carteira Bitcoin e está queimando muito dinheiro no processo
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte