Imagem da matéria: Corretora Foxbit lança token atrelado a precatório
Foto: Shutterstock

A corretora brasileira Foxbit lançou nesta terça-feira (10) a Foxbit Tokens, uma plataforma com ativos digitais lastreados em ativos reais.

O primeiro produto oferecido pela exchange nessa nova unidade de negócios é o FTPC-34645, um token atrelado a precatórios – dívidas do governo.

Publicidade

A empresa disponibilizou 3.628 ativos digitais para o mercado. O investimento mínimo é de R$ 100.

A rentabilidade estimada, segundo a empresa, é de 0,92% mensais, ou 20% em 20 meses, que é o período sugerido para o pagamento. Não há taxa de custódia.

Caso o investidor não queira aguardar o prazo e desista do ativo, a Foxbit informou que garante a recompra do token a partir de outubro de 2021.

“Estamos olhando uma vasta gama de oportunidades em tokens, e vamos fazer isso de um jeito acessível a qualquer pessoa”, disse João Canhada, CEO da corretora.

“É apenas o início de um mercado completamente novo, e podemos inovar com muita velocidade, aguardo ansiosamente o feedback dos nossos clientes”, completou.

Publicidade

Tokenização de tudo

A tokenização de ativos reais tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil e no mundo. É possível tokenizar precatórios, fundos imobiliários, times de futebol e até pessoas.

Além da Foxbit, outras empresas e corretoras investiram no segmento. A Mercado Bitcoin, por exemplo, oferece tokens atrelados a precatórios e a clubes.

Startups como a Liqi também trabalham com ativos virtuais lastreados em algo real. Um dos produtos da empresa é o fan token do clube brasileiro Cruzeiro.

VOCÊ PODE GOSTAR
Banco Central se reunirá hoje com Facebook para debater proibição do WhatsApp Pay

“Inserimos com o Drex o conceito de tokenização nos sistemas dos bancos”, diz Campos Neto

O presidente do BC participa do Emerging Tech Summit, evento do Valor Capital Group em São Paulo
Policiais federais fotografados de costas

PF e Receita Federal caçam grupo suspeito de lavagem de dinheiro com criptomoedas

Policiais federais e auditores-fiscais se mobilizaram em quatro estados para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão em um esquema de importações ilegais
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos