Máquinas alinhadas em um centro de mineração
Foto: Shutterstock

A Core Scientific vai desligar milhares de rigs de mineração de criptomoedas da Celsius, depois que as duas empresas falidas finalmente chegaram a um acordo após meses de disputa.

Uma das maiores mineradoras de Bitcoin do mundo, a Core Scientific culpou seus problemas financeiros, pelo menos parcialmente, por conta do contrato com a Celsius, após a credora cripto ter entrado com o pedido de recuperação judicial em julho e deixado de cobrir a sua parte das contas de energia.

Publicidade

Em um ponto, os advogados da empresa disseram que a Core estava perdendo US$ 53 mil por dia no acordo de hospedagem.

Após a Core ter entrado com o pedido de recuperação judicial em dezembro, as duas empresas concordaram em fechar 37 mil rigs de mineração da Celsius. Em uma audiência na terça-feira (3), um advogado da Celsius disse que um acordo para encerrar totalmente o relacionamento estava sendo finalizado.

A notícia surge depois que a Core Scientific pediu ao juiz David R. Jones para rejeitar os contratos da Celsius como medida de emergência no final de dezembro, e alegou que poderia usar a capacidade adicional para gerar até US$ 2 milhões por mês.

A empresa disse quando entrou com o pedido de recuperação judicial no mês passado que continuaria as operações durante todo o processo.

Publicidade

Caminho para a falência

Além de seus laços com a Celsius, a Core enfrentou as mesmas dificuldades que afetaram outras mineradoras cripto listadas na bolsa de valores no ano passado, já que os preços do Bitcoin permanecem baixos e variando pouco, enquanto os custos de energia só aumentaram.

A empresa com sede em Austin abriu o capital na Nasdaq por meio de um acordo SPAC em janeiro de 2022. Desde a sua estreia, o preço das ações despencou mais de 98%.

Foi anunciado, em meados de dezembro, um último esforço para evitar a falência, com a oferta de uma injeção de US$ 72 milhões do banco de investimento B. Riley.

Mas o principal executivo da Core Scientific, Michael Bros, afirmou nos processos judiciais que a empresa já havia rejeitado a oferta do B. Riley antes de ser tornada pública e que, após analisar as propostas subsequentes, um comitê concluiu que a oferta “não fornecia uma solução abrangente de reestruturação, provavelmente sujeitaria a empresa a litígios com outros constituintes credores […] e não resolveu certas questões que a empresa enfrentava, como o seu litígio com a Celsius”. 

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

  • Como será o mercado de criptomoedas em 2023? Clique aqui e descubra no relatório gratuito do time de Research do MB
VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda de Ethereum na frente de gráfico

Ethereum pode surpreender positivamente nos próximos meses, diz Coinbase

Subindo menos que outras criptomoedas em 2024, o Ethereum pode se recuperar e superar seus pares nos próximos meses, avalia a Coinbase
Imagem da matéria: Fed e o Banco do Japão levarão o Bitcoin a US$ 1 milhão, diz Arthur Hayes

Fed e o Banco do Japão levarão o Bitcoin a US$ 1 milhão, diz Arthur Hayes

Um complexo emaranhado entre bancos centrais em relação ao iene levará a uma frenética impressão de dinheiro, elevando o preço do Bitcoin, diz o cofundador da BitMEX
Imagem da matéria: Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas sobem nesta quarta-feira após o relatório do CPI dos EUA mostrar que os preços subiram mais lentamente que o esperado
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15