Corretora brasileira de bitcoin 3xBit demite quase todos funcionários e muda de endereço

Perícia aponta que Bitcoin Banco não cumpriu a lei sobre em demonstrações financeiras
Foto: Shutterstock


A exchange de criptomoedas 3xBit, que desde setembro não está pagando os clientes que aderiram ao seu programa de leasing com bitcoin, demitiu a maioria dos funcionários na última quinta-feira (31).

As demissões da empresa comandada por Saint Clair Izidoro e o advogado Octavio de Paula Santos deixaram funcionários bastante preocupados.

Alguns deles, ouvidos pelo Portal do Bitcoin, acreditam que a empresa terá dificuldade em honrar com a rescisão. O motivo seria o histórico recente de atrasos na folha de pagamento.

A reportagem conversou com dois funcionários antigos da empresa que detalharam a má situação em que ela se encontra.

Por email, um funcionário demitido pediu ajuda: “Sou um ex-funcionário pedindo ajuda, pois ainda tenho valores para receber”, escreveu. Em anexo, enviou uma cópia da carta de dispensa e de um acordo de confidencialidade.

Segundo o ex-funcionário, a corretora tinha 40 funcionários. O quadro foi reduzido para cerca de 5. “Sobraram só uns gatos pingados”, disse. Ele contou que a empresa estava mudando de prédio na segunda-feira (04), mas que o novo endereço não era conhecido. A corretora confirmou parte das demissões e a mudança de endereço.

“Estamos sem receber também a rescisão e os valores faltantes, afinal eles estão com salários atrasados faz tempo”, afirmou. 



Por telefone, outro funcionário demitido, que pediu para não ser identificado, deu mais detalhes sobre a situação.

“Os funcionários que eles mantiveram são os que já eram do escritório de advocacia do Octavio de Paula, que é um dos sócios”, disse.

E acrescentou: “Da 3xBit, ficou um estagiário do jurídico, dois desenvolvedores e uma pessoa pra atender o suporte”.

Salários parcelados

Ele confirmou a informação de que ultimamente a empresa já vinha atrasando os salários, principalmente dos contratados como PJ, acrescentando que eles chegaram a pagar parcelado — dia 20 e no 5º dia útil.

Contou sobre o negócio de leasing de bitcoin.

“Nós funcionários não sabíamos desse tal de leasing, era uma coisa por trás da exchange. A gente só ficou sabendo mesmo quando começou o atraso dos salários”.

Discorreu também sobre um suposto novo parceiro da 3xbit:

“O que eles falavam para nós é que ia entrar o pagamento de um novo investidor que comprou parte da empresa e que iria parcelar de outubro a fevereiro”.

Depois que a exchange começou a ter problemas para pagar os saques do clientes, o volume negociado na corretora se tornou insignificante.

Posição da 3xbit

Procurada pela reportagem para comentar sobre as demissões, a mudança de escritório e da nova parceria, a 3xBit enviou a seguinte nota:

Sobre as demissões

“A 3XBIT, de fato, iniciou um processo de reestruturação do grupo, com foco na otimização dos serviços oferecidos, o que incluiu a redução de custos fixos. Isso culminou com o corte de cerca de 40% do efetivo (de todas as empresas). As negociações em relação aos desligamentos de funcionários e prestadores de serviços foram feitas individualmente e são sigilosas”.

Da mudança do escritório

“O prédio hoje ocupado pela 3XBIT tem dois andares que atualmente são pouco utilizados. Então, como forma de otimizar esse custo e também o uso de espaço, a empresa irá para outro escritório, em endereço a definir”.

Sobre novo parceiro

“Sobre a entrada do novo sócio no grupo, o processo está em fase de due diligence”.

Calote no aluguel de bitcoin

Desde setembro a corretora não está pagando os clientes que haviam contratado com a empresa uma espécie de leasing, sistema de aluguel de bitcoins — que previa um rendimento definido em contrato de até 10% sobre o valor custodiado.

Os responsáveis pela empresa, vêm postergando a data dos pagamentos e não dão nenhum tipo de explicação sobre por que pararam com os depósitos.

Pela carteira que consta no contrato do chamado leasing, passaram pelo sistema 1.193 bitcoins, o que ultrapassa R$ 40 Milhões.