Imagem da matéria: Corretora de criptomoedas que travou saques processa cliente para tentar recuperar liquidez
Foto: Shutterstock

A plataforma para a negociação de criptomoedas CoinFLEX deu detalhes sobre sua estratégia em combater a atual crise de liquidez da empresa que, há quase três semanas, impede que usuários saquem seus fundos.

Em uma publicação divulgada no sábado (9), os cofundadores Sudhu Arumugam e Mark Lamb anunciaram que a empresa se submeteu a uma arbitragem jurídica em Hong Kong para recuperar prejuízos de US$ 84 milhões de um “enorme cliente individual” que, em junho, a CoinFLEX afirmou ser o grande defensor do bitcoin cash (BCH) Roger Ver.

Publicidade

O cliente em questão supostamente deixou de pagar uma enorme posição em junho e falhou em honrar um contrato com a CoinFlex que exigia que ele lidasse com qualquer saldo negativo em sua conta. Anteriormente, a CoinFLEX havia afirmado que essa falha de um só cliente em cobrir sua dívida forçou a empresa a congelar saques em toda a plataforma no fim de junho.

Arumugam e Lamb esperam que o veredito sobre o caso demore até 12 meses. Já que a responsabilidade em questão é de caráter pessoal, os dois estão otimistas que o caso resulte em uma recuperação significativa para a CoinFLEX.

“O individual é pessoalmente responsável pelo pagamento da quantia total”, Arumugam e Lamb, “então nossos advogados estão muito confiantes que possamos executar a sentença”.

Apesar de a publicação de sábado não ter se referido ao nome de Ver, Lamb havia afirmado abertamente que Ver — um antigo investidor e defensor de bitcoin, conhecido por muitos como “Jesus do Bitcoin” — era o cliente em questão. Em seguida, Ver negou as acusações, afirmando que a CoinFlex, na realidade, devia dinheiro a ele.

Publicidade

Anteriormente, a CoinFLEX havia afirmado que o déficit derivado dos prejuízos de Ver totalizaram US$ 47 milhões mas, no sábado, Arumugam e Lamb atualizaram essa quantia para US$ 84 milhões.

De acordo com os cofundadores, quando a CoinFLEX liquidou as enormes posições de ver em FLEX, o token nativo da empresa, os prejuízos da CoinFLEX quase duplicaram. FLEX perdeu 66% de seu valor no dia 23 de junho após a notícia do congelamento de saques na CoinFLEX e, desde então, tem problemas para se recuperar, segundo dados do site CoinMarketCap.

A suposta inadimplência de Ver acabou impactando a empresa duas vezes: primeiro, forçando o saque de saques em toda a plataforma; depois, gerando enormes prejuízos quando as enormes posições em FLEX de Ver foram vendidas para cobrir o prejuízo.

De acordo com a CoinFLEX, as duas partes se comunicaram constantemente durante semanas, mas Ver continuou não cumprindo com as promessas em pagar suas garantias, forçando a CoinFLEX a se submeter à arbitragem: “Durante todo o processo, mantivemos o indivíduo completamente informado e ele havia cooperado conosco e prometido pagar ou aumentar a garantia para cobrir o déficit mas, no fim, a promessa era vazia”.

Publicidade

Além de anunciar sua arbitragem, a empresa disse que, em certo momento nas próximas semanas, espera disponibilizar 10% dos saldos de clientes para saque. No entanto, a CoinFLEX precisará vender todos os ativos não nativos bloqueados na plataforma em troca de USDC. Também será necessário que a empresa pause temporariamente toda a negociação e encerre todas as posições de futuros.

A empresa também afirmou que visa arrecadar “uma quantia significativa de fundos” de investidores e que, no momento, está conversando com múltiplos e “enormes” clientes da CoinFLEX sobre converter seus depósitos em fundos.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil

Anbima propõe novas regras para fundos de criptomoedas e abre consulta pública

Entre outras regras, Anbima propõe uma padronização na precificação das criptomoedas dos fundos desse tipo; consulta vai até 20 de junho
Sheik das criptomoedas Francisley Valdevino

Sheik das Criptomoedas usou “Banco do Crime” para lavar R$ 600 mil da pirâmide Rental Coins

Autoridades apontam a Cash Back como um dos maiores esquemas de lavagem de dinheiro em São Paulo
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum abrem em queda e BlackRock supera Grayscale em número de BTC sob custódia

ETF de Bitcoin da BlackRock agora detém mais BTC do que sua rival, a tradicional Grayscale Bitcoin Trust
Imagem da matéria: EUA acusam  2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

EUA acusam 2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

O Departamento de Justiça acusou Daren Li e Yicheng Zhang de orquestrar um esquema com criptomoedas de “abate de porcos”