Imagem da matéria: Corinthians lança criptomoeda própria, a Timãocoin
(Foto: Facebook/Reprodução)

O Corinthians lançou na sexta-feira (15) a sua própria criptomoeda oficial. A “Timaocoin” (alusão a “Timão”,  apelido dado pelos torcedores ao clube) foi desenvolvida em parceria com a Fintech Footcoin Club.

Segundo informação da Folha de São Paulo, essa criptomoeda é uma aposta do time do Parque São Jorge para ampliar a interação entre torcedores e parceiros comerciais.

Publicidade

Por meio dela, o clube deverá oferecer produtos e serviços, como venda de ingressos, experiências em seu estádio e materiais esportivos. Cada Timaocoin, sem flutuação cambial, equivale a R$ 10.

A empresa, entretanto, só venderá incialmente essas moedas criptografadas do Corinthians para pessoas que já possuírem bitcoins.

Rozinei da Silva, CEO da Footcoin Club, afirma que o público da cidade de São Paulo “já faz muitas transações em bitcoins, então, assim nós conseguimos posicionar o nosso produto. Aí, posteriormente, podemos ampliar para os demais públicos”.

O fato é que, por enquanto, não há uma previsão de quando a plataforma passará a aceitar novas formas de pagamento. “Nós queremos entender primeiro o comportamento dos fãs e da plataforma”, diz o CEO.

Apesar de a Fintech Footcoin Club não ter confirmado o tempo de contrato estabelecido com o Corinthians, Silva garante que ele será por pelo menos dois anos.

Publicidade

Ele explica que caso o clube opte por não renovar o contrato com a empresa, os torcedores que possuírem Timaocoins terão opções para resgatar os valores.

“Se ao final dos dois anos, existir Timaocoins em circulação, ele (torcedor) só vai deixar de ter assistência do clube e da plataforma no dia em que ele optar em fazer uma transação com aquela moeda.”

Não foi divulgado, contudo, a porcentagem que o clube ganhará em cada transação virtual.

Criptomoeda do futebol

O que se sabe é que a Timaocoin é uma criptomoeda semelhante à Galocoin e a LeaoCoin, que foram criadas respectivamente pelos clubes Atlético-MG e Fortaleza.

Esses times, que possuem lojas virtuais especificas, oferecem por meio delas benefícios diferentes para as torcidas. Com essas criptomoedas, os torcedores podem adquirir produtos exclusivos, além de fazer doações ao seu time.

Publicidade

Até o momento, apenas o Fortaleza usa essa funcionalidade de doação de torcedores por meio de sua criptomoeda. Mas de acordo com Silva, o Atlético-MG deverá em breve adotar também esse sistema.

“O Fortaleza teve um resultado satisfatório em relação às necessidades do clube, como renovar contrato dos jogadores. O Atlético-MG terá (a funcionalidade) a partir do segundo trimestre deste ano, em função de uma questão específica que eles querem fazer”, afirma.

Não se sabe ainda se o Corinthians também adotará esse sistema de doação de valores de torcedores para o time. Silva afirma que “o clube customiza o marketplace da forma como ele achar mais interessante”.

O executivo disse que essa decisão de utilizar essa funcionalidade da plataforma será do clube paulista.

“Se o Corinthians quiser habilitar essa funcionalidade, o torcedor poderá adquirir, por exemplo, 1 Timaocoin por R$ 10 e doar para o clube. O valor cairá integralmente na conta do Corinthians”.

Experiência amarga

Essa não é a primeira vez que o Corinthians mostra interesse no mundo das moedas criptografadas. Em 2018, o clube havia apoiado a Ivy Token, uma moeda criada pela empresa inoovi limited, sediada em Hong Kong.

Publicidade

Não só o Corinthians entrou nessa. Antes Atlético paranaense já havia fechado com a criptomoeda de origem chinesa.

A Ivy, na época, alegou ter emitido 10 bilhões de tokens e que estava vendendo cada um a 2 dólares, isso já a colocaria na segunda colocação de maior capitalização do mercado, perdendo somente para o Bitcoin.

O problema é que o projeto chinês passava a sensação de que não existia nada ainda pronto e que eles estavam tentando juntar dinheiro para depois tentarem colocar em pratica o que pretendem.  Se suscitou até mesmo se tratar de um possível Scam.

O resultado foi que o Corinthians em pouco tempo retirou qualquer menção sobre o projeto Ivy do seu site.

Por outro lado, nesse mesmo tempo o Fortaleza e o Atlético -MG haviam criado respectivamente a Leãocoin e a Galocoin. Os projetos desenvolvidos pela Fintech Footcoin Club eram bem mais simples e também mais funcionais do que aquele apresentado pela Ivy.


Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se aqui e veja como é simples: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

A animação dos investidores fez aumentar em 219% o volume de negociação do Ethereum nas últimas 24 horas
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
Imagem da matéria: Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

A CVM multou a pirâmide financeira Atlas Quantum após identificar indícios “robustos e consistentes” de que tudo não passava de uma operação fraudulenta